Área central ganhará o primeiro ‘parklet’

    Iniciativa privada investe na valorização de prédio histórico com novo espaço de lazer

    1499
    Projeto prevê novo espaço de convívio e lazer para os tatuianos, entre prédios históricos (foto: AI Prefeitura)
    Publicidade
    Siltec
    Anglo
    Alessandra Bonilha, dra
    EleService institucional

    A região central ganhará um novo espaço de convívio e lazer até o início do segundo semestre. A área, em formato “parklet”, deve ser instalada em frente à Coop – Cooperativa de Consumo, na rua Cel. Lúcio Seabra.

    A implantação do espaço foi anunciada no início do mês de abril pelo gerente da Coop, Rodrigo Correa, em reunião com a prefeita Maria José Vieira de Camargo. Na ocasião, também estiveram presentes engenheiros, arquitetos e equipe técnica da unidade. O investimento é da iniciativa privada.

    A engenheira responsável pelo projeto, Susana Gianoto, contou a O Progresso que a iniciativa partiu da diretoria da cooperativa, com o objetivo de deixar a área mais atrativa, com uma permanência maior de pessoas em um espaço de convivência, valorizando os edifícios históricos daquela região.

    “Quando pensamos no projeto, queríamos alguma coisa que não atrapalhasse a visibilidade do prédio e ajudasse a valorizá-lo. Inclusive, para a instalação do parklet estamos trazendo até materiais como o ‘tijolinho’, que vão preservar a característica do edifício”, comentou.

    Conforme Susana, o espaço ganhará iluminação na calçada para propiciar um ambiente mais agradável e seguro. “Assim, ele vai deixar de ser um local mais pacato e se tornar um espaço de convivência.  De repente, usado até para apresentação de artes”, adicionou.

    Publicidade
    Siltec
    Anglo
    EleService institucional
    Alessandra Bonilha, dra

    A instalação será feita do lado da entrada principal do estabelecimento, pela calçada da Cel. Lúcio Seabra, em uma altura ideal para que as pessoas que estiverem passando de carro também consigam visualizar o edifício.

    “O parklet não vai impedir a visualização do prédio; pelo contrário, só vai valorizar e se tornar um espaço para contemplação do edifício tombado”, garantiu a profissional.

    Segundo a equipe da Coop, a obra deve estar concluída no início do segundo semestre de 2019. A engenheira afirmou que o processo burocrático já está finalizado e, na segunda semana do mês de maio, será possível iniciar as obras, com previsão de término em junho.

    O projeto prevê nivelamento do piso com acessibilidade para pessoas portadoras de deficiência e mobilidade reduzida, instalação de bancos de concreto aparente, iluminação e acabamento no entorno do edifício com iluminação voltada ao prédio.

    Segundo a engenheira, a ideia é valorizar toda a edificação. O “ponto alto” é na Coronel Seabra, com o parklet, e também a árvore de jabuticaba que será parte do cenário.

    “Já no entorno, a gente vai fazer uma iluminação especial, que poderá mudar de cor conforme o calendário e as campanhas, como Maio Amarelo, Outubro Rosa e Novembro Azul”.

    A assessoria de comunicação da prefeitura, em nota à imprensa, informa que parklets são áreas contíguas às calçadas, com estruturas a fim de criar espaços de lazer e convívio onde anteriormente havia vagas de estacionamento de carros.

    Os primeiros parklets foram construídos em San Francisco (EUA), buscando-se criar ambientes mais “amigáveis” para pedestres e ciclistas.

    “Aqui, só não vamos tirar uma vaga de estacionamento que o conceito de parklet, mas vamos manter todos os outros pontos, como aumentar a convivência, a permeabilidade das pessoas na área e tudo mais”, acrescentou a engenheira.

    A segunda unidade da Coop em Tatuí funciona na antiga Fábrica Campos Irmãos, entre as ruas Juvenal de Campos e Santa Cruz, desde 2015. O investimento foi de R$ 20 milhões, com 132 funcionários.

    A restauração na fachada do antigo prédio foi realizada com a autorização do Condephaat (Conselho Estadual de Defesa do Patrimônio Histórico). Além do supermercado, há uma área de estacionamento, farmácia e algumas lojas comerciais.

    A Fábrica Santa Adélia, antiga Campos Irmãos, representa a segunda geração de indústrias têxteis do estado de São Paulo. Iniciou as atividades em 1908, sendo a segunda tecelagem a se instalar em Tatuí.

    O tombamento por parte do Condephaat estadual foi em 2007 e recai sobre a quadra principal, em fase de restauração, além das construções na rua Cel. Lúcio Seabra, em frente ao edifício principal. Nesse local, funciona uma agência do Banco do Brasil. Outra obra acontece, para a instalação ainda em 2019, da cooperativa de crédito Sidredi.

    Ainda conforme Susana, o projeto também foi pensado para que quem estiver no espaço de convívio possa contemplar todos os prédios históricos do entorno.

    Ela explica que, devido a uma restrição da prefeitura – que tem um manual para a implantação de parklet -, o acesso direto ao espaço só será feito pela calçada e não pela rua.

    “Haverá uma divisão entre a rua e o parklet, mas nós vamos trabalhar com uma chapa perfurada que também dá visibilidade para os outros edifícios. Quem não quiser ficar de costas para a rua pode olhar os edifícios de frente”, argumentou.

    “Gostei muito do projeto, que prevê arborização e uma bela iluminação, além da revitalização da área – que é uma referência histórica -, com novos bancos, muito bem planejados”, destacou a prefeita Maria José Vieira de Camargo, por meio de nota à imprensa.

    Gerente da unidade local da Coop, Rodrigo Correa ressaltou ser importante para a cidade, que é MIT (Município de Interesse Turístico), valorizar as áreas centrais e os pontos turísticos como os prédios históricos.

    “Acho muito importante. A prefeitura já vem tendo essa iniciativa de valorizar e revitalizar os pontos turísticos, como será feito na Praça da Santa. Então, queremos melhorar também o nosso espaço. Ali, a população vai ter um espaço para conviver, visitar e conhecer um pouco da história do município”, salientou.

    Correa ainda observou que um dos princípios da cooperativa é ajudar a comunidade a se desenvolver. “Estou há 25 anos na cooperativa, e a gente sempre pensa na comunidade. Como a gente pode fazer um bem, e ali vai ser um espaço de convívio para a comunidade e para todas as idades”, concluiu.

    Publicidade
    Siltec
    Anglo
    EleService institucional
    Alessandra Bonilha, dra