50 dos 150 que atuam na segurança do municí­pio aderem í  ‘malhação’

496
Publicidade





Um terço dos guardas civis municipais está praticando atividades físicas uma hora antes ou uma hora depois do expediente. Os 50 – dos 150 – membros da corporação municipal aderiram há aproximadamente 15 dias a um programa que visa o “aperfeiçoamento na área física e em defesa pessoal”.

Conforme explicou o secretário municipal da Segurança Pública e Mobilidade Urbana, José Alexandre Garcia Andreucci, o projeto faz parte do planejamento de trabalho colocado em prática pela administração da prefeita Maria José Vieira de Camargo.

Em janeiro, Andreucci instituiu ações que têm como meta estabelecer uma “nova visão” para o trabalho da corporação. A ideia é inserir a Guarda cada vez mais no contexto de “polícia comunitária”.

Para isso, com apoio da cúpula da corporação, Andreucci apresentou plano de trabalho, incluindo ações de curto, médio e longo prazo, começando em janeiro.

Publicidade

“Além da valorização da GCM, com o aprimoramento profissional, reativamos projetos como a banda da corporação e idealizamos a ação de aperfeiçoamento físico, o que inclui defesa pessoal dos integrantes da Guarda”, disse.

Para colocar o projeto em prática, o secretário e o diretor da GCM, Francisco Carlos Severino, estabeleceram contato com a secretária municipal da Educação, professora Marisa Aparecida Mendes Fiúsa Kodaira, e obtiveram a “cessão” do professor e preparador físico Altair Benedito Vieira.

“A corporação constitui importante instrumento na preservação da ordem pública e faz parte de uma categoria profissional cujo trabalho direto é considerado estressante, desgastante para a pessoa que o exerce”, argumentou o secretário.

Por conta da “natureza da atividade”, que envolve risco, Andreucci disse que a administração passou a proporcionar capacitação psicológica (por meio de palestras) e física (com aulas de condicionamento físico e musculação).

De acordo com o secretário, a participação no programa de condicionamento físico traz efeitos além da melhora física. Andreucci citou que proporciona “destreza e condições adequadas para o atendimento de ocorrências”.

Os guardas inscritos no projeto fazem as chamadas aulas funcionais (corrida, natação, caminhada, alongamentos individuais, além de massagem antiestresse) e prática de artes marciais. Estas oferecidas em parceria com a Academia Ronin de Karatê de Contato Shinkyokushin, por meio de voluntariado.

Nos próximos meses, Andreucci disse que o comando da GCM pretende instituir competições entre o efetivo, com premiações para os que obtiverem melhor resultado físico.

O projeto está na terceira semana e conta com a ajuda de colaboradores. As aulas de artes marciais, por exemplo, são ministradas por voluntários e oferecidas nas horas de folga dos guardas.

O projeto prevê aulas de capoeira e judô, visando garantir que o efetivo absorva “os principais golpes de cada arte”. “Do judô, esperamos que eles aprendam qual é o melhor golpe para derrubar uma pessoa e imobilizá-la; da capoeira, o melhor para fugir de um ataque. Então, de cada arte, vamos tentar tirar o melhor, mas sem a pretensão de torná-los especialistas”, disse o secretário.


Publicidade