Empréstimos de prótese e de órtese terá ‘atenção especial’

507
Publicidade





A partir de um cadastro simplificado, moradores de Tatuí podem ter acesso a equipamentos de prótese e órtese. Macas, cadeiras de rodas e de banho estão entre os itens que são emprestados gratuitamente pelo Fundo Social de Solidariedade. O trabalho existe há anos e, em 2014, terá atenção especial.

O uso é liberado após um termo que precisa ser assinado pelo munícipe. O solicitante pode utilizar o equipamento (ou retirá-lo para ser usado por um familiar) por um tempo determinado. Depois disso, precisa renovar o pedido.

As solicitações são feitas diretamente na sede do Fundo Social, em sala anexa ao Centro Cultural Municipal. A presidente da entidade, a primeira-dama Ana Paula Cury Fiuza Coelho, explicou que o trabalho “sempre existiu, mas que nunca foi divulgado”. “Acontece desde a antiga gestão”, relatou.

O apoio é oferecido para pessoas que não têm condições financeiras de arcar com a compra ou mesmo locação de equipamentos ortopédicos. Também emprestam itens entidades assistenciais do município, como a Litac (Liga Tatuiana de Apoio aos Cancerosos) e o Lar São Vicente de Paulo.

Publicidade

“Esse é um trabalho que muita gente não sabe que é o Fundo Social que executa”, disse Ana Paula. A primeira-dama afirmou que quer “corrigir essa falha” e, com isso, conseguir auxiliar cada vez mais pessoas e instituições da cidade.

Os empréstimos são concedidos mediante um pedido – que pode ser verbal. “As pessoas vêm e nos contam o que estão precisando emprestar. Nós fazemos um termo e não exigimos documento. Até porque, ninguém vai vir aqui e pedir emprestado uma cadeira de rodas se não estiver precisando”, disse Ana Paula.

Segundo ela, as duas únicas exigências é que o solicitante assine o termo de empréstimo e que renove o pedido – em caso de necessidade – a cada dois meses de uso. O cadastro é realizado por uma funcionária do Fundo Social que solicita um documento original com foto, comprovante de endereço e número de telefone.

“É muito difícil termos perda, porque temos todos os dados da pessoa e quem vem nos procurar está, realmente, precisando”, disse a presidente do Fundo Social.

A coordenadora do “Melhor Idade”, Paola de Campos, afirmou que a ajuda “funciona muito bem”. Ela relatou, também, que “há um amplo acervo”. “Eles (a equipe do Fundo Social) têm muita coisa. Há um galpão no qual ficam várias camas hospitalares, cadeiras de banho e demais itens”, descreveu.

O espaço abriga, ainda, muletas, bengalas e botas ortopédicas usadas para mobilização. Ele está localizado no mesmo prédio do Polo da Construção Civil, próximo à Secretaria Municipal da Saúde e da sede do próprio Fundo Social.

De acordo com Ana Paula, a localização é ideal para que haja um acesso facilitado da população e de quem solicita o empréstimo. Quando um item não está acessível – todas as unidades já foram cedidas temporariamente –, os solicitantes são avisados posteriormente sobre a data em que podem retirá-lo.

Também segundo a primeira-dama, apesar de não ter sido divulgada anteriormente, a ação do Fundo Social aumentou em função do “boca a boca”. Ana Paula comentou que apenas uma pequena parte das pessoas que se deslocam até a sede da entidade para solicitar o empréstimo é encaminhada pela Assistência Social do município. Grande parte toma conhecimento por conhecidos.

Daí a divulgação da iniciativa, pela primeira vez, em reportagem ao jornal O Progresso. Ana Paula explicou que a propagação da ajuda se deu, até então, porque as pessoas que recebiam ajuda comentavam com amigos e familiares.

Há, ainda, a divulgação interna na chamada “rede de assistencialismo”, que congrega as entidades do município. “Uma conta para outra e assim vai”, disse a presidente do Fundo Social. Conforme ela, funcionários de outros programas do município também encaminham pessoas para receber colaboração.

Nesse mesmo sentido, outros apoios são oferecidos pelo Fundo Social. Entre eles, os enxovais para gestantes. “Quando ficamos sabendo, já nos mobilizamos para colaborar. E isso tudo funciona muito bem”, enfatizou Ana Paula.

Como reconhecimento ao trabalho desenvolvido pela equipe, a primeira-dama afirmou que as ações só acontecem por conta do empenho dos funcionários. Em especial, Ana Paula citou o de Auro de Jesus Soares Coelho. “Ele consegue muita coisa. Tem muita credibilidade e é nosso coringa”, disse.

Especificamente na ação de empréstimos de equipamentos, a presidente do Fundo Social também citou que há colaboração voluntária. De acordo com ela, algumas pessoas comparecem ao Fundo Social para doar itens ortopédicos.

Com a divulgação no bissemanário, Ana Paula espera que o número de colaboradores aumente, ampliando, também, a quantidade de pessoas atendidas. Somente nos seis primeiros meses deste ano, o Fundo Social contabilizou 75 pedidos de empréstimo de equipamentos de órtese e próteses.

Para dar conta da demanda, a entidade promoveu a revitalização de cadeiras de rodas e de banho. O Fundo Social também conta com apoio da Prefeitura, que leva e busca os equipamentos na casa dos atendidos com um caminhão.


Publicidade