Esquecimento e falta de memória da Covid-19 não diz que seja Alzheimer

26
Imagem ilustrativa (foto: Anna Shvets / Pexels)
Da MF Press Global

Recentemente, uma pesquisa divulgada pelo Jornal Alzheimer ‘s Association trouxe a informação de que a infecção pelo coronavírus Sars-Cov-2 pode aumentar o risco de problemas neurológicos a longo prazo. Com isso, os pesquisadores acreditam que a

Fabiano de Abreu

Covid-19 pode causar declínio cognitivo e demência, além de um efeito prolongado no cérebro.

Segundo o PhD, neurocientista, psicanalista e biólogo Fabiano de Abreu, “a Covid-19, assim como outras doenças pulmonares, afetam o sistema nervoso e causam danos que podem resultar em sintomas como falta e dificuldade de memorização. Alguns pacientes que foram infectados me procuraram preocupados com a doença de Alzheimer. A falta de memória está relacionada ao Covid-19 e não ao Alzheimer, mas se a pessoa tiver fenótipos da doença, isso pode adiantar o processo da doença”.

Leninha Wagner

Já a neuropsicóloga Leninha Wagner lembra que a morte de células cerebrais é o maior fator de prevalência para o Alzheimer, trazendo como principais sintomas: perda de funções cognitivas como, memória, orientação, atenção e linguagem.

Além disso, ela observa: “É um equívoco pensar que demência e doença de Alzheimer são a mesma coisa. A primeira é uma síndrome, e seus sintomas são caracterizados por disfunções do sistema cognitivo”. Para entender os efeitos do coronavírus sobre o cérebro, a comunidade científica atualmente tem estudado os efeitos colaterais e sequelas de pessoas que foram infectadas pela Covid 19, “principalmente aqueles que tiveram perda do paladar e olfato, com queixa frequente de falta de atenção e memória, confusão mental, dificuldade de concentração e localização espacial prejudicada”, acrescenta Leninha.

“São sintomas que, apesar de guardarem semelhanças com Alzheimer e demência, não caracterizam essas enfermidades. Por isso, busque por especialistas neurologistas e neuropsicólogos, afinal, um diagnóstico correto e precoce traz um prognóstico positivo”, completa Leninha.

Já o neurocientista Fabiano de Abreu recomenda que se a pessoa estiver com dificuldade de memorização, “procure um profissional da saúde para uma terapia cognitiva. E se puder, faça testes genéticos para analisar as probabilidades do Alzheimer. Sou a favor de todas as pessoas analisarem essas possibilidades independente de terem contraído a Covid-19”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome