‘Gangue da Saia’ acaba presa pela PM após retornar a Tatuí

564





Polícia Militar

Cleuza (esquerda) é mãe de suspeita flagrada; Luciana usaria saia para furtar

 

Por volta das 15h30 de quarta-feira, 9, policiais militares detiveram duas mulheres e apreenderam uma adolescente de 17 anos suspeitas de integrar grupo criminoso que vinha agindo na região. Elas fariam parte da “Gangue da Saia”.

Segundo o comandante da 2ª Companhia da PM, capitão Kleber Vieira Pinto, as mulheres teriam desenvolvido uma “técnica” para furtar peças de roupas de lojas. Elas esconderiam os produtos embaixo das saias e entre as pernas.

As suspeitas haviam sido abordadas durante patrulhamento preventivo, por uma guarnição, na área central. As três estariam “em atitudes suspeitas”.

“Tinham as mesmas características das que apareceram nas imagens das câmeras de uma loja no centro, furtada no dia 5”, relatou o comandante.

Conforme o capitão, os PMs localizaram, debaixo do vestido usado por Luciana da Silva, 35, diversas peças de roupas. A mulher teria confessado o crime, informando que havia furtado um estabelecimento comercial situado no centro.

Na sequência, os militares levaram as três ao plantão policial. Durante o registro do boletim de ocorrência, descobriram que as mulheres haviam vindo a Tatuí em um veículo.

O carro fora deixado por elas dentro de um estacionamento, no centro. Ao vistoriar o automóvel (de marca, modelo, ano e cor não informados), os PMs encontraram mais peças que teriam sido furtadas.

No celular da adolescente de 17 anos apreendida, os policiais verificaram a existência de várias mensagens. Elas continham pedidos para que “alguém, que estava em Boituva, escondesse drogas e armas” que estavam na casa de Luciana.

A PM enviou equipe ao município vizinho e encontrou uma criança no imóvel. O menino (de idade não informada) estava trancado na casa e teria dito aos policiais que a mãe havia saído por volta das 11h e o deixado sozinho.

Na residência, a guarnição encontrou dez cápsulas de cocaína, R$ 50 em notas, dois cadernos com contabilidade de venda de entorpecentes, uma munição calibre 32 e diversas peças de roupas “de origem duvidosa”.

A equipe também apreendeu, na casa da segunda mulher detida, Cleuza Martins da Silva, 43, diversas peças de roupas que ainda estavam com etiquetas. Cleuza é mãe de Luciana e avó do menino localizado pelos militares.

De acordo com o capitão, elas integram grupo que havia voltado a Tatuí depois de ter cometido o primeiro furto.

“Uma vez que tinham sido bem-sucedidas na primeira ação, elas retornaram ao município para realizar mais furtos em diferentes lojas. Entretanto, a PM, já ciente, não permitiu”, disse Kleber.