Evento marca entrega de primeiros quartos reformados da Santa Casa

1800
Coordenação do projeto repassará chaves para padrinhos nesta segunda (foto: AI Prefeitura)
Publicidade

Considerado um dos maiores projetos sociais já realizados nos últimos anos em Tatuí, o “Adote um Quarto” terá a primeira ação concluída nesta segunda-feira, 18. Na data, o Fusstat (Fundo Social de Solidariedade) fará a entrega das chaves dos quartos reformados do segundo andar da ala “Orlando Bolzan”.

“Estamos divulgando que haverá o evento para dar tempo de os doadores se programarem”, contou a coordenadora do projeto, Alessandra Vieira de Camargo Teles. Ela está à frente da iniciativa que envolveu Prefeitura e sociedade civil.

Apoiada pela presidente do Fusstat, Sônia Maria Ribeiro da Silva, e demais conselheiras do órgão, Alessandra começou a captar recursos para a reforma dos leitos em julho.

Inicialmente, o grupo pretendia reformar apenas um quarto, deixando-o de modelo para que pudessem levantar recursos. A ideia era mudar as condições de atendimentos a pacientes internados pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Animadas com a conclusão da reforma da Casa de Abrigo Transitório, as conselheiras do Fundo Social resolveram mudar os planos. Foi então que Alessandra começou a mobilizar a sociedade para apoiar a entidade.

Publicidade

Mais de cem pessoas, entre empresários, funcionários do comércio, representantes de clubes de serviços, grupos e agremiações, “abraçaram a causa”. Cada grupo doou o equivalente a R$ 15 mil, valor orçado para reforma de cada quarto.

A primeira fase do projeto está em fase de conclusão. O Fundo Social finalizará, até esta semana, o segundo andar da ala. O prédio foi inaugurado em 2002 e, antes da intervenção pela Prefeitura, em maio deste ano, era usado para abrigar pacientes que apresentavam problemas psiquiátricos.

Nesta segunda, Alessandra deverá repassar as 11 primeiras chaves a uma parte dos colaboradores. O ato acontecerá na capela Sagrada Família, da Santa Casa. O acesso ao templo é feito pela avenida Cônego João Clímaco de Camargo, 300.

A exemplo dos quartos, a capela também recebeu atenção do Fundo Social. Por determinação da prefeita Maria José Vieira de Camargo, o órgão passou a buscar auxílio para revitalizar o espaço.

A meta é promover repintura e reforma de alguns dos mobiliários, como bancos, para uso de familiares de pacientes internados.

“Não terminamos a recuperação ainda. Tudo depende da mão de obra, mas o que posso antecipar é que a reforma da capela já começou”, enfatizou Alessandra.

A coordenadora informou que, na solenidade, o Fundo Social repassará as chaves para os “padrinhos”: Lions Clube de Tatuí, Rotary Club de Tatuí, grupo de amigos (coordenado por Maria Helena Grandino Teles e Maria Olívia Fogaça Miranda), Sítio do Carroção e JPBF Empreendimentos Imobiliários.

Também receberão as primeiras chaves, de forma simbólica, representantes da Cerâmica Strufaldi (em homenagem ao empresário Eduardo Strufaldi), Igreja Católica de Tatuí/Diocese de Itapetininga, José Edison Antunes e família, família Ermani, Sindicato dos Servidores Públicos de Tatuí e Região e MR FIDC Fundos de Investimentos/Mário Marques Rodrigues Júnior.

“Faremos por etapas. O primeiro grupo recebe agora; o segundo, em janeiro; e o terceiro, em fevereiro, em data ainda a ser definida”, antecipou a coordenadora.

Em todos os eventos, o Fundo transmitirá as chaves para os colaboradores. Na sequência, os representantes devem abrir as portas e, em seguida, repassar os fechos para a administração do hospital. “Assim que houver a entrega, os quartos já poderão ser ocupados pelos pacientes”, contou Alessandra.

“A questão do voluntariado em Tatuí sempre foi algo muito positivo. Daremos um tratamento mais humanizado e digno na acomodação aos pacientes e seus acompanhantes, com todo o conforto possível”, declarou a prefeita Maria José, em nota enviada pela assessoria de comunicação.

De acordo com ela, o “desafio da administração do hospital é constante”. Em janeiro, a Prefeitura pagou os salários atrasados dos funcionários e encerrou greve deflagrada no final de dezembro.

Em maio, a Prefeitura reabriu a UTI (unidade de terapia intensiva) com a capacidade total (oito leitos). Desde outubro, começou projeto de melhoria do centro cirúrgico.

A prefeita também ressalta que a administração conseguiu pagar o 13o salários de todos os funcionários do hospital, com devolução antecipada do duodécimo da Câmara Municipal. O Legislativo entregou em torno de R$ 1 milhão da sobra Orçamentária.

“Em paralelo, administramos uma dívida que ultrapassa os R$ 31 milhões. Por isso, o apoio de todos é muito importante neste momento”, concluiu Maria José.

Publicidade