Educação disponibiliza ambiente de aprendizagem virtual na quarentena

Portal oferece atividades semanais para o EJA e ensino fundamental I e II

2321
De acordo com a assessora pedagógica, Marisa Mendes Fiusa Kodaira, o portal oferece conteúdos semanais (Foto Arquivo O Progresso)
Publicidade
Da reportagem

Em virtude da pandemia da Covid-19, as aulas presenciais da rede municipal de ensino estão suspensas desde o dia 23 de março, contudo, a Secretaria Municipal de Educação está disponibilizando novos meios para a aprendizagem dos alunos da rede.

Na segunda-feira, 13, a secretaria lançou o programa “Escolariza”, uma plataforma para oferecer conteúdo didático em ambiente virtual, por meio do www.escolariza.com.br.

De acordo com a assessora pedagógica Marisa Mendes Fiusa Kodaira, o portal oferece conteúdos semanais e conta com atividades interativas, ministradas pelos professores da rede municipal, para complemento às pedagógicas.

A plataforma faz parte do programa “Escola Interligada”, usada pela pasta, desde 2017, para diversos serviços dentro da gestão, como publicação de nota e frequência dos alunos, reuniões de conselho de classe, encaminhamentos e solicitação de merenda, entre outras funções.

A assessora explicou que, quando as aulas foram suspensas, a equipe pedagógica percebeu a necessidade de continuar oferecendo conteúdo aos estudantes e decidiu adicionar uma nova ferramenta ao portal já existente.

Publicidade

“É um sistema bem interessante, e a funcionalidade não acrescentou nenhum custo para os cofres municipais. Nós só criamos o link com as atividades e as professoras postam o material em home office”, pontuou Marisa.

A assessora destacou que o ensino se dá na base de atividades interativas e correspondem a um complemento. Segundo ela, o objetivo é fazer com que o aluno não perca a familiaridade com as atividades e a rotina de estudos.

“São atividades de conteúdos já vistos, para que os alunos mantenham o hábito de estudo de forma regular. Isso é muito importante, porque, caso contrário, ele deixa de lado as atividades escolares, acaba esquecendo o que já aprendeu e atrasa o aprendizado”, apontou Marisa.

Ela enfatizou que a adaptação fora feita para atender os 9.244 estudantes matriculados no ensino fundamental, etapa I e II, e no EJA (ensino de jovens e adultos), e por isso conta com diversas possibilidades de acesso.

Para acessar o portal, as unidades escolares enviam as informações de login e senha via SMS aos pais ou responsáveis cadastrados. Caso o número de telefone cadastrado não esteja atualizado, o responsável deve entrar em contato com a escola do aluno ou com a Secretaria de Educação.

O conteúdo pode ser acessado pelo celular, tablet, notebook, computador, e aqueles alunos que não têm acesso à internet podem solicitar as aulas impressas na unidade em que está matriculado, em horários e dias combinados entre as escolas e os pais ou responsáveis.

Marisa salientou que, para fazer as atividades, o aluno não precisa gastar os dados móveis do aparelho, caso acesse de celular ou outro dispositivo por meio deste recurso, já que os exercícios podem ser feitos “off-line”. “Nós pensamos em tudo, pretendíamos que as atividades chegassem a todos, indistintamente”, disse Marisa.

“Com isso, conseguimos chegar a quem tem internet ou não, e àqueles que não têm nenhum equipamento na casa. Neste caso, a escola imprime as atividades e entrega às famílias”, acrescentou.

Marisa afirmou que as atividades virtuais ainda devem ajudar os estudantes a conseguirem atingir o número de horas exigido pela LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) e, com isso, eles não terão prejuízo no ano letivo.

“Em momento algum o aluno vai sofrer qualquer tipo de prejuízo. Nós nem pensamos em avaliação, isso nós vamos fazer em outro momento, quando as coisas estiverem voltando ao normal. Enquanto isso, o aluno não vai ter falta, e as atividades em casa já estão sendo computadas como horas de estudo”, observou a assessora.

Conforme Marisa, a LDB exige o cumprimento de no mínimo 200 dias letivos e 800 horas. “Com o atual cenário, nós sabemos que não tem como serem cumpridos os 200 dias letivos. Então, o que se exige, agora, são as horas e essas atividades em casa”, assegurou.

Além disso, a assessora ressaltou que, quando as aulas voltarem ao normal, as atividades devem ser reforçadas. “Vamos ter um processo de reposição bem forte, e temos uma equipe de planejamento já trabalhando em cima de um novo calendário para terminar o ano letivo sem ter prejuízo para o aluno”, garantiu.

 

Educação infantil

A equipe da educação infantil também está disponibilizando, nas páginas oficiais do Facebook e do Instagram, atividades para auxiliar as famílias a passarem pelo período de quarentena.

Desta forma, as famílias das 4.260 crianças matriculadas na rede municipal recebem conteúdo e “podem continuar a estimular o aprendizado e o desenvolvimento de suas crianças nesse momento tão desafiador, através das brincadeiras, livros digitais e atividades lúdicas divulgadas”.

“Essas postagens trazem histórias para serem lidas pelas famílias, sugestões de brincadeiras e vídeos gravados carinhosamente por professores, monitores, coordenadores e diretores da rede municipal”, explica Marisa.

“A ideia é tornar este momento crítico em uma oportunidade de união entre filhos e pais, sem cobranças excessivas, porém, com atividades prazerosas que possam garantir harmonia e vínculos afetivos saudáveis”, completa a assessora.

Para mais informações, deve-se acessar a página da educação infantil no Facebook, pelo link https://www.facebook.com/educacaoinfantil.tatui, ou através do Instagram, pelo link https://www.instagram.com/educacao_infantil_tatui/.

Para eventuais dúvidas ou mais informações sobre as atividades do ensino fundamental, basta entrar em contato com a escola em que o aluno estuda, ou com a Secretaria de Educação, pelos telefones: (15) 3251-5848 e (15) 3259-3988, ou pelos e-mails: educacao@tatui.sp.gov.br; supervisao@emef@tatui.sp.gov.br; e suportepedagogico@tatui.sp.gov.br.

Publicidade