Homicídios têm redução no 1º semestre

Criminalidade é menor em 5 indicadores na comparação com igual período de 2020

12
Mais de cem pessoas são detidas em flagrante nos primeiros seis meses (foto: @pmsp_foco)
Da reportagem

O município terminou o primeiro semestre do ano com redução em cinco indicadores de criminalidade. Os dados, divulgados na tarde de segunda-feira, 26, estão disponíveis no site da SSP-SP (Secretaria da Segurança Pública de São Paulo).

Segundo levantamento realizado pelo órgão, a cidade teve menos ocorrências de homicídios intencionais, estupros, roubos de veículos e lesões corporais intencionais, além de menor número de vítimas de homicídio, em comparação aos casos contabilizados em igual período do ano passado.

A principal queda ocorreu nos casos de homicídio intencional e vítimas deste tipo de crime, com uma ocorrência nos seis meses deste ano, ante quatro assassinatos no primeiro semestre de 2020 – redução de 300%.

Os casos de estupro apresentaram queda de 66,66%. Entre janeiro e junho do ano passado, cinco vítimas registraram ocorrência nesta categoria de crime; já em 2021, três pessoas foram vítimas de crimes sexuais no período.

Os casos de roubos envolvendo automóveis baixaram de dez, entre janeiro e junho de 2020, para oito, nos seis meses deste ano, o que representa queda de 25%. Já os casos de roubo a banco permaneceram zerados nos dois anos.

Ainda na lista dos indicadores em queda nos primeiros seis meses, aparecem as ocorrências de lesão corporal dolosa (com intenção). O índice apresentou redução de 24,76%, caindo de 131 para 105 casos.

Os indicadores de homicídio culposo, lesão corporal seguida de morte, latrocínio e vítimas de latrocínio e roubo a banco permaneceram zerados entre janeiro e junho nos dois anos.

Com relação ao trânsito, os indicadores da SSP mostram que o homicídio doloso por acidente e de vítimas de homicídio doloso por acidente permaneceram zerados nos seis meses de 2020 e 2021.

Os roubos em geral apresentaram equivalência, com 32 ocorrências nos primeiros seis meses de 2020 e 32 entre janeiro e junho de 2021. Já os roubos de carga subiram de um para três no mesmo período.

Em contrapartida, os registros de homicídio culposo por acidente tiveram aumento de 57,14% no período, passando de três, em 2020, para sete, nos primeiros seis meses deste ano.

As ocorrências de estupro envolvendo pessoas consideradas vulneráveis (menores de 14 anos e com deficiência) subiram 14,81%, passando de 23 para 27 casos, nos seis primeiros meses deste ano.

Segundo as estatísticas do órgão, na somatória dos seis primeiros meses, os casos de furtos de veículos apresentam aumento de 33,33%. O indicador passou de 40 casos em 2020 para 60 nos primeiros seis meses deste ano.

Os indicadores de furtos em geral subiram 25,73% nos seis meses. Em 2020, houve 254 registros e, neste ano, 342 casos de crime contra o patrimônio, sem violência.

No índice de lesões corporais culposas por acidente de trânsito (quando não há intenção), houve aumento de 6,66%, passando de 14 casos, no ano passado, para 15, neste ano.

Outros índices em alta nos seis primeiros meses deste ano foram: lesão corporal culposa, com aumento de zero para três; e tentativa de homicídio, com crescimento de três para cinco.

A Secretaria de Segurança Pública explica que as estatísticas oficiais de criminalidade são utilizadas regularmente para retratar a situação da área, mas os dados oficiais de criminalidade estão sujeitos a uma série de limites de validade e confiabilidade.

Para que um crime faça parte das estatísticas oficiais, são necessárias três etapas sucessivas: ser detectado, notificado às autoridades policiais e, por último, registrado em boletim de ocorrência.

A SSP esclarece que, por estas e outras razões, “nem sempre o aumento dos dados de criminalidade oficiais pode ser interpretado como piora da situação de segurança pública”.

Ao contrário, nos locais onde é grande a “cifra negativa”, o aumento nos crimes notificados é considerado indicador positivo de “credibilidade e performance policial”.

De acordo com o comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar de Tatuí, capitão Júlio César da Costa, o grupamento tem realizado diversas operações para reduzir o número de furtos e “aumentar a sensação de segurança” da população.

