Abdução é temática central de ‘àrea Q’ com exibição no Sesi

373
Publicidade





Divulgação

O ator Murilo Rosa vive papel de fazendeiro abduzido

 

A história do fazendeiro João Batista (interpretado pelo ator Murilo Rosa) abduzido por seres extraterrestres é o tema central de filme que tem exibição em Tatuí por meio do projeto cultural do Sesi (Serviço Social da Indústria).

O longa-metragem “Área Q” tem sessão gratuita a partir das 14h, no CAT (Centro de Atividades) “Wilson Sampaio”.

Publicidade

O filme é um dos oito finalistas da edição 2013 do “Prêmio Fiesp/Sesi de Cinema”. De acordo com a assessoria do Sesi, neste ano, o evento ganhou “dimensão nacional”. Ao todo, 53 unidades do Serviço Social da Indústria exibem os longas.

“Área Q” não é recomendado para menores de dez anos. O filme, rodado em 2010, conta a história do fazendeiro que, depois de ser raptado por extraterrestres, retorna com poderes que fazem com que se “torne um mito local”.

A história tem sequência com a chegada do jornalista investigativo Thomas Mathews (vivido por Isaiah Washington), duas décadas depois.

Enviado por um jornal norte-americano para desvendar os relatos de óvnis (objetos voadores não identificados) na região, o repórter ainda sofre pelo misterioso desaparecimento de seu filho, ocorrido pouco tempo antes.

Ao entrevistar algumas pessoas abduzidas, Mathews percebe que há fundamento no relato delas. O jornalista também chega à conclusão de que, de alguma forma, os eventos na região estão ligados ao sumiço do menino dele.

A obra de ficção tem 1.087 minutos de direção e acabou sendo eleita na categoria “melhor montagem” (para Helgi Thor e David Davidson), pelo prêmio.

Outros três filmes que integraram o mesmo concurso terão exibição em Tatuí, às quintas-feiras, em horários diferentes.

No dia 19, às 14h, será a vez de “Corações Sujos”, que conta a história do imigrante japonês Takahashi (Tsuyoshi Ihara), dono de uma pequena loja de fotografia no interior de São Paulo.

Casado com Miyuki (Takako Tokiwa), uma professora primária, ele se transforma, de um homem comum, em um assassino. A mulher dele “luta contra o destino, tentando em vão salvar seu amor em meio ao caos e à violência”.

Na semana seguinte, dia 23, o Sesi recebe o longa-metragem “Era uma Vez Eu, Verônica”. Com exibição a partir das 19h30, o drama conta a história de Verônica, recém-formada em medicina, nascida e criada no Recife.

A personagem atravessa “um momento pleno de incertezas, sobre escolha profissional, laços afetivos e, em especial, a capacidade de lidar com a vida nova que se aponta”, após a conclusão do curso.

Já no dia 3 de outubro, o Sesi traz o longa “Sudoeste”, a partir das 14h. A história desenrola-se numa “vila isolada do litoral, onde tudo parece imóvel”.

Lá, a personagem Clarice “percebe a vida durante um único dia, em descompasso com as pessoas que ela encontra e que apenas vivem aquele dia como outro qualquer”.

Todas as exibições têm entrada franca. Mais informações, pelo fone: 3251-1732.


Publicidade