Divulgadas etapas de criação de postos de proteção animal

248
Publicidade





Pelo menos 12 funcionários municipais exercerão a função de protetor público de animais. É o que prevê iniciativa encabeçada pelo vereador José Marcio Franson (PT).

O parlamentar divulgou, nesta semana, que a Prefeitura já iniciou etapas para criação do projeto “Posto de Proteção Animal”.

O cronograma – sem datas pré-definidas – teria sido apresentado ao parlamentar pelo prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, em reunião no final do mês passado.

Eles trataram do assunto no encontro que teve participação do vice-prefeito e secretário municipal do Governo e Segurança Pública, Vicente Aparecido Menezes, e do presidente da Câmara Municipal, Osvaldo Laranjeira Filho (PT).

Publicidade

Em nota, o parlamentar afirma que a Prefeitura já autorizou o remanejamento dos primeiros funcionários municipais que atuarão no projeto.

Inicialmente, quatro exercerão a função de protetores públicos. “Ao final, serão 12 na cidade, um para cada 10 mil habitantes”, disse Franson.

Também conforme o vereador, o Executivo iniciou licitação para contratação de equipes de veterinários que realização os chamados “mutirões iniciais de ajuste”.

Franson divulgou, ainda, que o prefeito autorizou a realização de 400 castrações gratuitas por mês. Segundo ele, as esterilizações serão realizadas a cada 15 dias, “em todos os bairros da cidade e ininterruptamente”. A meta é atingir a castração de 80% de todas as cachorras e gatas no município.

De acordo com o vereador, o Executivo prevê 7.000 castrações. A iniciativa é considerada inédita no país e apontada por Franson como uma “solução ética e definitiva para o sofrimento dos animais abandonados”.

Em março deste ano, o parlamentar divulgou estimativa considerada “preocupante”. Naquele mês, havia aproximadamente 4.000 cães abandonados em Tatuí. Também segundo ele, havia outros 4.000 cães e gatos abandonados em abrigos espalhados pelo município.

Ainda em nota, Franson cita que Tatuí é a única cidade do Brasil que “baniu os assassinatos de cães e gatos pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses)”.

Também afirmou que, ao implantar o projeto dos postos, o município será “referência nacional”. Ainda agradece ao prefeito, chamando-o de “visionário e libertador”.

Ele estendeu os agradecimentos ao vice-prefeito, aos vereadores e aos protetores de animais e simpatizantes que enviaram “milhares de e-mails ao prefeito e que ajudaram na formatação do projeto”. “Fico muito feliz. Agora, é enfrentar o monumental desafio de provar a eficiência do projeto”, concluiu.


Publicidade