Grupo ‘Noéis Anônimos’ arrecada alimentos para doações no natal

466
Publicidade





“Queremos fugir do falso moralismo e do clichê que acontece na época do Natal”. A afirmação é de Daniel Henrique Prudente, membro dos “Noéis Anônimos”, que programa uma primeira ação beneficente na cidade.

O grupo do qual ele participa, formado por cinco pessoas, tem a proposta de levar um pouco do “espírito natalino” para as pessoas de baixa renda.

Uma das normas propostas pelos integrantes é que as atividades aconteçam de forma anônima: não será divulgado o nome dos membros, doadores e beneficiados com a ação.

De acordo com ele, a ação tem como intuito utilizar o “espírito caridoso” no final do ano para arrecadar alimentos e ajudar pessoas carentes.

Publicidade

“Não queremos nos expor porque nosso objetivo é realmente ajudar. Se não, deixa de ser um ato de caridade e passa a uma ação elitista e até política”.

“Nosso intuito é repassar uma mensagem mais simbólica, tanto que, desde a arrecadação, não se exige identidade. O colaborador que vai entregar esse alimento também não se identificará. Os parâmetros são esses”, contou Prudente.

O grupo “Noéis Anônimos” prevê o início da distribuição de produtos sete dias antes do Natal. Os materiais aceitos são alimentos, e não brinquedos, alerta Prudente.

“Não sabemos se a pessoa da residência tem um ou mais filhos, o que pode gerar briga. Com o alimento, é diferente. Queremos dar algo que toda a família ‘use’”, disse.

O porta-voz entende que a estrutura do grupo ainda não está preparada para o recebimento de grandes quantidades de doações, porque “não teria como encaminhar às famílias”.

“É a primeira campanha, e nós ainda estamos nos organizando. Gostaríamos de receber algo que tenha ligação com a data e que a gente possa doar”.

Os “Noéis Anônimos” também não aceitam doações em dinheiro, porque, conforme Prudente, o grupo teria que comprovar a utilização do valor arrecadado, o que “quebraria” o anonimato.

“O alimento é mais descompromissado. É mais simbólico também, pois queremos passar a mensagem de que a pessoa não está sozinha, um acalento mesmo”, afirmou Prudente.

A forma que o grupo deverá doar os alimentos é diferente da praticada em ações nessa época do ano. O “Noel” vai entregar os alimentos e ir embora sem se identificar, relatou Prudente.

“Coloque-se no lugar do beneficiado: você receberá um presente de uma pessoa que nunca o viu. Logo depois, ela sai, sem dizer o nome. Essa é a nossa intenção”.

Uma das metas do grupo é conseguir manter a atuação na cidade por “muito tempo”, além de repetir a ação em 2014. Contudo, o grupo precisa de mais membros. Atualmente, cinco pessoas trabalham com o porta-voz.

“A estrutura é formada por pessoas que dispõem de certo tempo para arrecadar e organizar a logística – buscar o alimento na casa de cada doador”, disse Prudente. “Assim, a pessoa terá a liberdade de doar da forma que puder. Então, toda ajuda é bem vinda”.

A ação social teve como base um projeto parecido na cidade de Itaí. “Os resultados foram bons, as pessoas pouco sabem sobre as identidades dos integrantes daquele grupo. Mas, a escala de arrecadação é grande”.

“Aqui, houveram alguns projetos parecidos, mas esse é o primeiro nesse formato, com o anonimato. A única questão é que temos o número de doadores limitados”.

Ele revelou que existe uma “lista” de pessoas de diversos bairros da cidade que podem receber um dos “Noéis” no Natal.

“É bem disperso, vamos onde há necessidade. A geografia em si não é tão importante, não vamos mapear o bairro e sair distribuindo. A proposta é outra”, contou Prudente.

A relação com as localidades dos possíveis moradores carentes foi organizada pelo próprio grupo, formado por pessoas que “já estão neste âmbito há muito tempo”, informou Prudente.

“Elas conhecem o caminho das pedras, onde tem famílias que realmente precisam. Temos alguns polos nos quais pretendemos atender”.

Prudente informa que os interessados em fazer doações ou participar dos “Noéis Anônimos” devem enviar e-mail para gruponoeisanonimos@outlok.com.

“Pode ajudar da forma que quiser. Nesse endereço, ela vai ter certeza que a identidade será preservada”, finalizou.


Publicidade