‘Busto não é a única ligação com Tatuí’, diz a filha de artista

347
Publicidade





O busto de Rui Barbosa não é a única ligação de Galileo Emendabili com Tatuí. Um dos mais respeitados artistas do país, ele tem sete monumentos somente em São Paulo.

O mais importante deles é o obelisco citado pelo juiz Marcelo Nalesso Salmaso, no Parque do Ibirapuera.

Fiammetta Emendabili Loureiro Gama destacou que o pai dela tem uma relação artística com Tatuí muito intensa.

Galileo chegou ao Brasil em 1923. Dois anos depois, em 1925,
ganhou o primeiro concurso público para homenagear o médico e cientista Luiz Pereira Barreto. Construiu, então, um monumento em 1927, que está na praça Marechal Deodoro da Fonseca, em São Paulo.

Publicidade

Na época, Galileo conheceu o tatuiano Raul de Polillo, jornalista e crítico de arte do então jornal “Folha da Manhã”.

Os dois tornaram-se amigos e Polillo ajudou o italiano a montar o
primeiro atelier dele. O espaço ficava na Rua das Flores, no centro de São Paulo.

Foi lá que Galileo esculpiu o monumento a Barreto. O cientista pesquisou os efeitos do guaraná na saúde dos brasileiros.
Atualmente, Polillo dá nome a uma sala do Museu Histórico “Paulo Setúbal”. Além de livros doados pela família do jornalista, o espaço conta com uma escultura do escritor Eça de Queiroz, esculpida pelo amigo Galileo.

Já em 1930, o destino do artista italiano voltou a cruzar-se com o de Tatuí. Dessa vez, ele produziu outra obra que pode ser vista no município, no cemitério Cristo Rei.

Naquele ano, Galileo foi procurado pelo então presidente da Bolsa de Mercadorias e Futuro de São Paulo, o tatuiano Juca Abreu. Este era genro do industrial e prefeito de Tatuí, o médico Francisco de Salles Gomes.

Conforme Fiammetta, Salles Gomes havia falecido e Abreu solicitou a Galileo que construísse um memorial em Tatuí.

Trata-se de uma estátua de Jesus Cristo, de 1,90 metro de altura, de grande valor artístico. “A Prefeitura de Tatuí, através da Cultura, deveria tombá-lo como patrimônio artístico e restaurá-lo”, comentou a benfeitora no discurso de instalação do busto de Rui Barbosa.

Galileo nasceu no dia 8 de maio de 1898, na capital da Província de Marcas (Marche), na Itália. Filho de Ludovico Emendabili, artesão moveleiro, e de Enrica Angioletti, ele teve nove irmãos.

Aos oito anos, tornou-se aprendiz de entalhador de móveis no atelier do surdo-mudo Augusto Clementi, um dos mais significativos ebanistas de sua época na Itália.

Emendabili, então, passou a dominar a linguagem gestual (atual Libras), por meio da qual conseguia comunicar-se com o mestre e com os demais aprendizes, que eram surdos-mudos.

Já adulto, matriculou-se no curso superior de escultura na Real Academia de Belas Artes de Urbino.

Em 1916, abriu seu primeiro atelier na Itália, em parceria com o pintor Urbano Polverini. O espaço funcionava no Palazzo Passerini.

Ainda na Itália, obteve bolsa concedida pelo Real Instituto de Belas Artes para financiar viagens de estudos artísticos. Passou a viajar pelo eixo Urbino-Roma em 1918, frequentando o atelier do escultor Arturo Dazzi.

Em Urbino, Galileo assinou duas revistas, a “Valori Plastici” e a “Architettura e Arte Figurative”. Em 1919, abriu seu segundo atelier italiano, em Via Barilari. No mesmo ano, esculpiu o “Busto Femminile” (busto feminino).

Um ano depois, abriu o terceiro atelier na Itália. Dessa vez, na Via Stagni, número 20. De lá até 1923, quando veio ao Brasil, produziu diversos trabalhos. Em São Paulo, empregou-se como vendedor de tintas, na Casa Sparapani.

No mesmo ano, iniciou a jornada artística no Brasil, com o primeiro ofício aprendido na infância (entalhador), no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo.

A partir de então, passou a esculpir vários trabalhos, incluindo memoriais em cemitérios de São Paulo e o “Cristo Bom Pastor”, que está em Tatuí.

Em 1927, projetou o “Marco Histórico”, por conta do centenário dos cursos jurídicos no Brasil. Dois anos mais tarde, em 1929, Galileo venceu o concurso internacional para o monumento em homenagem ao arquiteto Ramos de Azevedo, em São Paulo. O artista faleceu no dia 14 de janeiro de 1974.


Publicidade