Balanço dos 74 dias é positivo, diz Gonzaga

    Deputado tatuiano avalia resultados do trabalho na Alesp nos primeiros meses do ano

    780
    Gonzaga apresentou três proposições de lei, uma já foi aprovada (foto: AI Gonzaga)
    Publicidade
    EleService institucional
    Anglo
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec

    O ex-deputado estadual e ex-prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo, do PSDB, atuou em seu terceiro mandato na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo do dia 1º de janeiro a 15 de março deste ano. Neste período, o tatuiano destaca que, mesmo com o pouco tempo, teve “resultado positivo, com a conquista de projetos que favorecem Tatuí e região”.

    Gonzaga assumiu na Alesp em substituição à deputada Célia Leão, que se licenciara do mandato para comandar a Secretaria de Estado do Direito da Pessoa com Deficiência. A posse oficial na Assembleia aconteceu dia 5 de fevereiro, uma terça-feira.

    Na mesma data, o então deputado foi escolhido membro da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento, indicação referendada em reunião da bancada do PSDB na Alesp.

    O ex-prefeito tatuiano disputou as eleições para deputado estadual em 2014, obtendo 57.562 votos (30.135 em Tatuí) e era o primeiro suplente da coligação PSDB-PPS-DEM-PRB para o mandato 2015/2018. Assim, esteve no parlamento paulista até o dia 15 de março, data em que assumiram os deputados eleitos em 2018.

    A O Progresso, na quinta-feira, 21, o político elencou as atividades realizadas no período e fez uma avaliação dos resultados alcançados, além de garantir que deve continuar trabalhando pela cidade em busca de recursos junto às secretarias de estado.

    Publicidade
    Siltec
    EleService institucional
    Alessandra Bonilha, dra
    Anglo

    “Desde janeiro, rodamos quase 12 mil quilômetros pelo estado. Foram quase cem reuniões com autoridades de todas as esferas: deputados federais, secretários de estado, deputados estaduais, presidentes de autarquias e empresas estaduais, prefeitos, vereadores, presidentes de Câmaras Municipais e lideranças políticas regionais”, contou.

    Durante o período, o ex-deputado apresentou três proposições de lei na Casa. Uma delas já foi aprovada e cria a Central de Atendimento ao Surdo (020/2019).

    “Conseguir a aprovação de um projeto de lei dentro de tão pouco tempo é um fato raro dentro da Assembleia Legislativa. Há deputados que ficam lá os quatro anos e dificilmente conseguem aprovar uma lei. Eu tive esta felicidade”, ressaltou.

    Conforme Gonzaga, a criação do CAS deve auxiliar as pessoas com deficiência auditiva total ou parcial em solicitações dentro de repartições públicas. Para tanto, um intérprete em Libras acompanhará o atendimento. A central pode ser instalada em prefeituras ou outras repartições públicas.

    “Devo dizer, também, que consegui isso por um ato de generosidade do presidente da Alesp, Cauê Macris, e também dos lideres partidários. Um projeto pode até ser votado, mas, se não houver consenso no colégio de líderes, ele não tem sucesso. Eles acharam o projeto interessante e entenderam a necessidade”, salientou.

    Gonzaga conta que recebeu uma indicação para apresentação do projeto de lei e que ainda levou em consideração uma situação ocorrida na Santa Casa de Misericórdia, na época em que estava à frente da prefeitura de Tatuí, para a elaboração da propositura.

    “Sei da dificuldade que os surdos têm. Inclusive, aconteceu aqui comigo: uma parturiente surda-muda foi dar à luz e não tinha ninguém ali para entender o que ela estava dizendo. Tanto é que a Santa Casa, agora, tem interprete de Libras para atender esses casos”, comentou.

    O segundo projeto (021/2019) inclui o “Tatuí Classic Car” no calendário oficial do estado. O evento, realizado pelo Antigomobilismo Clube de Tatuí, teve a primeira edição em 2015 e é tido como um dos mais promissores da cidade.

    “A iniciativa retomou uma antiga tradição tatuiana de encontros de veículos antigos, que teve o auge entre os anos 1980 e 1990 e merece a nossa atenção. O PL já está na pauta de sessão da Casa e deve ser votado em breve”, argumentou.

    Já o terceiro PL (057/2019) propõe a criação da Farmácia Veterinária Popular. Conforme Gonzaga, a intenção é melhorar o acesso das famílias de baixa renda aos produtos e tratamentos veterinários para os animais de estimação. A proposta segue em tramitação.

