Moradores do Colina criam associação para aumentar segurança

574
Publicidade





Instalar câmeras de monitoramento 24 horas e contratar empresa de vigilância particular para rondas estão nos planos da AMO (Associação de Moradores) do bairro Colina Verde. Criada a partir de mobilização de moradores, a entidade apresentará os planos em reunião na próxima segunda-feira, 4.

As primeiras reuniões tiveram início no ano passado. Entretanto, a associação só se concretizou em julho deste ano, com a obtenção de CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).

De acordo com o primeiro-secretário da AMO, Gustavo Luciano de Campos, a associação surgiu após “diversos acontecimentos”. Entre eles, a queda da ponte da rua Caridade III. Segundo Campos, a partir daquele fato o “número de furtos em residências no bairro aumentou”, gerou comoção entre os moradores.

No ano passado, o bairro passou a ser alvo de bandidos – registrando o primeiro “arrastão” em um restaurante – e furtos e assaltos a diversas residências. Em função disso, os moradores decidiram pela criação da associação.

Publicidade

Ainda em 2013, os residentes haviam se reunido para decidir quais medidas poderiam ser tomadas para melhorar a segurança do bairro. Segundo Campos, vereadores, policiais militares e guardas civis municipais participaram do encontro.

Na ocasião, ele decidiram que a criação da AMO seria a “melhor atitude a ser tomada no momento”. Desde então, os moradores e membros da associação trabalharam para a formalização. A partir deste mês, eles trabalharão na divulgação das ações pretendidas junto aos residentes para obtenção de apoio.

A primeira decisão é a instalação de câmeras de monitoramento 24 horas. Campos afirmou que a sugestão será apresentada aos moradores e discutida. “Em princípio, pensou-se em contratar uma empresa, mas o custo de adesão sairia caro. A ideia, portanto, é montar algo caseiro, colocar gravadores e câmeras em algumas casas e pontos do bairro”, afirmou o primeiro-secretário.

De acordo com ele, após a associação estar estruturada, os membros poderão contratar empresa especializada em segurança e colocar rondas no bairro. A diretoria também tem planos de realizar outras mudanças no local, com “projetos de limpeza, intervenções no trânsito, com foco em educação, cultura, lazer e estilização do bairro”, segundo antecipou o primeiro-secretário.

A primeira reunião da entidade, após a formalização, será realizada às 19h30, na rua Rotary Club, 491. Segundo Campos, ela servirá como uma espécie de “campanha de adesão” para apresentar a diretoria e explicar os objetivos da associação, fixando, também, uma taxa de contribuição para iniciar os projetos.

De acordo com o primeiro-secretário, a AMO é uma associação sem fins lucrativos. A entidade é mantida pela contribuição dos associados e por donativos. “Portanto, para que os projetos possam ser realizados, é necessária a união e adesão do maior número de moradores, o que trará civilidade, melhor qualidade de vida e valorização do bairro”, concluiu Campos.


Publicidade