Empregos têm saldo positivo em Tatuí no mês de outubro

Caged apura 112 novas vagas no município no décimo mês

60
Município gera 1.448 novos postos de trabalho nos primeiros noves meses do ano
Publicidade
Da reportagem

As contratações do mercado de trabalho formal em Tatuí fecharam com saldo positivo pelo décimo mês consecutivo neste ano. Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) apontam a geração de 112 novos postos em outubro.

O órgão da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, divulgou o resultado na tarde de terça-feira, 30 de novembro. Os números referentes ao mês passado devem ser divulgados até 30 de dezembro.

Conforme o cadastro, o município somou 962 admissões e 850 demissões em outubro. Apesar do saldo positivo, o resultado é menor que o do décimo mês de 2020, quando Tatuí somou 494 novas vagas formais.

No décimo mês, quatro dos cinco setores analisados pelo Caged criaram vagas. Segundo o levantamento, a estatística de outubro é liderada pelo setor de serviços, com a abertura de 109 novos postos. O saldo é resultado de 368 contratados para 259 desligados.

A atividade econômica é a maior empregadora do município, com o estoque de 9.705 funcionários formalizados, o que representa 34,96% do total de empregados em outubro. Até o décimo mês, o Caged apontava 27.759 trabalhadores com carteira assinada – variação de 0,41% em relação ao mês anterior.

Publicidade

Entre os subsetores, o destaque do mês foi para os serviços de transporte, armazenagem e correio. A atividade gerou 70 novos postos de trabalho formal, advindos de 119 admissões e 49 demissões.

Em seguida, também com saldo positivo, aparecem os serviços de informação, comunicação e atividades financeiras, com a abertura de 29 novas vagas (102 para 73); alojamento e alimentação, com 29 postos (78 para 49); e “outros serviços”, com 21vagas (30 para 9).

O setor de administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais terminou o mês de outubro com saldo negativo de 40 vagas. A atividade registrou 39 funcionários e demitiu 79 no período.

O segundo melhor resultado do mês de outubro foi o da construção civil. A atividade econômica gerou 29 postos de trabalho formal, com 65 contratações e 36 desligamentos (variação de 4,57% em relação ao mês anterior).

O setor concentra 2,32% da mão de obra no município, com 664 trabalhadores formalizados nas áreas de obras de infraestrutura, construção de edifícios e serviços especializados para a construção.

Na análise do saldo dos subsetores, o melhor resultado é de obras e infraestrutura, com a criação de 24 vagas, advindas de 34 contratações e dez desligamentos no mês de outubro.

O subsetor de serviços especializados para a construção aparece em seguida, com saldo de sete novas vagas, advindas de 22 admissões para 15 demissões. Já o setor de construção de edifícios fechou o mês com saldo negativo de duas vagas, resultado de nove contratados para 11 demitidos.

Na terceira posição entre os setores que mais geraram vagas em outubro, está a indústria. A atividade econômica é a segunda maior empregadora da cidade e concentrou 30,3% do estoque de empregos em outubro, com 8.411 trabalhadores formalizados.

Na análise entre os subsetores, o melhor resultado é o da indústria de água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação, responsável pela abertura de cinco vagas, advindas de dez contratações e cinco desligamentos.

Em seguida, aparecem a indústria de extrativas, com mais dois postos (nove admissões para sete demissões) e a indústria de transformação, com uma nova vaga (195 para 194). Na indústria de eletricidade e gás, não houve alterações.

Completa a lista de atividades com saldo positivo no décimo mês o setor de comércio. A atividade econômica gerou um novo posto, advindo de 312 admissões para 311 demissões – saldo 0,01% maior em relação ao mês anterior.

O setor comercial é o terceiro maior empregador do município, com o estoque de 7.485 funcionários formalizados, o que representa 26,96% do total de empregados até outubro.

Entre os subsetores do comércio, o único a fechar o mês com saldo positivo é o de reparação de veículos automotores e motocicletas, responsável pela abertura de nove vagas. O saldo é advindo de 30 contratações para 21 demissões.

Em seguida, vem o comércio varejista, com saldo negativo de uma vaga (229 admissões para 230 desligame1ntos); e o comércio por atacado, com a perda de sete vagas – resultado de 53 contratações para 60 demissões.

O único dos cinco setores analisados pelo órgão federal a fechar o décimo mês com saldo negativo é a atividade agropecuária. Conforme o Caged, o setor contratou três novos funcionários, mas demitiu 38, resultando em variação de menos 2,29% na comparação com o mês anterior.

A atividade econômica, que abrange agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, é a quarta maior contratadora do município, e, segundo o cadastro, concentrou 5,38% do estoque de empregos contabilizados até o décimo mês do ano, com 1.494 funcionários.

Acumulado

As contratações de outubro contribuíram para manter o saldo positivo na soma dos primeiros dez meses do ano. Entre janeiro e outubro, Tatuí gerou 1.498 novas vagas de emprego – advindas de 9.425 contratações para 7.927 demissões.

Na soma dos dez meses de 2021, os cinco setores analisados pelo Caged geraram novos postos de empregos. A estatística é liderada pela indústria, com saldo de 597 novas vagas (2.529 admissões e 1.932 desligamentos).

O segundo setor com maior saldo na geração de emprego nos dez meses é o de serviços.  A atividade econômica abriu 556 novos postos, advindos de 3.238 contratações para 2.682 desligamentos.

Em terceiro lugar, vem o setor de comércio, com saldo positivo de 177 postos de trabalho formal. O resultado vem de 3.004 admissões para 2.827 demissões.

Em seguida, aparece o setor da construção civil. Nos primeiros dez meses, a atividade econômica foi responsável pela geração de 112 novas vagas, advindas de 473 admissões e 361 desligamentos.

Por último na lista dos setores que mais empregaram no ano, aparece a agropecuária. A atividade econômica foi responsável pela geração de 56 novas vagas, advindas de 181 admissões e 125 desligamentos.

Saldo nacional

O saldo de Tatuí segue tendência nacional. Conforme o balanço do órgão do Ministério da Economia, o Brasil fechou os primeiros dez meses de 2021 com saldo positivo de 2.645.974 empregos formais.

O saldo nacional é resultado de 17.209.495 admissões e 14.563.521 desligamentos. Com isso, o estoque de empregos formais no país chegou a 41.205.069, o que representa variação de 6,86% em relação ao estoque contabilizado até o mês anterior.

Os números mostram que, na totalização dos dez meses, todos os grupamentos de atividades econômicas apresentaram saldo positivo, com destaque para o setor de serviços, com a geração de 1.145.498 novos postos.

Somente em outubro (resultado mais recente divulgado pelo órgão), o país gerou 253.083 novos postos, advindos de 1.760.739 contrações e 1.507.656 desligamentos.

Publicidade