Inaugurada a escola do Senai no municí­pio

567
Publicidade





David Bonis

Ao lado do prefeito Manu, Ophir Figueiredo, diretor regional do Senai, assina detalhes para formulação da parceria

Foi inaugurado na sexta-feira, 19, o Centro de Formação Profissional José Correa Coelho, escola do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) que terá capacidade para formar 140 alunos por ano.

Localizada na rua Maneco Pereira, 619, a unidade é fruto de parceria da Prefeitura com o Senai. À administração pública competiu ceder o prédio pronto, enquanto o Senai trouxe o maquinário e metodologia de ensino.

Segundo o prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, o prédio teve de ser reformado para dar conta da demanda elétrica e estrutural que uma escola desse porte necessita.

Publicidade

Foram investidos cerca de R$ 1 milhão, oriundo dos cofres da cidade, para as reformas civil e elétrica no imóvel, onde já funcionou a escola do Sesi. Apenas o projeto elétrico custou cerca de R$ 700 mil.

Durante a solenidade de entrega da unidade, o prefeito acentuou que, há alguns anos – “inclusive, por gestões anteriores”, ressaltou -, a cidade tenta firmar a parceria com o Senai para trazer uma unidade da escola ao município.

Entre as exigências do Senai para firmar a parceria, estava a de que a Prefeitura apresentasse como opção um imóvel próprio, que atendesse às demandas de energia e estrutura. Em abril deste ano, representantes do Senai visitaram o imóvel na rua Maneco Pereira e deram aval para a instalação da unidade no local.

“Esse prédio não tinha energia elétrica condizente com o consumo que vai gerar. Então, a Prefeitura instalou cabine primária, transformador para poder oferecer as condições para a instalação das máquinas”, disse o diretor regional do Senai, Ophir Figueiredo Junior.

“Aqui, nós temos máquinas de solda, máquinas operatrizes, que são pesadas. O consumo de energia é muito grande”, explicou o diretor.

Serão oferecidos três tipos de cursos na unidade, na área de mecânica, elétrica e solda. Os maquinários que serão utilizados nesses cursos são seminovos, pois foram remanejados para essa unidade do Senai.

“Esse maquinário não compramos novos. Utilizamos maquinário que já tínhamos porque, normalmente, nós somos movidos por demanda, esses equipamentos rodam”.

“Deixou de existir demanda por determinada profissão em determinada área, eu tiro aquele equipamento de lá e instalo em outra unidade onde surgir a demanda”, explicou Figueiredo.

Em um primeiro momento, a unidade será dedicada à formação de adolescentes participantes do programa Jovem Aprendiz, das empresas da região. No entanto, a ideia é ampliar o público atendido.

“As empresas vão ver a demanda que terão de jovens aprendizes. Então, vão ser abertas as vagas. As empresas vão inscrever seu jovem aprendiz. Eles vão fazer um pré-vestibulinho e os qualificados vão começar o curso”, declarou o secretário da Indústria, Desenvolvimento Econômico e Social, Ronaldo José da Mota.

“Esses cursos, os próprios alunos que vão escolher. Menos solda. Solda tem que ter uma faixa etária maior, onde a própria empresa vai indicar esse menor aprendiz”, detalhou Mota, um dos responsáveis pelas tratativas junto à administração do Senai para trazer a unidade a Tatuí.

Também há outros planos para que diferentes públicos possam fazer os cursos da unidade. A ideia é usar a estrutura do centro para dar conta do projeto EVT (Escola, Vida e Trabalho).

Nesse projeto, que já existe, há cursos de capacitação profissional. Até o momento, a parte prática desses cursos era realizada em espaços cedidos por empresas da cidade. Mas, segundo Mota, o objetivo é usar a estrutura da nova escola para a efetivação desses cursos.

A ideia, também, é abrir a unidade à comunidade. “Podemos abrir para quem está desempregado e quer voltar ao mercado de trabalho. Por exemplo: muitos estão na informalidade. A pessoa conhece de solda, mas não tem diploma. Aí, ele pode vir aqui, fazer o curso e ter esse diploma para exercer essa função”, completou o secretário.

A parceria pela efetivação do Centro de Formação Profissional tem um terceiro eixo. Trata-se da Fundação Manoel Guedes. Os custos mensais de manutenção da escola serão repassados pela Prefeitura à fundação, que vai gerenciar esses recursos, pagar os profissionais e as contas que o local gerar.

“Toda a estrutura, o gasto que tem com material, pessoal, com os professores, seria toda direcionada à fundação. A Fundação que vai gerir essa escola”, explicou o secretário. Segundo ele, ainda não se sabe qual o valor mensal a ser repassado à Fundação Manoel Guedes para a gestão da unidade.

Diversas autoridades municipais e do Senai compareceram à solenidade de entrega oficial do Centro de Formação Profissional. Entre os discursos, houve falas em tom político, de críticas à oposição na cidade, às gestões anteriores e, sobretudo, a favor do presidente licenciado da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, candidato ao governo do Estado de São Paulo pelo PMDB, partido do prefeito.

“(Ele) foi prontamente o maior parceiro para nós termos esse grande equipamento na nossa cidade. O Ophir é testemunha do quanto ele pediu para que Tatuí fosse prioridade, e a gente conseguiu em tempo recorde trazer todos os equipamentos para fazer com que essa escola estivesse entregue e funcionando”, disse Manu em discurso.

Sendo correligionário de Skaf, Manu apoia a candidatura do presidente licenciado da Fiesp ao Palácio dos Bandeirantes.


Publicidade