Mais de 500 porções de maconha, crack e cocaína são pegas no ‘SC’

600
Centenas de entorpecentes são localizados com auxílio do cão farejador “Blade” (Foto: Divulgação PM)
Da redação

Um rapaz de 20 anos acabou preso, na tarde de terça-feira, 2, acusado de tráfico de drogas na vila São Cristóvão. Durante a ação, a Polícia Militar apreendeu centenas de pinos de cocaína, porções de maconha e crack, além de um celular, itens para embalagem e dinheiro.

De acordo com a PM, uma equipe fazia patrulhamento, por volta das 16h, quando os agentes receberam denúncia informando que duas residências – uma delas, abandonada -, situadas na praça Deocacir Oliveira e Silva, estariam sendo utilizadas para tráfico de drogas.

Com apoio de outros policiais, segundo a PM, os agentes se deslocaram a um dos locais indicados, um cortiço, e, ao entrarem no quintal, avistaram dois indivíduos fracionando drogas. Ao ver os policiais, um deles fugiu em direção a uma área verde, aos fundos, “de difícil acesso”.

Conforme a PM, o outro sujeito se escondeu em uma das casas do cortiço e a moradora se negou a abrir a porta aos policiais. Pouco depois, os agentes conseguiram entrar e deter o fugitivo. Ele não carregava nada de ilícito, porém, teria assumido o tráfico.

Segundo a PM, os agentes retornaram ao local em que haviam avistado os suspeitos e encontraram centenas de pinos vazios, rolos de papel filme, uma balança de precisão, porções de maconha fracionadas e um prato com cocaína, além de 148 porções de maconha embaladas e 240 pedras de crack.

Ainda nos fundos do imóvel, conforme a PM, o cão farejador “Blade” auxiliou na localização de mais 11 porções grandes de maconha. No local, os policiais ainda recolheram um celular, R$ 531 e o RG do indivíduo que conseguira fugir.

De acordo com a PM, na casa abandonada, o cão farejador encontrou um “kit” com 20 pedras de crack, entre as telhas, e, em uma área verde, uma pochete escondida sob entulhos, contendo 122 pinos de cocaína, 35 porções de maconha e quatro pedras de crack.

O rapaz detido, identificado como “João Vitor” (a PM não divulgou o nome completo dele), e as duas mulheres (a dona da casa em que as drogas estavam sendo embaladas e que não abrira a porta aos agentes) foram conduzidos ao Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto” e, na sequência, ao plantão policial. Após a elaboração do boletim de ocorrência, as mulheres foram liberadas e o sujeito ficou à disposição da Justiça.