Mulheres continuam representando mais de 50% do eleitorado tatuiano

466
(Foto: Divulgação)
Publicidade
Da reportagem

Dados divulgados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) mostram que 90.608 eleitores estão aptos a votar nas eleições municipais deste ano. O número é 8,42% maior que nas eleições de 2016, quando 83.564 cidadãos estavam aptos.

Segundo as estatísticas do órgão, as mulheres continuam sendo maioria. Há quatro anos, elas já representavam mais da metade do total, e, atualmente, chegaram a 52,4%. São 47.459 mulheres, 43.142 homens (47,6%) e sete não identificados (0,008%).

A maioria do eleitorado (10,75%) tem entre 35 e 39 anos. A faixa etária possui 9.747 pessoas cadastradas no município. Já os eleitores acima de 70 anos, para os quais o voto é facultativo, representam 10% (9.121) do eleitorado. Os jovens de 16 e 17 anos, que também votam de modo facultativo, totalizam 0,35% (321).

Quanto ao grau de escolaridade, 33,19% (30.076) têm o ensino médio completo, 22,5% (20.384), o ensino fundamental incompleto, 13,49% (12.223) cursaram o superior, 10,67% (9.670) não completaram o ensino médio, 6,79% (6.155) fizeram ensino fundamental, 6% (5.438) leem e escrevem, 4,45% não completaram o superior e 2,91% (2.634) se declararam analfabetos – público que não tem a obrigatoriedade de votar.

Os eleitores que afirmaram ter algum tipo de deficiência somam 3,57% (3.238) e aqueles que usarão o nome social nas urnas – direito conquistado em 2018 – correspondem a menos de 1% do eleitorado (18).

Publicidade

Ainda segundo o órgão, 87% (78.834) do eleitorado local aderiram ao recadastramento biométrico. Contudo, o TSE informou que, por causa da crise do gerada pelo novo coronavírus, a biometria será excluída do pleito.

Os eleitores de 586 municípios paulistas onde o cadastramento biométrico foi obrigatório serão identificados da forma tradicional. Conforme o TSE, a identificação pela digital pode aumentar a probabilidade de infecção, já que o leitor biométrico não pode ser higienizado com frequência. Além disso, a ação geraria filas maiores, ocasionando aglomerações.

A decisão foi anunciada no início do mês de julho, quando o Congresso Nacional aprovou a proposta de emenda à Constituição (PEC) 18/2020, que alterou a data do primeiro e do segundo turno de outubro para, respectivamente, 15 e 29 de novembro.

“O objetivo foi propiciar maior segurança sanitária a todos os participantes do processo eleitoral, em razão da pandemia do coronavírus”, segundo informou a assessoria de comunicação do TSE.

A alteração teve impacto em todo o calendário eleitoral, que passou a contar com novos prazos. No período de 31 de agosto a 16 de setembro, por exemplo, serão realizadas as convenções partidárias para a formação de coligações e escolha de candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador.

Já o prazo final para os pedidos de registro de candidatura ficou em 26 de setembro, sendo que, após essa data, será liberada a propaganda eleitoral.

O cadastro eleitoral se encontra fechado desde 6 de maio. Assim, as solicitações de alistamento eleitoral, revisão (mudança de endereço e demais dados cadastrais) e transferência de domicílio eleitoral (mudança de cidade de votação) não podem ser mais realizadas. Outros serviços seguem disponíveis no site do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP).

Estado

O estado de São Paulo conta com 33.564.294 eleitores aptos a votar nas eleições municipais de 2020, sendo o maior colégio eleitoral do país. Houve aumento de 2,69% do eleitorado paulista em comparação às eleições municipais de 2016. Na capital, totalizam-se 8.986.687 eleitores aptos, sendo também o município com maior eleitorado do Brasil.

Em todo o país, 147.918.483 eleitores estão aptos a votar. Desse total, há 133.377.663 eleitores com voto obrigatório e outros 14.538.651 com voto facultativo.

A maioria do eleitorado nacional também é formada por mulheres, que representam 52,49% do total, somando 77.649.569. Os homens somam 70.228.457 eleitores, sendo 47,48% do total.

Publicidade