Mulheres têm os carros ‘invadidos’ e sofrem assaltos na área central

Dois casos de roubo são relatados e estão sendo investigados pela PC

956
Captura de imagem mostra um suspeito perto da loja onde uma das vítimas fora abordada (foto: reprodução)
Da reportagem

Dois casos de mulheres que tiveram o carro invadido por um homem e sofreram assalto na área central de Tatuí foram relatados nos últimos dias e estão sendo investigados pela Polícia Civil.

Um dos casos ocorreu na tarde de segunda-feira, 22, na rua 11 de Agosto, com uma mulher de 58 anos. Conforme a filha da vítima postou em uma rede social, a mulher estacionou o carro perto de um estabelecimento, no cruzamento com a rua Cônego Demétrio, para pagar uma conta em uma loja e foi abordada pelo criminoso ao retornar para entrar no veículo.

De acordo com a vítima, ao seguir para o carro, ela percebeu que havia tomado uma multa e,em um breve espaço de tempo, entre ter entrado no carro e analisar a multa, um homem de aproximadamente 30 e poucos anos, segundo ela, entrou no veículo e ameaçou-a, fazendo-a dirigir por algumas quadras.

Ainda conforme o relato da filha da vítima, o homem dizia“o tempo todo para que ela não olhasse em seu rosto e que, se ela fizesse tudo o que ele estava mandando e não desse alarde, ele não iria fazer nada com ela; porém, se ela tentasse fazer qualquer coisa, ele iria estourar a cara dela”.

O homem levou o dinheiro que estava com a mulher e, segundo a vítima, o criminoso alegou estar assaltando devido ao fato de “ter ficado preso por mais de 17 anos e não poder comprar leite para o filho”.

O boletim de ocorrência foi registrado na tarde de terça-feira, 23, na Delegacia Central, conforme informado pela família da vítima.

Outro caso parecido ocorreu no final de semana, no cruzamento da rua Brigadeiro Jordão com a rua do Cruzeiro. Em áudio compartilhado pelas redes sociais, a vítima conta que deixou o carro estacionado na rua do Cruzeiro para ir a uma loja e, ao retornar, um homem entrou pela porta do passageiro e começou a ameaçá-la.

A mulher diz que o homem fez com que ela dirigisse alguns quarteirões e depois fugiu, levando o dinheiro e o celular dela. “Ele me fez dar umas voltas, desceu pela rua do cemitério, e descemos como quem vai para o cemitério novo, até que ele desceu do carro e foi embora”.

“Antes, ele ficava falando que não era para olhar na cara dele e que, caso contrário, ia me bater. Ele dizia que, se eu não olhasse, ele não ia fazer nada. Mas foi me levando”, relata a mulher no áudio compartilhado por aplicativos de mensagens.

Um vídeo circulando pelas redes sociais mostra o suspeito na rua do Cruzeiro, perto da loja onde a mulher foi abordada.

A Guarda Civil Municipal confirmou os dois casos e disse acreditar que os crimes foram cometidos pelo mesmo homem. A GCM ainda informou ter passado os casos para a Polícia Civil, responsável pela investigação.

A O Progresso, contudo, uma das filhas da vítima do assalto ocorrido na rua 11 de Agosto contou que a mãe não reconhecera o homem do vídeo como o criminoso que havia entrado no carro dela, suspeitando de que existe outro criminoso.

O SIG (Setor de Investigações Gerais) da Polícia Civil informou estar investigando e ressaltou que as ocorrências não têm relação com o assalto da vendedora Susana Dias Batista, de 47 anos, ocorrido em Itapetininga (SP).

Susana desapareceu na quarta-feira, 17, depois de sair para almoçar com a picape da empresa onde trabalhava. Ela foi achada morta, no dia seguinte, em uma área de mata.

A polícia identificou Raimundo Nonato da Silva Pessoa como o responsável pelo crime e ele teve a prisão temporária decretada na sexta-feira, 19. Ele foi localizado na vila Nastri II e preso na noite de domingo.

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome