‘Melhorâ’ é cuidar

479





Na semana passada, o secretário de Estado do Desenvolvimento Social, Rogério Hamam, esteve na cidade para assinar dois convênios que implantarão espaços dedicados à população idosa: o Centro Novo Dia e o Centro Conviver.

A assinatura dos termos de adesão aos projetos aconteceu no Clube Renascer da Melhor Idade, na vila Doutor Laurindo, com a presença do prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu; da presidente do Conselho Estadual do Idoso, Marly Cortez; vereadores e frequentadores do clube, além do representante do governo estadual.

“Estamos assinando dois convênios ao mesmo tempo. É a primeira cidade em que fazemos isso. Um dos equipamentos é o Conviver, um centro de convivência e socialização, onde os idosos podem participar de atividades de cultura, lazer, educação física e ter esse momento de entretenimento”, explicou Hamam.

“O outro equipamento é o Centro Novo Dia, um espaço que atenderá idosos semidependentes, que são aqueles idosos que, muitas vezes, ficam sozinhos em casa, que tendem a acidentes domésticos, tendem a situações de possível depressão e que teriam um cuidado melhor se recebessem atendimento especializado”, afirmou.

De acordo com o secretário, o Centro Novo Dia recebe o idoso semidependente quando os familiares estão fora de casa, em período de trabalho. No final do dia, ele volta para casa.

“É o mesmo funcionamento de uma creche em termos de acolhimento e atenção, mas com características especificas ao público da melhor idade. É um equipamento inovador”, classificou Hamam.

“O centro de convivência vai ficar ao lado do centro de capacitação do CDHU. É uma área muito boa”, analisou o prefeito. O espaço levará o nome de “Antonio Kasakevicius”, de acordo com projeto já aprovado pela Câmara Municipal.

Sobre o Centro Novo Dia, o prefeito afirmou que a iniciativa já fazia parte do plano de governo da atual administração. “É um local onde os filhos podem deixar o idoso para passar o dia. Teremos atividades, cuidadores para aqueles que, às vezes, têm algum problema de mobilidade, que precisam tomar algum medicamento na hora certa. No Centro Dia, teremos tudo isso”.

“Um idoso, se sofrer uma fratura, pode ficar anos numa cama. Então, tendo um local onde possamos deixá-los aos cuidados de pessoas competentes, compromissadas, e, depois, ir buscar, é uma maneira saudável de dar assistência à nossa melhor idade”, analisou.

De acordo com o prefeito, a unidade funcionará ao lado da UBS do bairro Santa Cruz e levará o nome de “Ari Fiuza”. Juntos, os dois equipamentos devem somar repasse de R$ 750 mil. O tempo estimado das construções é estimado em seis meses.

Hamam também escolheu Tatuí como local para selar compromisso com outros municípios da região. Na tarde de sexta passada, 6, além da assinatura dos convênios com a Prefeitura, houve a entrega dos cadernos de orientações para diagnóstico do “Selo Amigo do Idoso” a 31 cidades da região de Sorocaba.

“Estamos lançando, junto aos municípios da região, um programa de certificação, qualificação e orientação para que os municípios tenham acesso ao Selo Amigo do Idoso. Esse é um programa extremamente importante, que prepara os municípios para a situação de inversão da pirâmide”, disse Hamam.

De acordo com o secretário, essa “inversão” acontece quando a população idosa é maior que a população jovem.

“Hoje, nós temos uma taxa de natalidade de 1,7 para cada duas pessoas. Então, naturalmente, o Estado de São Paulo e o país terão uma população da melhor idade superior à população jovem em muito pouco tempo. Nosso trabalho é preparar os municípios para essa inversão, para esse crescimento da população idosa”, explicou.

De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, o Selo Amigo do Idoso foi criado com o objetivo de estimular os municípios, entidades públicas e sociedade civil a implantar ações estabelecidas no Programa São Paulo Amigo do Idoso – projeto criado pelo governo do Estado que reúne ações de inclusão social, desenvolvimento, atenção à saúde, educação e lazer voltados ao público da melhor idade.

Os municípios interessados em obter o selo precisam assinar a adesão. Na sequência, devem desenvolver ações para conquistar cada uma das quatro categorias: Selo Adesão, Selo Inicial, Selo Intermediário e Selo Pleno. Até o momento, 638 municípios paulistas já assinaram o termo.

As primeiras ações obrigatórias são a criação do Conselho Municipal do Idoso (com papel fiscalizador das providências que as prefeituras tomam para serem certificadas), a criação de um plano de metas e a produção de diagnóstico de gestão sobre as políticas já existentes.

Para que o diagnóstico seja elaborado, foram entregues os cadernos de orientação com 40 perguntas e respostas relativas aos quatro pilares de atuação da ação: proteção, educação, saúde e participação.

Já os idosos recebem caderno com 80 questões, envolvendo temas como participação, emprego, moradia e segurança. Com os cadernos, os municípios poderão executar os diagnósticos obrigatórios para recebimento do Selo Inicial.

Nas etapas seguintes, até a obtenção do Selo Pleno, os municípios devem implantar os benefícios previstos no Programa São Paulo Amigo do Idoso e apresentar novo diagnóstico, demonstrando o resultado obtido com as ações desenvolvidas. São quatro etapas, totalizando 15 ações entre eletivas e obrigatórias.

Para manter o selo, o município deve, ainda, renovar o compromisso a cada dois anos, medindo o desempenho do que já foi feito e implantando novas ações.

O Programa São Paulo Amigo do Idoso e o Selo Amigo do Idoso foram instituídos por decreto em 15 de maio de 2012. O programa prevê a implantação de 108 Centros Novo Dia e 126 Centros Conviver no Estado.

Outra ação é o Cartão Amigo do Idoso, lançado em março deste ano. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Social, o benefício mensal de R$ 100 é direcionado a idosos com idade superior a 80 anos e renda mensal de até meio salário mínimo.

Para ter direito ao auxílio, o idoso deve estar registrado no Cadastro Único (CadÚnico) e não ser atendido nos programas de benefícios individuais, como o Renda Mensal Vitalícia (RMV) ou Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC).

Em que pese o estafante peso do politicamente correto e seus termos retóricos e eufemistas – segundo o qual é “melhor” ser velho que ser novo (alguém crê nisso de verdade?) -, as novidades são extremamente bem-vindas.

Mais que isso: colocam Tatuí em condição privilegiada, tendo sido escolhida justamente para dar o início às ações de estímulo ao Selo Amigo do Idoso na região. Que tenham sucesso.