Assinado convênio para ponte no Marapé

353
Publicidade
Siltec





Acompanhado de sua comitiva, o prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, esteve na segunda-feira, 9, no Palácio dos Bandeirantes para assinar convênio que prevê construção de nova ponte no bairro Marapé.

Segundo a assessoria de comunicação da Prefeitura, “a liberação veio em tempo recorde, apenas dois meses após a queda da estrutura que cedeu devido às fortes chuvas de março”.

Em nota, o setor de comunicação destacou que o trabalho “não foi fácil”. A viabilização do recurso se deu por “muito trabalho e dedicação integral” da municipalidade.

A ponte do Marapé caiu na tarde do dia 10 de março. No dia 17, uma semana depois, o prefeito reuniu-se com o governador Geraldo Alckmin para apresentação do projeto preliminar de reconstrução. Um dia depois, Alckmin anunciou a autorização do repasse de R$ 671 mil para viabilização da obra.

Publicidade
Siltec

A partir do aval, técnicos e engenheiros da Prefeitura de Tatuí e da Defesa Civil do Estado de São Paulo realizaram estudos para cumprir as exigências e o detalhamento do projeto.

“Quem conhece todo o trâmite administrativo dos órgãos públicos sabe o quão rápido foi a tramitação desse projeto. Há projetos parados na Defesa Civil do Estado desde 2013 e não conseguem ser concluídos. A equipe da Prefeitura de Tatuí está de parabéns”, comentou, por meio da Prefeitura, o secretário-chefe da Casa Militar, coronel José Roberto Rodrigues de Oliveira.

Também via Executivo, ele ressaltou que a parte estrutural da construção levará em conta a análise hídrica, com impacto de vazão e projeção de crescimento do volume de água do ribeirão Manduca. “Será uma ponte para durar cem anos”, declarou o secretário-chefe, por meio da assessoria tatuiana.

O convênio prevê investimentos de R$ 876 mil na construção, sendo R$ 205 mil de contrapartida dos cofres municipais. Após obter o dinheiro, a Prefeitura informou que, para a obra começar, ainda são necessárias duas novas etapas.

A primeira delas é a aprovação, pela Câmara Municipal, do projeto de lei 11 de 2016. A matéria, que também abre crédito suplementar para construção de creches, unidade básica de saúde e investimento em iluminação pública, foi protocolada no dia 27 de abril.

Depois do aval dos vereadores, será necessária a licitação para contratação da empresa responsável pelas construções. A expectativa é de que a concorrência pública seja realizada em, aproximadamente, 30 dias. O prazo é o mesmo previsto pelo prefeito em entrevista ao jornal na semana passada.

“O poder público tem regras e procedimentos muito rígidos. É preciso cumprir todas as etapas e agir com absoluto respeito às leis. Mas, o mais difícil nós já conseguimos: levantar o recurso”, disse o prefeito, por meio da assessoria.

“Para isso, contamos com o trabalho incansável de toda nossa equipe de engenharia, com o apoio do capitão Fauze Salim Katibe, diretor da Defesa Civil do Estado, do coronel José Roberto Rodrigues, da Casa Militar, do deputado Edson Giriboni, do vice-governador Márcio França e, claro, do governador Geraldo Alckmin”, declarou Manu, em nota.

O prefeito compareceu ao evento de assinatura do convênio acompanhado do vice-prefeito Vicente Aparecido Menezes, Vicentão, e dos vereadores José Eduardo Morais Perbelini e Oséias Rosa.

“Hoje é um dia de festa para os tatuianos, momento de renovação de compromisso, de fé e de esperança. Juntos, provamos que somos capazes de superar todos os obstáculos e desafios. Contamos agora com a sensibilidade e a boa vontade de todos os vereadores da Câmara Municipal para aprovar o projeto com a máxima agilidade”, finalizou o prefeito.

No evento, Alckmin ressaltou a parceria entre município e Estado. “Iremos fazer juntos a reconstrução dessa ponte, que fica na entrada da cidade, obra complementar também à revitalização do seu principal acesso, que é a avenida Pompeo Reali”, disse.

Além de firmar convênio com Tatuí, Alckmin assinou documentos com outros 17 municípios para transferência de recursos. As verbas serão destinadas para obras de infraestrutura urbana, construção de ponte e canalização de córrego.

Ao todo, o governador firmou 23 convênios, 19 da Casa Civil e 2 da Casa Militar, totalizando R$ 11.285.408,32. Este é o sexto lote de assinatura em 2016.

“O dia mais feliz da agenda é quando a gente assina convênios, porque estamos colocando dinheiro lá na ponta, onde as pessoas vivem e têm necessidades dos recursos públicos mais rapidamente”, disse o governador, por meio de nota.

“Nessa semana, vamos fazer mais dessas assinaturas para que já deposite a primeira parcela e possa executar as obras em benefício da nossa população. Tem infraestrutura urbana, tem ponte, tem obras de recuperação das enchentes e chuvas”, adicionou.

Os convênios da Casa Civil são com Cabreúva, Caieiras, Canitar, Colina, Iperó, Itapira, Limeira, Mairiporã, Manduri, Oriente, Pederneiras, Pilar do Sul, Populina, Rafard, Vargem e Votorantim.

A Casa Militar assinou convênios com Tatuí e Guaraçai, no valor total de R$ 1,66 milhão, sendo R$ 1,41 milhão do Estado e R$ 244 mil a contrapartida dos municípios.

Em Guaraçai, os recursos serão aplicados na canalização e contenção de erosão. A obra no córrego Santo Antônio terá 107 metros de extensão e custo total de R$ 785 mil.

A cerimônia contou com presença do secretário da Casa Civil, deputado Samuel Moreira, e do deputado estadual Edson Giriboni. A assessoria de imprensa do ex-prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo, presidente do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) de Tatuí, informou, em nota encaminhada a O Progresso, que ele foi convidado a comparecer, mas não pôde estar presente por questões pessoais.

Comerciantes

Segundo a Prefeitura, comerciantes da região, que sofreram quedas importantes nas vendas devido à interrupção no trânsito causada pela queda da ponte, mostraram-se “animados” com a novidade. É o caso do Grupo Fama Gás, que fica em frente ao acesso destruído.

A gerente da loja, Zenia Santos, explica que o faturamento caiu em pelo menos 40%. “Esperamos que, com essa assinatura e a consequente liberação de verba, a ponte esteja pronta o mais brevemente possível”, disse à municipalidade.

Ouvida pela Prefeitura, a proprietária da Agropecuária Ono, Viviane Guimarães Ono, apresentou a mesma opinião.

“Este incidente está causando um grande transtorno, até mesmo alguns fornecedores estão impedidos de chegar à loja. A nossa expectativa é que tudo volte ao normal com a reconstrução da ponte”, finalizou.


Publicidade
Siltec