Iniciados estudos para uso de prédio que abrigava a 4ª Cia.

259
Publicidade





Arquivo o Progresso

Uso de imóvel desocupado pela PM e situado no Santa Cruz deve ser definido ‘dentro de alguns dias’

 

“Em primeiro lugar, com as duas companhias unificadas, melhora muito o policiamento. Em segundo, o prédio que veio para nós será ocupado”. Este é o plano do Executivo, conforme declaração do prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, na manhã de quarta-feira, 11, para a ocupação do imóvel que abrigava a 4a Cia. da Polícia Militar, “fundida” com a 2a Cia. no final de maio.

A O Progresso, o prefeito reforçou a informação antecipada pelo capitão Kleber Vieira Pinto ao bissemanário. Manu disse que a PM devolveu o prédio ao Executivo no início do mês e que, desde então, a Prefeitura estuda uma utilização.

Publicidade

“O comando passou por um processo de fusão. Agora, ficamos com as equipes das duas companhias num mesmo local. Temos, aí, um comandante, aumento da Força Tática, do efetivo e da área de cobertura”, iniciou ele.

Vinculada ao 22o Batalhão do Policiamento Militar de Itapetininga, a 4a Cia. passou a operar em Tatuí no dia 12 de dezembro de 2008. Até 2009, ela funcionou provisoriamente na sede da 2a Cia. no Jardim Wanderley.

Posteriormente, teve efetivo e estrutura transferidos para o prédio que abrigava o antigo TG (Tiro de Guerra), na rua Santa Cruz, 1.210, no alto da Santa Cruz.

Na época, a reestruturação havia sido proposta pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, originando, também, uma nova companhia, para Itapetininga.

“Estamos estudando o que vamos fazer no prédio”, disse o prefeito, sem antecipar quais projetos estão sendo cogitados. Manu confirmou, no entanto, que uma das propostas é da implantação do IFSP (Instituto Federal de São Paulo).

“Temos várias ideias, mas estamos conversando, ainda”, declarou Manu. A equipe de planejamento do Executivo discute a utilização do imóvel tanto para fins educacionais quanto culturais.

O prefeito afirmou que as conversas incluíram encontros com a secretária municipal da Educação, Cultura e Turismo, Ângela Sartori, e com o diretor do Departamento Municipal de Cultura e Desenvolvimento Turístico, Jorge Rizek. “Dentro de alguns dias, nós teremos uma definição do que será feito no local”.

Manu disse, também, que não haverá necessidade de levantamento das condições do prédio. O imóvel foi reformado para abrigar o comando e recebeu melhorias nos sistemas hidráulico e elétrico, bem como pintura.

“O prédio está em bom uso. Apesar de antigo, o que formos fazer nele tem que ser muito bem pensado. Isso porque as alterações poderão ser muito grandes, dependendo do tipo de estrutura que decidirmos instalar lá”, considerou.

Segundo ele, a ideia é evitar que haja intervenções desnecessárias. Há a intenção, também, de que o uso possa ser feito da maneira “mais rápida possível”.


Publicidade