Boa Sorte Club mantém 100% e fatura título da Super Copa

Equipe superou o Santa Luzia com placar agregado de 6 a 2

235
Jogadores do Boa Sorte comemoram a conquista da Super Copa (foto: Gui Gonçalves)
Publicidade
Da redação

O Boa Sorte é o campeão da terceira edição da Super Copa Boleiros. Na tarde de sábado, 23, a agremiação superou o time do Santa Luzia, na “quadra 1” do Grando Sports Society, na segunda partida da decisão e conquistou o título da competição.

A final foi disputada em dois confrontos. No primeiro, no sábado, 9, o Boa Sorte Club havia vencido por 2 a 0. No jogo de volta, duas semanas depois, o time voltou a vencer o Santa Luzia, dessa vez, por 4 a 2. Com os triunfos, o Boa Sorte sagrou-se campeão de forma invicta, com o placar agregado de 6 a 2.

A equipe foi representada pelos atletas campeões: Júnior Mendes, Charles, Renato, Joninha (dois gols), Djalma, Yuri (um), Mané, Jhonatan, João Dr., Febike (um), Léo, Diva, Caio, Marquinho, Vinicinho e Zelão. O Boa Sorte é comandado por Joacir Silveira, André Pacheco e Felipe Lima.

O Santa Luzia jogou com: Pipa, Bruno Alves (dois gols), Daniel, Djalba, Derique, Genilso, Formiguinha, Gérson, Gilson, Henrique, Laudenir, Mateus Henrique e Índio. A agremiação tem os técnicos Valdeci Ribas (o Cabelo) e Adaílton Ferreira.

Na primeira fase, o Boa Sorte se classificou com “folga” no grupo preto. A agremiação venceu o Az de Ouro por 7 a 2, a Vila Angélica, por 4 a 2, e aplicou uma goleada de 12 a 3 sobre a equipe #PAS.

Publicidade

Segundo melhor na classificação geral da fase de grupos, o Boa Sorte derrotou o Time de Guerreiros por 5 a 1 nas quartas de final e, em uma semifinal “recheada” de gols, fez 10 a 6 no Itaruban FC.

Além da conquista do título com 100% de aproveitamento, a agremiação contou com o ataque mais efetivo da competição, somando 44 tentos. Por sua vez, sofreu 16 e, assim, concluiu a campanha com saldo positivo de 28 gols.

Autores dos gols nos dois jogos da decisão, os jogadores Joninha e Febike empataram na artilharia da Super Copa, com oito tentos cada. Charles Gomes, goleiro do time, foi considerado o melhor arqueiro do certame.

O Boa Sorte disputou a segunda decisão de futebol society neste ano, sendo que, em março, fora derrotado pelo Palanqueado e ficou com o vice-campeonato da primeira edição da Copa dos Campeões.

Campeã da série prata da segunda edição da Super Copa, realizada no ano passado, o Santa Luzia tentava o bicampeonato.

Com 12 equipes participantes, a Super Copa promoveu 26 partidas. As redes da quadra 1 do Grando Sports balançaram 208 vezes – média de oito gols por confronto.

Antes de a bola rola para a decisão, o Grando Sports recebeu dois amistosos, entre a Associação Atlética XI de Agosto e o Clube de Campo. Na categoria sub-8, o XI de Agosto venceu por 2 a 0. O Clube de Campo “deu o troco” na sequência, pela sub-10, ao golear o adversário pelo placar de 7 a 1.

Agradecimentos

A terceira edição da Super Copa Boleiros chegou ao fim. Mauri Gonçalves, o Güi, responsável pela LRF7 (Liga Regional de Futebol 7) e organizador da competição, agradeceu aos atletas de todas as equipes que participaram.

De acordo com Güi, “o esporte é uma das formas de lazer mais acessível que temos. Mesmo assim, tem um custo. O atleta, o dirigente, todos se divertem, até mesmo quem trabalha para viabilizar uma competição o faz com prazer”.

“A verdade é que, para que todos vivam esses prazeres, há uma soma de esforços e divisão de atribuições”, acrescentou.

O organizador agradeceu especialmente os patrocinadores, “que fecham esse círculo virtuoso de colaboração onde todos ganham”, os quais cita nominalmente: Grando Sports, jornal O Progresso de Tatuí, Marquespan, Rede Caetano, Itaruban, Rápido Campinas, Podium Sports, Auto Posto Trevo, Unip Tatuí, Gibson Uniforme e Vicente Menezes TTI.

Publicidade