16ª Mostra de Artes Cênicas tem encerramento com “Nós[otros]”

Programação reúne peças teatrais produzidas ao longo de 2019

394
Cena do espetáculo “Maroquinhas Fru Fru”, encenado na tarde deste domingo (foto: AI Conservatório)
Publicidade
Da redação

O Conservatório de Tatuí encerra neste domingo, 8, a 16ª Mostra de Artes Cênicas, com apresentação das principais peças teatrais produzidas ao longo de 2019 pelas diversas turmas do curso de teatro da instituição.

A programação deste ano traz sete espetáculos, com temas infantis e adultos. As apresentações são realizadas no teatro “Procópio Ferreira”, às 15h e 20h, todas com entrada gratuita. Os ingressos já podem ser retirados.

A programação começou na quinta-feira, 5, com “História de Lenços e Ventos”, obra de Ilo Krugli (falecido em setembro deste ano), produzida por alunos do primeiro ano do curso de teatro adulto da escola.

Na sexta-feira, 6, às 15h, alunos do primeiro ano do curso de teatro juvenil apresentaram “Chiquita Bacana no Reino das Bananas”, texto de Reinaldo Maia. No mesmo dia, às 20h, alunos do curso de aperfeiçoamento em performance encenaram “Perfoda-se”, com roteiro produzido coletivamente pela turma, sob a orientação do professor João Armando Fabbro.

Já neste sábado, 7, às 15h, alunos do segundo ano de teatro juvenil interpretam “Annie”, obra de Thomas Meehan. O ano é 1933 e a cidade de Nova York enfrenta a época histórica chamada de Grande Depressão.

Publicidade

Annie é uma menina de 11 anos que mora em um orfanato e cultiva a esperança de ter uma vida melhor. Miss Hannigan, que administra o orfanato com mão cruel e implacável, fará tudo para impedir Annie de encontrar a felicidade.

Mas, o destino tem outros planos para a menina. A peça tem classificação livre, direção das professoras Erica Pedro e Adriana Afonso, e supervisão musical de Joseval Paes.
Mais tarde, às 20h, a turma do segundo ano de teatro adulto apresenta “Barrela”. Escrito em 1958, é o primeiro texto conceituado do dramaturgo Plinio Marcos.

A peça conta o drama de 13 presos que dividem um pequeno espaço. Os conflitos se acirram com a chegada de mais um preso, apelidado de “Garoto”. Também chamado de “Carne Nova”, ele acaba violentado pelos demais. A direção é do professor André Luiz Camargo, com assistência de Flavio Melo e Thiago Leite. A classificação indicativa é para maiores de 16 anos.

No domingo, 8, às 15h, alunos do terceiro ano de teatro juvenil encenam “Maroquinhas Fru Fru”, obra da Maria Clara Machado. A história se passa na praça de uma cidade qualquer onde é realizado um concurso de bolos.

Todas as boleiras da cidade estão ansiosas, pois o prêmio é um belo colar de pérolas. Maroquinhas Fru Fru vence a disputa, só não imaginava a dor de cabeça que isso lhe traria. Com direção geral da professora Dalila Ribeiro e direção musical de Joseval Paes, a obra tem classificação livre.

A Mostra de Artes Cênicas termina no domingo, às 20h, com o espetáculo “Nós[otros]”, escrito e produzido por alunos do terceiro ano de teatro adulto, sob a direção do professor Flávio Melo.

A peça narra passagens da vida de quatro personagens em perspectivas temporais diferentes. A história de Rosa e Lucas é contata do dia do nascimento até a morte, quanto a história de Helena e Horácio é contada do dia da morte até o nascimento.

Com isso, “os atores buscam (re)alocar conceitos de tempo, linearidade, teatro e realidade”. A obra é indicada para maiores de 14 anos.

A Mostra de Artes Cênicas do Conservatório de Tatuí reúne os principais trabalhos desenvolvidos em sala de aula por alunos e professores. “O objetivo é efetivar o fenômeno teatral, que só se dá na presença do público. É também a oportunidade de realizar um exercício de interdisciplinaridade, unindo os alunos dos cursos de formação de atores com os alunos das oficinas de maquiagem, iluminação, cenografia, o som em cena e direção – todos em torno de um mesmo trabalho de criação”, comenta a coordenadora da área, Fernanda Mendes.

Em sua 16ª edição e no ano em que o Conservatório de Tatuí celebra os 65 anos de fundação, a Mostra de Artes Cênicas homenageia os mestres (in memoriam) Antonio Mendes e Carlos Ribeiro, artistas que tiveram papel fundamental na criação, estruturação e expansão do Setor de Artes Cênicas na escola.

Mendes foi ator, diretor, professor e sonoplasta. Iniciou as atividades artísticas em 1974, em Mococa (SP). Em 1978, veio para o Conservatório de Tatuí, onde contribuiu para a formação de diversos atores consagrados. Coordenou o Setor de Artes Cênicas da instituição de 1988 a 2007.

Ribeiro foi ator, diretor, iluminador e professor teatral. Teve a primeira experiência nos palcos em 1977, no 1º Festival Estudantil de Teatro, promovido pelo Conservatório de Tatuí.

Frequentou o curso de teatro da instituição até 1984, profissionalizando-se e aperfeiçoando-se posteriormente com outros grandes mestres. Coordenou o Setor de Artes Cênicas do Conservatório de Tatuí entre 2009 e 2015.

Publicidade