Cobranças à UPA após mudança de gestão são reforçadas no Legislativo

Micheli e Villa Nova (PP) protocolaram três requerimentos relacionados

Vereadores aprovam 16 indicações 55 requerimentos e 5 moções (foto: Eduardo Domingues)
Da redação

Após inúmeras questionamentos feitos à organização Beneficência Hospitalar de Cesário Lange, ex-gestora da UPA (unidade de pronto atendimento) “Augusto Moisés de Menezes Lanza”, os vereadores reforçaram as cobranças ao Instituto Esperança (Iesp), nova gestora da unidade de saúde.

As cobranças foram feitas através de três requerimentos, protocolados em conjunto por Fábio Antônio Villa Nova e Micheli Cristina Tosta Gibin Vaz (ambos do PP) e aprovados durante sessão ordinária na segunda-feira, 25 de abril.

Através do requerimento 1.142/22, os parlamentares pedem ao Executivo informações detalhadas sobre a empresa vencedora do processo licitatório para a gestão da UPA, além de uma cópia do contrato firmado entre a prefeitura e o Iesp.

Pelo requerimento 1.144/22, Micheli e Villa Nova solicitam o envio, em forma de certidão, de uma cópia completa do processo licitatório e ainda pedem informações sobre as empresas que participaram do processo, além de valores e propostas oferecidas por cada uma.

Já o documento 1.151/22 questiona se o prefeito Miguel Lopes Cardoso Júnior está ciente sobre a espera para o atendimento médico na UPA – que o documento sustenta ser de quatro horas em média – e quais as medidas e ações pretende tomar para que o tempo seja diminuído.

Os autores das matérias afirmaram ter sido procurados por munícipes que precisaram aguardar horas para serem atendidos na unidade.

Os parlamentares ainda relataram ter recebido denúncias de falta de médicos pediatras e pediram a contratação de mais profissionais, além de afirmarem estar cientes de que a Iesp “tem reclamações em outros municípios”.

Ainda relacionado à área de saúde, o presidente da Casa de Leis, Antonio Marcos de Abreu (PSDB), apresentou o requerimento 1.102/22, questionando sobre como está a situação de uma van pertencente à Santa Casa de Misericórdia.

Na tribuna, Abreu afirmou que, quando era interventor do hospital tatuiano, conseguiu uma emenda parlamentar para a compra do veículo e, nas duas últimas administrações, ela foi utilizada para atender UBSs (unidades básicas de saúde).

Conforme o parlamentar, atualmente, a van está “jogada e arrebentada”. Diante disso, ele pede que o veículo seja reformado e devolvido à Santa Casa.

Na 12ª sessão ordinária de 2022, os parlamentares analisaram e aprovaram todos os 76 documentos protocolados na pauta, composta por 16 indicações, 55 requerimentos e 5 moções de aplausos e congratulações.

João Éder Alves Miguel (MDB), através dos requerimentos 1.149 e 1.150/22, pergunta à prefeitura se há alguma ação de fiscalização quanto ao desperdício de água e se acompanha, junto à Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), os índices de água distribuída à população tatuiana.

Os requerimentos 1.116 e 1.117/22, de Maurício Couto (PSDB), perguntam sobre a possibilidade de manutenção nos pisos dos corredores e de compra de câmeras de monitoramento para o cemitério municipal Cristo Rei.

Ele aproveitou para informar a ocorrência de furtos de puxadores de cobre de gavetas dos túmulos, além das molduras com as fotos de pessoas sepultadas no local, pedindo mais respeito às famílias.

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome