Lar São Vicente de Paulo comemora 113 anos da entidade e dois do ‘BE’

1344
Instituição preparou evento composto por café da manhã, homenagens, discursos e apresentações musicais (foto: Diléa Silva)
Publicidade

O Lar São Vicente de Paulo realizou evento especial na quinta-feira, 26 de julho, para comemorar dois aniversários. O projeto Bem-Estar no Lar completou dois anos de atividades, na segunda-feira, 23, e a entidade completa 113 anos de fundação nesta quarta-feira, 1o.

Em função da data, a instituição preparou evento composto por café da manhã, homenagens, discursos e apresentações de música. A comemoração teve início às 10h, no Centro de Convivência “Nicolau Eleutério”, utilizado pela entidade para as atividades do projeto.

De acordo com Ivan Rezende, presidente do asilo, a unidade assiste a 120 idosos, sendo que, destes, 55 fazem parte do projeto Bem-Estar no Lar, que atende internos e convidados com o objetivo de incluí-los na sociedade.

O programa funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 8h30 às 12h, com atividades diversificadas, que incluem aulas de artesanato, espanhol, ioga, exercícios físicos, dança, canto e coral, horta ocupacional, pintura e comunicação social, entre outras ações que envolvem passeios e recreação.

“Ao longo dos seis anos como presidente, uma das maiores alegrias que tenho é o projeto Bem-Estar no Lar, do Centro de Convivência do Idoso. Acho que ele veio acrescentar uma nova visão, uma nova postura, e modificar a vida dos nossos assistidos”, ressaltou.

Publicidade

Ainda que dentro do Lar, Rezende explicou que as oficinas possibilitaram motivação aos idosos. Como as atividades são realizadas no Centro de Convivência, os participantes costumam se arrumar de modo diferente do habitual.

“É muito bonito de ver. Eles (os idosos) se enfeitam. As mulheres usam bolsas e maquiagem, os homens se vestem como se estivessem saindo do Lar. Tudo isso para receber os amigos que vêm para o projeto”, comentou.

Rezende ressaltou que o público externo que participa também precisava dessa convivência, pois muitos estavam depressivos na casa, com problemas de saúde, ortopédicos e dores causadas pela falta de atividades.

Conforme a assistente social Mirna Grando, coordenadora do Bem-Estar, o projeto começou a ser idealizado em 2015, contudo, só passou a funcionar em 2016, quando a entidade passou a receber recursos do Fundo Municipal do Idoso.

“O que amarrava muito o projeto era a falta de verba para colocá-lo em prática. Nós vivemos de doações, então, não tinha como fazer. O Conselho do Idoso, na época, ajudou muito, e, com eles trabalhando junto, nós conseguimos ter o Fundo do Idoso e iniciar as atividades”, recordou.

O programa diário tem início às 8h30, com café da manhã, seguido de duas atividades. Depois, os idosos almoçam e uma parte deles volta para os espaços do asilo; a outra, segue para as residências, já que o projeto é aberto aos idosos da comunidade.

Para Mirna, o Bem-Estar no Lar possibilita mais que convívio social aos idosos que vivem na instituição e fora dela. A assistente social destacou que a participação em atividade de grupo permite melhora da saúde física e emocional, além de estimular capacidades motoras e retardar o envelhecimento.

“Aqui, eles têm atividades pensadas para que possam se desenvolver como um todo. De repente, alguém pode até pensar que pintura em guardanapo é bobagem, mas nós sabemos o quanto essas atividades fazem bem para os idosos, trabalhando a memória, a coordenação motora e trazendo qualidade de vida”, apontou.

Publicidade