‘Deus me deu uma lí­ngua que não será cortada’, diz prefeito

449
Publicidade





“No meio político, pessoas para colocar uma casca de banana, ou uma pedra na frente, está fácil. Mas, enquanto a gente vem prestando homenagem, trazendo equipamentos, tem pessoas que aterrorizam a população”.

O comentário do prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, aconteceu durante inauguração da Creche Municipal “Professor Vicente de Camargo Barros”, na manhã de sábado, 20.

Em discurso, Manu voltou a rebater críticas recebidas pela atual administração e refutou a alegação atribuída à oposição de que “não está se fazendo nada no município”.

Ao anunciar investimentos para a área da Educação, o prefeito citou que o Executivo tem concretizado projetos em diversos setores. Como exemplo, citou a implantação da Escola do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), inaugurada na tarde de sexta-feira, 19 (reportagem nesta edição).

Publicidade

“Deus me deu dois braços, duas pernas e uma língua que ninguém corta. Estamos fazendo muito na área da Educação e na qualificação profissional. Entregamos um sonho para a nossa cidade”, disse, referindo-se ao Senai.

Manu afirmou que tornou realidade uma promessa feita por gestores que o antecederam. “Nós entregamos o tão sonhado Senai, que vai profissionalizar todo jovem tatuiano de 14 anos de idade em diante”, argumentou.

Além da escola, o Executivo trabalha para construir mais uma unidade de ensino no Jardim Santa Rita de Cássia. Trata-se de uma escola de ensino fundamental e médio, que terá 11 salas e capacidade para abrigar 300 estudantes.

O lançamento da pedra fundamental deve acontecer em outubro, sendo a obra viabilizada pelo governo do Estado. Para Manu, ela representa “mais oportunidade de estudo para o alunado do bairro, segurança para os pais e menos gastos para o município”.

Com a unidade, a Prefeitura deixará de transportar estudantes daquela região para outras unidades no município.

“Falar que não faz nada é fácil. Eu quero ver é sentar naquela cadeira, ali”, disse o prefeito, fazendo menção à cadeira que ele ocupa no paço municipal.

“Eu falo que quem sente o fogo do fogão é a bunda da panela. Então, quem senta naquela cadeira sabe o quanto queima”, emendou o prefeito.

Manu classificou as críticas como “barbaridades” e afirmou que teve dificuldades no início da administração. Citou o complexo da Polícia Civil e o novo prédio do Cemem (Centro Municipal de Especialidades Médicas), obras retomadas após renegociações de débitos com empreiteira.

Além do recurso para conclusão, o prefeito disse que o Cemem exigirá verba para manutenção. “Ele não é só lindo, é eficiente. Vamos ter um novo hospital municipal. Quem vai manter somos nós, e o mais difícil é manter”, falou.

Ao final, o prefeito declarou que resolveu “colocar os ‘pingos nos is’ porque a população precisa saber da verdade”. “Temos que esclarecer como são e como estão acontecendo as coisas, e que nós estamos trabalhando”, concluiu.


Publicidade