Morre em Tatuí o seresteiro Roberto Rosendo de Camargo

Artista foi compositor, violonista, cantor, compositor e poeta

18
Roberto Rosendo de Camargo – o seresteiro de Tatuí (foto: Arquivo pessoal)
Publicidade
Da redação

Faleceu na tarde desta segunda-feira, 5, aos 79 anos, o compositor, cantor, poeta e seresteiro tatuiano Roberto Rosendo de Camargo. Ele estava internado no hospital da Unimed de Tatuí desde o dia 27 de junho, com pneumonia e infecção de urina.

De acordo com a família, o quadro de saúde dele agravou-se nas últimas horas. O corpo é velado no Velório Municipal das 11h30 às 13h30 e será sepultado em seguida no Cemitério Cristo Rei, nesta terça-feira, 6.

No dia 29 de maio de 2011, Rosendo sofreu um AVC (acidente vascular cerebral), após um show no Hotel Jerubiaçaba, em Águas de São Pedro. Ele caiu e bateu fortemente a cabeça em uma das escadas do local.

Foi socorrido e levado ao Hospital dos Fornecedores de Cana, em Piracicaba. Desde então, ficou em tratamento, na residência dele, sob os cuidados da família e profissionais de saúde.

Rosendo nasceu em Santo Anastácio, interior de São Paulo, em 18 de dezembro se 1941. Filho de Francisco Rosendo de Camargo e Georgina Ferreira de Camargo e irmão de Renato, Ruth e Rachel. Casado com Eni Gabriel Luz de Camargo, pai de Marcos Demian e avô de Marcos Vinicius e André Henrique.

Publicidade

Formou-se professor em estudos sociais, história e geografia, em 1971, pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. É sócio do Lions Clube de Tatuí, desde 1º de novembro de 1989, sendo o autor do Hino do Cinquentenário desse clube de serviço. Seu padrinho foi Gilberto Mercadante.

Também foi associado honorário do Rotary Clube de Tatuí, no período de 1º de junho de 1993 a 30 de junho de 2015, e sócio fundador do Clube de Poesia de Tatuí, filiado à Asseta, Faculdade de Filosofia.

Membro da Confraria dos Poetas” de Porto Alegre (RS), pertence aos quadros das Lojas Maçônicas “ARLS Caridade III” e “ARLS União Fraterna”, de Tatuí, atingindo o grau 33 para o REEA (Rito Escocês Antigo e Aceito) do Grande Oriente do Brasil, em 25 de novembro de 1995.

Foi apresentador de TV, do programa “Entre Amigos”, da TV Convenção, de Itu.; radialista da então rádio Difusora AM de Tatuí (atualmente Notícias FM; colunista social do jornal Integração, de Tatuí, e correspondente do jornal O Estado de São Paulo.

Iniciou a carreira profissional como escriturário no banco Moreira Sales, onde seguiu em Tatuí até o cargo de subgerente e, depois, gerente nas cidades de Jaú, Avaré Tietê e Boituva. Aposentou-se como gerente-geral em Sorocaba, em setembro de 1993.

Desde os cinco anos, conforme a família, já dizia que, ao crescer, seria compositor de músicas. Foi violonista, cantor, compositor, declamador, trovador e poeta. Estudou canto lírico no Conservatório de Tatuí, com o professor Francesco Ferry.

Preferiu dedicar-se à música popular. Como cantor e compositor, participou de dezenas de festivais dessa categoria, regional, seresta e sertaneja, obtendo o primeiro lugar como o “melhor intérprete da música sertaneja no estado de São Paulo”, na TV Cultura, em 1982.

Também foi um dos dez finalistas (entre 2.600 músicas) no Festival Nacional Rímula, de Música Regional, no Teatro Olímpia, em São Paulo, realizado pelo SBT em 1989.

Obteve seis primeiros lugares no Festival de Seresta de Tatuí e o primeiro lugar em festivais de MPB nas cidades de Rafard, Capivari, Capão Bonito, Itapetininga, Sorocaba, Santa Bárbara D’Oeste e Campinas, além de inúmeros programas de televisão em São Paulo, como “A Grande Chance”, de Flávio Cavalcanti (TV Tupi).

