Michel Temer oficializa Skaf ao governo

359
Publicidade





Cristiano Mota

Vice-presidente da República chega ao evento acompanhado de pré-candidato, prefeito Manu e autoridades

 

O vice-presidente da República, Michel Temer, oficializou a pré-candidatura do empresário Paulo Antônio Skaf ao governo do Estado de São Paulo. A confirmação de nome próprio do PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) aconteceu em Tatuí, na manhã de sábado, 19.

A legenda realizou, na cidade, o 7º Congresso Regional de Vereadores e Lideranças Municipais do PMDB de São Paulo. Ele encerrou ciclo de evento promovido pelo partido em sete regiões do Estado no qual Skaf teve “cadeira cativa”.

Publicidade

Os congressos preparatórios tiveram como objetivo estruturar e orientar a articulação partidária com foco nas eleições de 2014. Mais que isso, serviram para que a legenda pudesse divulgar o nome de Skaf entre os correligionários.

Com o slogan “Forte no Brasil, Forte em São Paulo”, o PMDB mobilizou seus membros em uma série de encontros iniciada em Indaiatuba, tendo sequência em Ribeirão Preto, São José dos Campos, São Caetano, Cedral e Bauru. Em Tatuí, membros do partido de 86 cidades acompanharam o evento.

O prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, deu as boas-vindas a Temer e a Skaf, que estiveram acompanhados de “grandes nomes” do partido. Entre eles, o presidente estadual, deputado Baleia Rossi, e o ex-prefeito de Sorocaba, Renato Amary.

Eles ocuparam assento na mesa de autoridades, ao lado do deputado estadual Itamar Borges; da vereadora da cidade de Itu Balbina de Oliveira de Paula Santos; do deputado federal Edinho Araújo; e do deputado estadual e secretário-geral do PMDB, Jorge Caruso. O vice-prefeito de Tatuí, Vicente Aparecido Menezes (PT), também participou.

O cerimonial anunciou a chegada do vice-presidente da República às 10h, uma hora e meia depois do início do credenciamento. O evento, que estava marcado para as 9h, começou às 10h10, conduzido por Baleia Rossi.

Ele abriu o evento apresentando números aos correligionários. Mostrou um mapa do Estado de São Paulo com pontos representando membros do partido. “Eles representam a força do PMDB no Estado”, destacou.

O deputado também citou exemplos de modelos de gestão – projetos realizados pelas prefeituras de Indaiatuba, Agudos e Paulínia. Apresentou três “cases” (projetos em segurança pública, mobilidade urbana e polo de cinema, respectivamente) e afirmou que, “das cidades com maior IDH (índice de desenvolvimento humano) do Brasil, 20 são administradas pelo partido”.

Também falou sobre a importância de os correligionários participarem de cursos de formação política e sustentou que o PMDB vive um “momento muito bom”.

Rossi divulgou, ainda, mais números. Disse que 20 milhões de pessoas superaram a pobreza por conta de ações do governo federal, do qual o partido faz parte, e que o país já gerou mais de quatro milhões de empregos (sem mencionar o período).

Em outra abordagem, ainda se tratando de números, Rossi apresentou resultados de pesquisa do Instituto Datafolha finalizada no dia 28 de junho e publicada pela “Folha de S. Paulo”.

Na pesquisa, Alckmin havia obtido 40% das intenções de voto, Skaf estava com 19%, Gilberto Kassab (PSD) tinha 6% e Alexandre Padilha (PT), 4%.

Segundo Rossi, a queda de Alckmin (que havia saído de 52% das intenções de voto na simulação anterior) mostra uma “tendência” e uma vantagem ao partido.

O presidente estadual afirmou que a legenda tem “histórico em superação”, citando os percentuais de Orestes Quércia e Luiz Antônio Fleury Filho. De acordo com ele, eles “saíram com 1% e venceram”.

Manu foi a segunda autoridade a falar. Ele saudou o evento como “aberto a políticos de todas as cores partidárias”.

Disse que estava orgulhoso em receber e encerrar o encontro que marcou a “renovação do partido”. Também conclamou os membros da legenda para trabalharem pelo nome de Skaf.

Ainda em pronunciamento, Manu falou sobre a outorga que regulamentou o aeroporto (aeródromo) de Tatuí. Conforme o prefeito, a medida permitirá que o município possa participar do 2º Plano de Regulamentação Civil. “Vamos caminhar para que Tatuí tenha um aeroporto regional”.

