Festival teve frequência além do previsto e voltará em 2014

255





AC Preefitura / Evandro Ananias

Público lotou jardim da fábrica São Martinho em noite de sexta, 20

 

O Departamento Municipal de Cultura e Desenvolvimento Turístico ainda não divulgou a avaliação oficial do primeiro “Festival de Comidas de Buteco”, mas adiantou ontem, terça-feira, 24, que haverá nova edição em 2014.

Segundo o diretor Jorge Rizek, a iniciativa, criada pela Prefeitura para prestigiar a “baixa gastronomia”, teve frequência além do previsto.

Rizek informou que a equipe que realizou o evento vai se reunir com os representantes dos 15 estabelecimentos participantes para preparar relatório na tarde de hoje, no Centro Cultural Municipal.

A comissão organizadora deve solicitar dados de vendagem para ter subsídios que permitam avaliar o número de pessoas que passaram pela fábrica São Martinho entre os dias 20 e 22.

“Não posso dizer a avaliação do departamento, mas a minha é superpositiva. Tivemos um evento diferenciado, num local diferenciado e com um excelente público. O número de pessoas foi além do que a gente previa”, disse Rizek.

Segundo ele, mesmo no domingo, quando choveu, houve movimento considerável de pessoas, no período das 11h às 23h.

A exemplo da “Festa do Doce”, o festival deve voltar no ano que vem. O departamento já o incluiu no calendário oficial de eventos do município e estuda novidades para a segunda edição. Entre elas, um concurso gastronômico.

“Vamos abrir para escolha de um petisco de boteco a partir de votação”, antecipou Rizek. De acordo com ele, a ideia é que a população eleja o “melhor prato”.

O departamento deverá abrir edital de convite a jurados que farão a primeira triagem dos pratos, ou o chamado “pente fino”.

A segunda etapa será a votação do público, a cargo de determinado número de pessoas (populares que frequentarão o evento). “Caso ultrapasse o número de votos, nós poderemos indicar que a escolha seja feita por jurado profissional”, disse Rizek.

Sobre o local do evento do ano que vem, o diretor informou que não há previsão. Rizek antecipou que a Prefeitura pode mudar de espaço dependendo do número de pessoas que deverá ser projetado a partir da primeira edição.

Entretanto, citou que a fábrica São Martinho mostrou-se ideal. “Acho que agregou. As pessoas têm frisson pela fábrica e pelo casarão. Muita gente que foi lá nunca tinha entrado, e isso colaborou para o sucesso”, destacou.