Condephat realizará roda de conversa sobre patrimônio

1644
Palestra com Sônia Regina Rampim Florêncio, do Iphan, será no CEU das Artes (foto: AI Prefeitura)

Neste sábado, 31, a partir das 9h30, o Condephat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Artístico de Tatuí), em ação colaborativa com a Secretaria de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude da Prefeitura de Tatuí, realizará no CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados) “Fotógrafo Victor Hugo da Costa Pires”, uma roda de conversa com o tema: “Patrimônio Cultural, Cidadania e Educação Patrimonial”.

A coordenadora de educação patrimonial do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Sônia Regina Rampim Florêncio, será a mediadora da conversa.

O evento abordará as competências do poder público em criar condições para o entendimento, especificamente, das políticas públicas de preservação do patrimônio cultural.

A presidente do Condephat, Maíra Barros, explica que as estratégias educativas são fundamentais para atingir esse objetivo e propiciar a “interação social entre o poder público e os diversos atores sociais envolvidos e preocupados com a preservação da memória coletiva”.

O objetivo do encontro é contribuir para o debate e apresentar as diretrizes de educação patrimonial do Iphan, bem como algumas estratégias para o trabalho nesse campo.

“É direito do cidadão a garantia do acesso à identificação dos valores e significados do patrimônio do território onde vive. O exercício da cidadania, nesse sentido, pressupõe não só o acesso aos bens culturais como, também, a participação na seleção e no modo de se apropriar desse patrimônio”, completou Maíra.

O CEU das Artes está situado na rua Ana Rosa Monteiro, 475, vila Santa Helena. Mais informações pelo telefone: (15) 3259-5340.

Sônia Regina

Formada em ciências sociais pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) “Júlio de Mesquita Filho”, Sônia tem especialização em sociologia rural pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), especialização em políticas públicas de proteção e desenvolvimento social pela Enap (Escola Nacional de Administração Pública) e mestrado em educação pela Unicamp.

É técnica em educação desde 2006 e coordenadora de educação patrimonial do Iphan desde 2011. Antes do trabalho no órgão, atuou como professora de educação básica e superior em Tatuí e Araraquara. É, também, membro do Icomos Brasil (Conselho Internacional de Monumentos e Sítios).