Duas ocorrências de violência  doméstica provocam prisões

GCM atendeu, ao todo, 480 casos durante a semana passada

647
Da redação

A Guarda Civil Municipal atendeu 480 ocorrências de diversas naturezas na semana passada, entre segunda-feira e domingo, 13 e 19. Entre as centenas de atendimentos, dois casos foram relacionados a violência doméstica.

No primeiro, a vítima – que já tinha uma medida protetiva e era cadastrada no programa “Patrulha da Paz”, da GCM – acionou o “botão do pânico”. Uma equipe esteve no local, abordou o acusado e o conduziu, com a vítima, ao Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto” e, depois, à Central de Flagrantes, onde ele permaneceu à disposição da Justiça.

Já no segundo caso de violência doméstica, a GCM recebeu pedido de socorro via COD (Central de Operações e Despachos). No local, os guardas constataram que o ex-marido da vítima havia invadido a residência e agredido ela e a mãe. Todos foram levados ao pronto-socorro e, na sequência, à Delegacia Central, onde o acusado também ficou à disposição da Justiça.

Durante a semana passada, a GCM registrou operações de abordagem (96 pessoas e 9 veículos), auxílio ao público (viatura e base comunitária), orientação, Operação Saturação, fiscalização em estabelecimentos, orientação e auxílio ao trânsito, autos de infração de trânsito, apoio às demais instituições públicas, averiguação, ambiental, acidente de trânsito e apoio à farmácia da prefeitura.

Com relação a crimes, aconteceu a prisão de seis pessoas (cinco homens, sendo dois menores de idade, e uma mulher) e cinco flagrantes, resultando em duas ocorrências por tráfico de drogas (0,004 grama de maconha, 0,004 grama de cocaína e 0,016 grama de crack) e três por furto, além das duas por violência doméstica.

Os 14 atendimentos com elaboração de boletins de ocorrência foram das naturezas: fiscalização em estabelecimentos (4), averiguação (2), apoio às instituições públicas (4), ambiental (3) e Operação Cerol (1).

Patrulha da Paz

O programa Patrulha da Paz, da GCM, “visa promover a garantia dos direitos fundamentais às mulheres vítimas de violência doméstica, realizando o seu atendimento e acolhimento, visitas domiciliares e fiscalização quanto ao cumprimento de medidas protetivas”.

A GCM possui viaturas equipadas para atender as mulheres sob medida protetiva. Com o aplicativo de segurança, o botão de pânico, através dos tablets nas viaturas, a GCM pode chegar mais rápido ao local da ocorrência.