Segundo ele, 25% dos veículos furtados na cidade foram recuperados. Além disso, o capitão conta estar trabalhando com um mapeamento das áreas com maiores índices de ocorrências, em conjunto com um sistema inteligente, visando ao direcionamento das forças de segurança em locais específicos do município.

Produtividade

Conforme a tabela, no primeiro semestre deste ano, as forças de segurança instauraram 490 inquéritos policiais, contra 588 entre janeiro e junho do ano passado. Os flagrantes caíram de 256, em 2020, para 173, em igual período deste ano.

Ainda segundo a mesma fonte, os casos de porte de entorpecentes caíram de 17 para 14 nos seis meses deste ano. O indicador de apreensão de drogas (somente as ocorrências em que houve apreensão sem pessoas envolvidas) subiu de zero para um, no mesmo período.

As ocorrências de tráfico de drogas também apresentaram redução. Os indicadores deste tipo de crime passaram de 193, nos seis primeiros meses do ano passado, para 132, entre janeiro e junho deste ano.

No primeiro semestre, houve redução de ocorrências de porte ilegal de arma, passando de seis para cinco neste ano. Já as apreensões de armas baixaram de 15 para oito nos seis primeiros meses deste ano.

Ainda conforme a SSP, entre janeiro e junho de 2020, foram apreendidos 75 menores de idade em flagrante e, neste ano, 72 acabaram flagrados em situações de crime. No mesmo período, o órgão aponta um menor apreendido por mandado, contra zero no ano passado.

Também nos seis meses deste ano, 98 pessoas acabaram detidas por mandados de prisão, enquanto, no ano passado, ocorreram 76 registros de presos por mandado no período. Já as situações de prisão em flagrante passaram de 307 para 194 neste ano.

No mesmo período, as forças de segurança ainda registraram a recuperação de 15 veículos neste ano, contra 20 no ano passado. Já o número de prisões passou de 332, em 2020, para 267, neste ano.

Saldo em junho

Analisando somente o mês de junho (mais recente divulgado pela SSP), os registros de crimes contra o patrimônio em Tatuí foram os que mais cresceram, comparados aos casos contabilizados em igual período do ano passado.

Segundo levantamento realizado pelo órgão, no sexto mês deste ano, 25 ocorrências de furtos de veículos foram registradas, ante duas em junho de 2020. O aumento representa salto de 92% no número de ocorrências.

Este é o terceiro mês consecutivo com índices de furtos em alta. Em abril, os registros cresceram 215,78%, comparados ao quarto mês de 2020 e, em maio houve aumento de 3654% em relação ao quinto mês do anohttps://oprogressodetatui.com.br/n/furtos-crescem-pelo-2o-mes-consecutivo/ passado.

Já os furtos em geral subiram 1,88%, passando de 52 casos, em junho de 2020, para 53, no mesmo mês deste ano.

Os casos formais de roubos em geral (incluindo a banco e de carga) permaneceram equivalentes, com oito ocorrências em junho deste ano e o mesmo número no sexto mês do ano passado.

Outro indicador negativo do mês de junho, em relação aos crimes contra o patrimônio, é o de ocorrências envolvendo roubos de veículo, passando de um caso, no sexto mês do ano passado, para quatro neste ano – aumento de 75%.

Já os indicadores de homicídio culposo, lesão corporal seguida de morte, lesão corporal culposa, latrocínio e vítimas de roubo seguido de morte permaneceram zerados em 2020 e 2021.

No indicador de homicídio doloso, a tabela apresenta registro de um caso em junho de 2020 e nenhum no sexto mês de 2021. Já os casos de tentativa de homicídio passaram de zero para um, em junho deste ano.

O número total de estupros também apresentou queda. Em junho de 2020, cinco pessoas registraram violência sexual, enquanto o número chegou a seis em 2021 – redução de 20%.

Os crimes sexuais que vitimaram adultos ficaram zerados em junho dos dois anos. Já as vítimas menores de idade e pessoas tidas como vulneráveis baixaram de seis para cinco, no mesmo mês.

Já o indicador de lesão corporal dolosa apresentou aumento de 5,55% em junho deste ano. As declarações deste tipo de crime foram de 17, em junho de 2020, para 18, em igual mês de 2021.

Na tabela divulgada pelo órgão estadual, os índices em relação ao trânsito (homicídio doloso por acidente, número de vítima de homicídio doloso por acidente e homicídio culposo por acidente) permaneceram zerados no sexto mês dos dois anos analisados.