Judiciário firma parceria inédita na cidade para localizar desaparecidos

288
Publicidade





Reprodução

Página do jornal na rede social Facebook

 

O desaparecimento de uma adolescente de 13 anos ganhou destaque em noticiários regionais na semana passada. Raphaela Vitória Longanesi havia sumido na segunda, 16, reaparecendo no sábado, 21, após apelos de familiares e de uma “intensa” campanha de compartilhamento de dados via rede social.

Para tentar auxiliar a localização de pessoas desaparecidas e criar um novo canal de divulgação de informações, a Justiça do município estabeleceu parceria com o jornal O Progresso.

Publicidade

A proposta partiu do magistrado da Vara da Infância e da Juventude, Walmir Idalêncio dos Santos Cruz, e é inédita na cidade.

A partir da semana que vem, o bissemanário vai abrir e manter espaço para divulgação de fotos de pessoas desaparecidas em Tatuí.

As fotos devem ser entregues pelos familiares na redação do jornal, de segunda a sexta, em horário comercial. O Progresso está localizado à praça Adelaide Guedes, 145, no centro.

O juiz cita que a iniciativa é “extremamente importante” no sentido de auxiliar as pessoas a encontrarem seus familiares. Em Tatuí, os casos são registrados, inicialmente, na delegacia de polícia.

Entretanto, em função da gravidade, eles chegam ao Poder Judiciário. “Nós tomamos conhecimento deles a partir de informações dos familiares durante as audiências”, disse Santos Cruz.

Conforme ele, o Judiciário ainda não tem dados sobre o número de desaparecimentos. “Não temos informação estatística. Mas, o que sabemos por comunicação dos pais e parentes é que a maioria é de crianças pequenas”, alertou.

Em função disso, a parceria também poderá auxiliar a Justiça a ter ideia do total de casos a partir da divulgação. O periódico manterá espaço destinado à divulgação de fotografias e de dados pessoais dos desaparecidos.

As fotos devem ser encaminhadas com descrições de como a pessoa estava vestida e de onde teria sido vista pela última vez.

O Judiciário também pede que as famílias informem um canal de comunicação (telefone ou e-mail) para que possam receber as informações que ajudarão no encontro dos desaparecidos.

Dados de localização das pessoas também podem ser encaminhados ao jornal, que os repassará para as famílias e para o Judiciário. O contato pode ser feito pelo e-mail: redacao@oprogressodetatui.com.br.

A iniciativa contempla, também, a “Justiça Restaurativa” – implantada em Tatuí pelo juiz de direito Marcelo Nalesso Salmaso.

O magistrado informou que a colaboração das pessoas para o encontro de crianças e jovens desaparecidos faz parte do processo de criação da chamada “cultura da paz”.

Além do periódico, a coluna de desaparecidos será veiculada no site de O Progresso. O canal do jornal na internet é um dos mais acessados da região.

O bissemanário também mantém, na internet, conteúdos em redes sociais, como “Facebook”, “Twitter” e “Google +”. Possui, ainda, canal no site de vídeos “YouTube”.


Publicidade