Municí­pio possui quatro candidatos estaduais já registrados em tribunal

617
Publicidade





Amanda Mageste

Coelho acredita que religião e assistencialismo vão ajudá-lo na busca por votos

 

Dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) apontam (até terça-feira, 22, às 13h30) que há quatro candidatos a deputado estadual e um a federal concorrendo pelo município e região.

Conforme o TSE, o ex-prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo (PSDB), o vereador José Márcio Franson (PT), o engenheiro agrônomo Márcio Medeiros (PHS) e o pediatra João de Oliveira Filho (PTB) concorrem ao cargo para deputado estadual. Para cadeira federal, concorre o ex-secretário municipal Marcos Rogério de Campos Camargo (Marcos Quadra – PRB).

Publicidade

Todos os candidatos estão “aguardando julgamento”, com os pedidos para concorrerem às eleições de 2014 ainda a serem avaliados.

Apesar de o registro ainda não constar no portal do TSE, Auro de Jesus Soares Coelho (PMDB) também concorrerá a deputado estadual por Tatuí e região. O candidato afirmou que já participou de homologação e que o nome dele deve constar no registro em breve.

Coelho é funcionário do Fundo Social de Solidariedade e pediu afastamento para concorrer às eleições no dia 5 de outubro. De acordo com ele, “o trabalho com a sociedade deve ajudá-lo a conseguir 35 mil votos para ser eleito”.

Conforme ele, após anunciar que seria candidato a deputado estadual, houve “comentários” de que estaria sendo “usado” para tirar votos de outros possíveis concorrentes.

Coelho afirmou que não irá concorrer para prejudicar outras pessoas, e, sim, “para trabalhar”, que comentários sobre isso são “especulações querendo atrapalhá-lo” na candidatura e que a intenção dele é, realmente, ser eleito.

“Desde o momento que uma pessoa se torna pessoa pública, esses comentários irão sair. Já ouvi pessoalmente pessoas falando: ‘Olha, Auro, você vai ser usado pelo seu partido para tirar votos de candidato do partido oposto’”, afirmou Coelho.

A proposta da candidatura dele, surgiu do prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu. Coelho afirmou que o prefeito telefonou-lhe, dizendo que ele fora escolhido pelo partido para concorrer às eleições.

De acordo com o candidato, a princípio, ele declinou de aceitar a proposta, porque estava “decepcionado com a política a nível municipal”. Mas, após alguns dias, decidiu que era momento de voltar à política.

Ele foi candidato a vereador em 2012, mas não foi eleito. “Tive 900 votos, fiquei suplente e não entrei por causa da legenda. Tiveram vereadores que tiveram menos votos que eu e entraram”, salientou.

“Eu queria retomar a candidatura ao Poder Legislativo, mas, de repente, é uma oportunidade que estou tendo para mostrar os meus projetos, o meu trabalho”, declarou.

Coelho disse que, apesar da dúvida inicial, agora ele se sente maduro para concorrer a deputado estadual. Um dos motivos que o fizeram aceitar, salienta, seria para que os eleitores tivessem opções de “votar em políticos de ficha limpa”.

“Todo político fala que é honesto, mas, acho que, por eu ser de roça, de sítio, e minha família ser totalmente honesta, acho que herdei essa parte, e é o que o prefeito enxergou, o que o partido enxergou”, afirmou.

Segundo Coelho, ele já possui um eleitorado “definido”, pois é missionário evangelizador, o que ajudaria a “conhecer mais pessoas e apresentar propostas e metas de trabalho”. Além disso, o candidato acredita que o voluntariado em entidades assistenciais auxiliará na campanha.

A meta do candidato, caso seja eleito, é “buscar recursos para beneficiar a Saúde e Educação da cidade e região”.

Coelho adiantou que fará campanha por meio da internet e de líderes de bairros e comunidades. De acordo com ele, desde a semana passada, já está visita cidades vizinhas para conseguir apoio e votos.

Também sustentou que terá apoio do PMDB. “Vou ter um vínculo emprestado pelo partido para estar saindo às ruas”.

Coelho não montará o próprio escritório político, segundo ele, por falta de verba. Deverá utilizar o mesmo espaço que o candidato a deputado federal Marcos Rogério de Campos Camargo (PRB).

De acordo com Coelho, na cidade, o apoio mais forte dele parte do prefeito Manu. “Eu sou candidato do PMDB, chapa única. Até o presente momento, sou candidato do prefeito. Nenhum outro vai se candidatar”, garantiu.

Outras candidaturas

Rogério de Jesus Paes (PTC) e Leandro de Camargo Barros (PSB) também devem ser candidatos a deputado estadual. Porém, até às 13h de terça-feira, 22, a reportagem não conseguiu contato com eles e com Oliveira Filho, cuja candidatura já foi registrada no TSE.


Publicidade