    Além da apresentação dos projetos, Gonzaga ressalta que buscou investimentos e melhorias para as áreas de educação, segurança e mobilidade. Ainda, uma das principais demandas anunciadas desde o começo do mandato foi viabilizar a implantação de uma nova entrada para a cidade.

    Nos primeiros dias do ano, o ex-prefeito se reuniu com a Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo) e a concessionária que administra a rodovia Antonio Romano Schincariol para reiterar um antigo pedido feito aos órgãos.

    A intenção é fazer a interligação entre o anel viário e as rodovias SP-127 (que dá acesso à rodovia Castello Branco ou Itapetininga) e a SP-129 (que liga Tatuí a Boituva).

    O investimento total da obra será calculado pelo projeto executivo. Se aprovado, o valor é custeado pela SP Vias, dentro do contrato de concessão.

    Gonzaga explicou que a concessionária faz o investimento visando aumento no prazo de direito de uso. Ou seja, a empresa aplica o recurso e, com isso, ganha mais tempo para explorar o trecho e recuperar o valor investido na malha viária.

    “As coisas se encaminharam bem. Devemos ter uma resposta muito em breve da autorização do governador para a elaboração do projeto executivo da obra. É o último passo, praticamente, para a obra sair de vez”, garantiu.

    Também na questão viária, o ex-prefeito destacou que pleiteia um novo acesso ao bairro dos Mirandas e ao Santuário. A solicitação foi apresentada ao governo e ao DER (Departamento de Estradas e Rodagem), pedindo a construção de uma rotatória para os bairros.

    “A entrada para o Santuário não é adequada. A ponte que duplicamos, ainda no meu primeiro mandato como deputado, resolveu o problema com os acidentes, mas, com o aumento do bairro, é necessário que se faça um dispositivo de acesso para mais segurança”, argumentou.

    Gonzaga conta, ainda, ter reivindicado, ao governo do estado, maior agilidade nos trâmites para a melhoria da SP-129, no trecho que liga Tatuí a Boituva. Há alguns dias, o governo anunciou obra de R$ 6,8 milhões, que contempla nova sinalização e conservação da pavimentação.

    “Temos empresas importantes nessa rodovia, como a Guardian e a Zanchetta. Muitos tatuianos e boituvenses passam por lá todos os dias e serão beneficiados com o novo asfalto. Então, temos pressa para a conclusão desta obra”, acrescentou.

    Ainda na questão da mobilidade, Gonzaga esteve pleiteando, junto ao DER e à Secretaria Estadual de Transportes, uma rotatória na rodovia Mário Batista Mori, na altura da Fatec. Segundo ele, além de organizar o trânsito de veículos, o dispositivo poderá garantir maior segurança dos alunos da unidade de ensino.

    “Lá, é um dos locais mais movimentados da cidade, principalmente no horário de entrada e saída dos estudantes. Uma obra naquele ponto é de extrema importância e ajudará, inclusive, os moradores do bairro Jardins de Tatuí”, completou.

    Para a área de educação, Gonzaga ressaltou que, em encontro com o secretário estadual da área, Rossiele Soares, apresentou revindicações pela construção de uma escola de ensino médio e uma nova creche no Jardim Santa de Cássia.

    Conforme o ex-prefeito, o pedido foi reiterado em um parecer técnico emitido pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, que afirma a necessidade de uma escola de ensino médio para aquela região.

    “Estamos aguardando uma visita do secretário em Tatuí, na qual ele se comprometeu em anunciar o início da obra. Fiquei muito feliz com o atendimento que tivemos, é um secretário que me causou ótima impressão, e acho que vamos ter novidades em breve com relação a isso”, afirmou.

    Para a área de saúde, o deputado frisa que solicitou a implantação de um AME (ambulatório de especialidades médicas) em Tatuí. A ideia é transformar o Cemem (Centro Municipal de Especialidades Médicas) em um AME.

    Para Gonzaga, um prédio já construído e em funcionamento poderia facilitar as tratativas e a tramitação do processo de implantação do ambulatório na cidade.

    Ele afirmou aguardar uma nova audiência com o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann Ferreira para dar continuidade nas negociações.

