Moradores realizam manifestação contra prisão feita pela GM

309
Publicidade





Johnny Salles

 

Uma manifestação feita por 50 moradores do Jardim Gonzaga interditou trecho da rodovia Mário Batista Mori (SP-141), que liga Tatuí a Cesário Lange, na entrada do Jardim Gonzaga na tarde de sexta-feira, 1o. Os protestantes atearam fogo em pedaços de madeira e pneus para suspender o trafego de veículos do local.

O protesto ocorreu por conta da prisão de José Aparecido da Silva, 19. Segundo os manifestantes, ele teria sido agredido durante abordagem feita pela GCM (Guarda Civil Municipal).

Publicidade

“Eles (os moradores) alegaram que ele (Silva) estava com a clavícula quebrada. Porém, se realmente houve algum problema, o delegado o teria encaminhado para o pronto-socorro municipal”, afirmou o comandante da GCM, José Carlos Ferraz Fiuza, ao ser procurado para comentar a razão do protesto.

A Polícia Militar esteve no local e informou que os manifestantes pediram a presença de equipe jornalística de uma emissora de televisão para produzir uma matéria sobre o caso.

O capitão da PM, Lincoln Estanagel de Barros, disse a O Progresso que os moradores “tiveram a reivindicação atendida”. A manifestação começou por volta das 13h e durou uma hora. O Corpo de Bombeiros esteve no local para apagar o fogo.

“Foi uma manifestação pacífica. A Polícia Militar Rodoviária também esteve presente e realizou um desvio para o protesto não atrapalhar o trânsito do local”, contou o capitão.

A prisão de Silva teria ocorrido na quinta-feira, às 13h, perto de um terreno baldio no Jardim Gonzaga. O caso foi registrado na Delegacia Central. Segundo o boletim de ocorrência, soldados da GCM foram até o local após denúncias anônimas.

O suposto traficante estaria perto de um muro com a inscrição “da ponte pra cá”. Quando uma viatura da corporação chegou ao ponto indicado, Silva teria fugido a pé, largado uma sacola plástica no local e entrado numa chácara.

De acordo com o boletim de ocorrência, os soldados da GCM utilizaram “força física moderada para contê-lo”. Durante a abordagem, consta no BO, que o preso teria “investido contra a GCM” e “gritado para conhecidos que ali compareceram e começaram a atirar pedras e pedaços de ‘pau’ contra os agentes”.

A situação teria sido controlada com a chegada de mais soldados no local. Na sacola plástica deixada no terreno baldio, a GCM teria encontrado sete porções de cocaína e 89 pedras de crack.

No registro feito na delegacia ainda consta que Silva é “pessoa conhecida dos polícias pela prática de tráfico de entorpecentes, inclusive, tendo sido apreendido quando adolescente”.

O suposto criminoso foi preso em flagrante e responderá pelo crime de tráfico de drogas.


Publicidade