Artesãos torcem por impacto nas vendas com nova página

Associação produziu versão virtual da Feira de Artesanato

379
Associados recorrem à internet para retomar vendas durante a pandemia (Foto: Reprodução)
Publicidade
Da redação

Sem poder realizar a tradicional Feira de Artesanato “Tatuí Capital da Música” na Praça da Matriz, devido à pandemia há quatro meses, a Associação dos Artesãos de Tatuí lançou uma versão virtual para retomar as vendas.

De acordo com o presidente da entidade, José Teófilo de Ávila, os associados estão esperançosos de que a página provoque um “impacto financeiro positivo”.

Segundo ele, muitos dos artesãos dependem exclusivamente da Feira de Artesanato para sustentar a família. “Eles estão sofrendo muito durante a pandemia”, declara.

Desde 2017, a Feira de Artesanato é realizada na Praça da Matriz e apresenta os trabalhos desenvolvidos por dezenas de artesãos do município, como bordados, couro, costura, escultura, macramê, renda, pintura, patchwork, saboaria, suvenires e bijuterias.

Além da exposição e venda dos produtos, o evento contava com uma praça de alimentação, na qual eram comercializados salgados, sucos, acarajé, churros, crepe suíço e uma variedade de doces artesanais, remetendo ao título tatuiano de “Terra dos Doces Caseiros”.

Publicidade

Contudo, a última edição da Feira de Artesanato ocorreu entre os dias 5 e 8 de março e, conforme Ávila, desde então, as únicas vendas são feitas aos clientes assíduos, que já conhecem os artesãos e os produtos.

Para gerar renda e movimentar a economia criativa neste período, a associação contou com apoio da prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, para criar uma página no Facebook para a divulgação dos produtos. O novo canal virtual está disponível pelo link: https://bit.ly/3ewaVwt .

A página na rede social apresenta álbuns com imagens dos produtos artesanais que eram vendidos na Praça da Matriz. A nova ferramenta ainda divulga os nomes e contatos dos expositores, permitindo que os clientes tenham acesso direto a eles e possam comprar os produtos.

“Em meio à pandemia, a página virtual permite que os artesãos apresentem seus produtos e possam oferecê-los ao público, movimentando a economia criativa”, reforça a associação, em nota.

Como a maioria não possui contato com os artesãos, o canal virtual na rede social deve facilitar esse acesso aos clientes. “Esse foi o intuito de criarmos a página no Facebook”, sustenta o presidente.

A página foi feita oficialmente no dia 24 de junho. Entretanto, Ávila revela que, por enquanto, a feira virtual não está correspondendo à expectativa dos artesãos. Ele pede que a população contribua, adquirindo produtos dos associados.

“Eles estão depositando muita confiança nessa página para que, realmente, consigam atingir mais pessoas e obter resultados satisfatórios. A esperança é de que o comércio ‘gire’ novamente e alcancemos bons resultados de vendas”, reforça.

Publicidade