Na sequência, o prefeito entregou título de cidadão tatuiano a Rossi. O documento foi repassado por Manu e pelos vereadores peemedebistas Carlos Rubens Avallone Júnior e Jorge Sidnei Rodrigues da Costa, Oswaldo Laranjeira Filho (PT), Rosana Nochele Pontes (PMN) e Valdeci Antonio de Proença (PSB).

O político recebeu, também, a primeira-dama do município e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Ana Paula Cury Fiuza Coelho. Ela entregou doces caseiros ao deputado e aos demais prefeitos e integrantes da mesa de autoridades.

Também em discurso, o deputado estadual Jooji Hato destacou que “pesquisas apontaram Skaf no 2o turno das eleições do ano que vem”. O político fez coro aos demais representantes do partido e disse que o PMDB elegerá, “certamente”, o futuro governador do Estado.

De acordo com ele, além de ocupar assento no Palácio dos Bandeirantes, a legenda vai retomar investimentos nas ferrovias. A intenção seria melhorar o transporte de cargas e, com isso, resolver questões de mobilidade urbana crescente.

Hato afirmou, ainda, que o partido investirá em saúde, por meio do combate à violência. De acordo com ele, são as vítimas da violência que “consomem os leitos cirúrgicos” e, com isso, sobrecarregam o SUS (Sistema Único de Saúde).

A vereadora de Itu também convocou os correligionários para apoiar Skaf e disse que é preciso incentivar a presença de mulheres na política, na “vida ativa das cidades”.

O deputado federal do PMDB também manifestou apoio à pré-candidatura de Skaf. Ele citou que, com a escolha, o PMDB está “prestes a reescrever a história de São Paulo”.

Araújo afirmou, também, que Skaf implantará uma “democracia eficiente”, e destacou que o partido é a favor de projeto de lei que proíbe a transferência de tempo de televisão de um deputado que quiser mudar de legenda.

Já o secretário-geral do partido pediu que os membros apoiem somente candidatos da legenda. “É muito simples: PMDB vota em PMDB. Acabou a brincadeira. Ou a gente tem essa convicção, ou é melhor ‘fechar as portas’”, disse.

Renato Amary iniciou discurso afirmando que entrou no projeto para “brigar pelas próximas eleições”. “Todo o resto que se falar é blá blá blá”, disse. O líder do partido na região de Sorocaba afirmou que “a região não pode deixar escapar a grande oportunidade de eleger um governador”.

Principal figura política do evento, o vice-presidente da República passou a última palavra ao pré-candidato. Ele afirmou que Skaf é a primeira “esperança real” do PMDB de chegar ao governo do Estado depois de 20 anos.

“Nós queremos lhe atribuir essa tarefa não para darmos responsabilidade, mas para que todos, aqui, nesta reunião, possam trabalhar pelo nome dele e levá-lo ao governo do Estado. Por isso, o partido aplaude a ideia”, declarou Temer.

O vice-presidente afirmou, ainda, que não cometeu “nenhum ilícito eleitoral” ao anunciar oficialmente que Skaf é pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB. “Na verdade, as campanhas eleitorais se anteciparam”.

Também falou que é preciso que os prefeitos e vereadores não tenham postura “irresponsável”, fazendo menção a acordos que garantem votos a candidatos de outras legendas. “Antigamente, não havia a irresponsabilidade de uma liderança trabalhar por outra que não fosse a do PMDB”.

Temer declarou que é preciso manter o PMDB unificado e “acabar com a história de cada um fazer o que quer”.

Segundo ele, a ação é importante não só para que Skaf cresça em termos de conhecimento junto ao eleitorado, mas para que ele possa garantir uma “bancada estadual” (deputados).

“Para o bem do Estado, ele vai precisar de uma grande bancada de deputados. Por isso, quero conclamar os companheiros a nos reunificar, como fizemos na área nacional”, disse ele, com relação à campanha que o elegeu ao lado da presidente Dilma Rousseff.

Temer afirmou que o partido tem o direito de pleitear o governo de São Paulo, uma vez que possui 1.130 prefeitos no país, a maior bancada no Senado (18 representantes) e a segunda maior na Câmara dos Deputados (federais).

O vice-presidente da República citou, também, que a legenda possui o maior número de vereadores do país.


Publicidade