    “Lá, é um prédio grande, ainda não está totalmente ocupado e, além disso, já é parte do caminho andado; dá outra dinâmica para a situação. Ter um terreno para construir é uma coisa, mas ter um prédio pronto para uso é outra história. Acredito que, com isso, vamos conseguir o AME em pouco tempo”, acentuou.

    Ainda na área de saúde, o ex-deputado acrescentou que busca incluir a Santa Casa de Misericórdia na Rede Hospitalar Metropolitana, um projeto do deputado federal Vitor Lippi para a RMS (Região Metropolitana de Sorocaba).

    Segundo ele, o programa funciona como uma rede de hospitais interligados, com o objetivo de reduzir as filas de cirurgias eletivas. “Já tinha feito o pedido, mas, como deputado, insisti para que o hospital de Tatuí seja contemplado. As negociações também ficam bem encaminhadas”, salientou.

    Na segurança pública, o então deputado se reuniu com policiais militares, bombeiros e policiais civis ouvindo demandas e apresentando os pedidos em encontros com chefes da segurança do estado.

    Uma das solicitações foi a ampliação do programa Vizinhança Solidária em Tatuí. A proposta consiste, basicamente, em um grupo de WhatsApp que une os moradores de determinados bairros e policiais, pelo qual há interação e troca de informações sobre pessoas suspeitas.

    “É uma ferramenta simples e moderna, que tem dado certo em diversos lugares do estado – inclusive, aqui em Tatuí, no Portal das Nogueiras, onde a capitão Bruna Martins, da PM, tem sido uma grande parceira”, completou.

    Além dos projetos e reivindicações que devem beneficiar Tatuí, Gonzaga afirma que também atendeu pedidos feitos por representantes de Quadra, Angatuba, Paranapanema, Bofete, Votorantim, Cesário Lange, Itapetininga, Sorocaba, Alambari, Salto de Pirapora, Tietê, Guareí, Juquiá, Pedro de Toledo, Itariri, Peruíbe e Avaré.

    Foram demandas por creches, escolas, casas populares, saneamento, unidades de saúde e até mesmo interseção junto ao governo por liberação de recursos que ficaram retidos pelo estado no início da gestão do novo governo.

    “Houve um represamento na liberação das emendas e algumas estâncias turísticas ainda não tinham recebido o recurso que é devido a elas. Então, também fui até o secretário de turismo (Vinicius Lummertz) fazer solicitações para que fossem liberadas essas verbas”, contou.

    Outra pauta que surgiu de forma urgente, devido à troca de gestão no estado, na qual o ex-deputado se envolveu buscando solução, conforme ele enfatizou, foi o atraso nos repasses das verbas do governo do estado ao Conservatório de Tatuí.

    “O atraso gerou impactos na folha de pagamento e outros imprevistos para a instituição, mas, com telefonemas, reuniões e muita luta, conseguimos solucionar o problema. O Conservatório é a joia de Tatuí, então, temos que nos unir numa situação de crise como essa”, reforçou.

    Gonzaga afirmou, ainda, que os projetos apresentados e todas as solicitações feitas nas secretárias de estado devem continuar sendo acompanhadas de perto.

    “Como sou um ex-deputado, tenho contato com todos os secretários e vou continuar indo às secretarias, acompanhando e cobrando, levando comigo, a tiracolo, o deputado federal Samuel Moreira, que também está empenhado comigo nestas lutas”, asseverou.

    O político informou ainda não saber se voltará à gestão da Secretaria de Governo, contudo, adiantou que continuará dando apoio ao trabalho da prefeita.

    “Ainda não resolvi o que vou fazer, mas, logicamente, vou ajudar, fazendo visitas em secretárias ou dando uma opinião sobre projetos. Afinal de contas, sou casado com a prefeita (Maria José Vieira de Camargo), não tem como não falar sobre o dia a dia da prefeitura em casa”, revelou.

    Gonzaga acrescentou que continua atrás de recurso, por meio dos governos federal e estadual, para investimentos em diversos setores e que, atualmente, a prioridade é ajudar a esposa a concluir o mandato.

    “Graças a Deus, não preciso do cargo para poder trabalhar pela cidade. Já fiquei como secretário sem nenhuma remuneração e continuo buscando o melhor para a cidade. Só quero ajudar a prefeita a terminar o mandato dela da melhor maneira possível, correspondendo aos compromissos que ela assumiu”, concluiu.

    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec
    Anglo
    EleService institucional