Conquistou 48 troféus como cantor e compositor na caminhada musical. Gravou seis CDs, sendo cinco com músicas de sua autoria e o denominado “Seresta”, com clássicos do gênero.

O primeiro LP foi produzido por Tonico e Tinoco – padrinhos dele -, em 1986. É o autor dos hinos oficiais dos municípios de Cerquilho (05/09/1984) e Boituva (27/09/1991).

Em 2011, lançou o livro “UNI… VERSOS… e eis a hora da ceifa dos meus versos”, no qual a professora Leila Salum Menezes da Silva, assinando o prefácio da obra, acentua:

“Rosendo não é um homem distante. Nem a imagem erudita de uma figura. Nem o tipo complexo de alguém. Não! É muito próximo. Pelo poder da linguagem e da imaginação, revela dons de malabarista. Descreve com emoção poética “Curvando-se, respeitosa, diante da coletânea de poesia ante a glória imperecível de seus versos.”

No site Vagalume, 87 composições de Roberto Rosendo podem ser apreciadas: “A Cartinha”, “A Espera do Amor Ausente (Prelúdio”), “A Noite e o Mar”, “A Vida é Bela”, “Aconchego”, “Adeus Capital Paulista”, “Adoniram – Poeta do Povo”, “Andréia”, “Antes que Acabem as Flores”, “Ave Maria dos Lavradores”, “Benito”, “Bailão da Terceira Idade”, “Bicho Peludo”, “Bimbo”, “Bodas de Ouro”, “Bolso de Moleque”, “Bons Tempos na Fazenda”, “Canarinho Cantador”, “Canção da Mérida”, “Canção da Rosa”, “Canção de Embalar Saudade”, “Canção do Poeta e Guerreiro”, “Canção em Parceria”, “Canta, Canta, Coração”, “Cantador Descuidado”, “Casa de Açúcar”, “Casinha Abandonada”, “Chora Viola Roberto Rosendo”, “Choro do Bancário”, “Cidadezinha”, “Ciúme e Despeito”, “Como Eu Queria”, “Convivência”, “De Braços Abertos”, “Dias Felizes”, “Dona Saudade”, “É Bem Capaz que Ele Não Volte Mais!”, “E Eu C’o Meu, E Ela C’a Dela”, “Enxugue as Lágrimas”, “Festa de Batizado”, “Festa Junina (Domingo na Freguesia)”, “Flor-Canção”, “Forró do Rala-Coxa”, “Gamado”, “Hino a Boituva”, “Hino a Cerquilho”, “Hino de Centenário de Nascimento de Paulo Setúbal”, “Hino do Jubileu de Ouro do Lions Clube de Tatuí”, “Hora de Partir”, “La Mexicanita”, “Lembra?”, “Manhã no Pantanal”, “Manhãs Ensolaradas”, “Menina da Esquina”, “Metades”, “Meu Ranchinho”, “Minha Despedida”, “Motivo de Canção”, “Nunca É Tarde para Ser Feliz”, “O Aprendiz”, “O Esquecido”, “O Filho do Arnesto”, “O Lenço Vermelho”, “O Sonhador”, “O Tempo Deixa Prá Depois”, “Patrícia”, “Presente de Natal”, “Quando Fa Notte”, “Quebrou o Pau no Galinheiro”, “Quem Diria”, “Quero Voltar”, “Réquiem para um Alcoólatra”, “Saudade da Paraíba”, “Saudade de Tatu”, “Saudade do Trem das Onze”, “Saudade Violada”, “Só Nós Dois, Violão E o Luar”, “Taboada do Amor”, “Tempestade”, “Um Certo Sorriso”, “Um Sonho Tão Bom”, “Valete de Espadas”, “Vestido Branco (Sonho de Verão)”, “Vida que Te Quero Vida”, “Viva A Vida”, “Vozes da Floresta” e “Xote do Aposentado”.

Publicidade