Emprego tem novo saldo positivo em abril

Contratações da indústria e da construção civil alavancam resultado, mostra o Caged

242
Trabalhador contratado por meio do PAT exibe carteira de trabalho assinada (Foto: Divulgação PAT)
Publicidade
Da reportagem

O número de contratações no mercado de trabalho formal no mês de abril superou o de demissões em Tatuí. Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostram saldo positivo de 37 novos postos abertos no quarto mês de 2021.

O órgão da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, divulgou o resultado de abril na tarde de sexta-feira da semana passada, 28 de maio. Os números referentes ao mês passado devem ser divulgados no dia 28 de junho.

Conforme o cadastro de empregados e desempregados, o município contabilizou 695 admissões e 658 demissões no quarto mês do ano. Nos 30 dias, três dos cinco setores analisados criaram vagas formais.

Segundo o levantamento, a estatística de abril é liderada pela indústria, com a abertura de 78 novos postos de trabalho. O saldo é resultado de 264 funcionários contratados para 186 desligados.

O setor industrial é o segundo maior empregador do município, com o estoque de 8.184 funcionários formalizados, 30,05% do total. O Caged aponta ter 27.229 trabalhadores no mercado formal, com carteira assinada.

Publicidade

O saldo da atividade econômica foi alavancado pela indústria de transformação, responsável por 254 contratações e 173 desligamentos, resultando em 81 novas vagas. Já a indústria de água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação perdeu três vagas, com três admissões e seis demissões.

De acordo com o diretor do trabalho e desenvolvimento econômico, Gustavo Grando, mais uma vez a maior parte das contratações ocorreu por meio do PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador). Segundo ele, a indústria é o setor que mais utiliza os serviços do órgão municipal.

O segundo setor com saldo positivo na geração de vagas no mercado de trabalho formal em abril é o da construção civil. A atividade econômica abriu 15 vagas – resultado de 38 contratações e 23 desligamentos.

O setor concentra 3,03% da mão de obra contratada no município, com 826 trabalhadores formalizados nas áreas de obras de infraestrutura, construção de edifícios e serviços especializados para a construção.

Na análise do saldo dos subsetores, o melhor resultado é do setor de serviços especializados da construção civil, responsável pela geração de 11 novos postos, com 22 contratações e 11 desligamentos.

A construção de edifícios abriu sete vagas, advindas de 14 admissões e sete demissões. Já o setor de obras de infraestrutura fechou três postos de trabalho, com dois trabalhadores contratados para cinco demissões no quarto mês.

A terceira atividade com saldo positivo no mês de abril é a agropecuária. O grupo, que abrange agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, gerou uma nova vaga, com 11 admissões para dez desligamentos.

A atividade econômica é a quarta maior contratadora do município e concentrou 5,36% do estoque de empregos contabilizado até o quarto mês do ano, com 1.461 funcionários.

Em contrapartida, a atividade comercial – terceira maior empregadora do município, com estoque de 7.506 funcionários, 27,56% do total – fechou 31 postos de trabalho, com 203 admissões e 234 demissões em abril.

Entre os subsetores, o pior resultado é o do comércio varejista, responsável pelo fechamento de 19 vagas. O resultado é advindo de 155 contratações para 174 demissões durante o quarto mês – período que coincide com a fase mais restritiva do Plano São Paulo de controle da pandemia.

O comércio por atacado (exceto recuperação de veículos automotores e motocicletas) aparece em segundo lugar na lista dos que mais demitiram no período, com a perda de nove vagas – resultado de 24 contratações para 33 demissões.

Em seguida, vem o setor de recuperação de veículos automotores e motocicletas, com a perda de três postos de trabalho formal – resultado de 24 admissões para 27 desligamentos.

Completa a lista das atividades analisadas o setor de serviços, com saldo negativo de 26 postos de trabalho – resultado de 179 admissões para 205 demissões. A atividade é a maior empregadora da cidade e concentrou 33,97% do estoque de empregos de abril, com 9.252 trabalhadores formalizados.

Na análise entre os subsetores, o relatório mostra os serviços de informação, comunicação e atividades financeiras (imobiliárias e administrativas), com saldo positivo. Foram abertas 20 vagas, advindas de 59 contratações e 39 desligamentos.

Em seguida, aparecem os serviços de administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais, com mais 12 postos (47 contratações para 35 demissões).

Contudo, outros três subsetores da atividade fecharam o mês de abril com saldo negativo: sendo 30 vagas fechadas nos serviços de alojamento e alimentação (16 contratações e 46 demissões); menos 14 vagas nos serviços de transporte, armazenagem e correio (39 para 60) e menos 14 vagas em outros tipos de serviços (50 para 64).

Quatro meses

Mesmo não sendo um saldo positivo alto, as contratações ocorridas no mês de abril contribuíram para manter bom saldo na soma dos quatro primeiros meses do ano. Entre janeiro e abril, Tatuí gerou 494 novas vagas de emprego – advindas de 3.561 contratações para 3.067 demissões.

Na soma do primeiro quadrimestre de 2021, os cinco setores analisados pelo Caged geraram novos postos de empregos formais. A estatística é liderada pela indústria, com saldo de 293 novas vagas – 1.148 admissões e 855 desligamentos no período.

O segundo setor com maior saldo na geração de vagas de emprego dos quatro meses é o comércio. A atividade econômica abriu 80 novos postos, advindos de 1.154 contratações para 1.074 desligamentos.

Em terceiro lugar, está a construção civil. O setor começou o ano com saldo negativo, perdendo uma vaga no mercado formal. Mas, no mês de fevereiro, alcançou 20 novas vagas; em março, outras 24; e em abril, mais 11, resultando em saldo positivo de 64 postos nos quatro meses.

Em seguida, vem o setor de serviços, com saldo positivo de 40 novos postos de trabalho nos quatro meses. O resultado vem de 1.035 admissões para 995 demissões ocorridas no primeiro quadrimestre.

Por último na lista dos setores que mais empregaram, aparece a atividade agropecuária, com a geração de 17 novas vagas no primeiro quadrimestre, advindas de 43 admissões e 26 desligamentos no período.

Grando acentua que o resultado positivo nos quatro meses já era esperado pelo departamento. Ele ainda acrescenta que o Posto de Atendimento ao Trabalhador continua com vagas em aberto e recebe currículos diariamente para encaminhá-los aos contratantes, além de ceder espaço às empresas para o processo de seleção de novos candidatos.

Saldo nacional

O saldo de Tatuí segue tendência nacional. Conforme o balanço do órgão do Ministério da Economia, o Brasil fechou o primeiro quadrimestre de 2021 com saldo positivo de 957.889 empregos formais.

O saldo nacional é resultado de 6.406.478 admissões e 5.448.589 desligamentos. Com isso, o estoque de empregos formais no país chegou a 40.320.857 vínculos, o que representa variação de 4,48% em relação ao estoque contabilizado até março.

Os números mostram que, na totalização do primeiro quadrimestre, todos os grupamentos de atividades econômicas apresentaram saldo positivo no país, com destaque para o setor de serviços, com a geração de 400.455 novos postos formais.

Somente em abril – resultado mais recente divulgado pelo órgão -, o país gerou 120.935 novos postos, fechando o quarto mês com saldo positivo, advindo de 1.381.767 contrações e 1.260.832 desligamentos.

Publicidade