Campanha no município prorroga o período de imunização contra gripe

1669
Vacinas estarão disponíveis nos postos de saúde até o dia 15 (foto: Gabriel Guerra)
Publicidade

A 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe Influenza foi prorrogada por mais duas semanas e se estenderá até o dia 15. O objetivo é garantir que as pessoas ainda não imunizadas possam receber as doses, pois a paralisação dos caminhoneiros pode ter gerado eventuais dificuldades de deslocamento da população aos postos.

Até o dia 15, as doses continuarão disponíveis na rede pública de saúde, seguindo a meta da campanha, de vacinar 30 mil pessoas em Tatuí.

Como não há imunizantes disponíveis para toda a população, o governo define alguns públicos mais suscetíveis à doença, que correm risco maior de sofrer complicações após a infecção inicial ou têm contato diário com várias pessoas e, assim, podem transmitir o vírus para muita gente.

Fazem parte desse grupo – que recebe gratuitamente a vacinação – as pessoas com 60 anos ou mais; portadores de doenças crônicas, como asma, diabetes e imunodeprimidos; crianças com idade a partir de seis meses e até cinco anos; profissionais de saúde; gestantes e puérperas (com até 45 dias após o parto).

A vacinação segue de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 16h, em todas as unidades básicas de saúde, com exceção da Santa Cruz, Congonhal e Mirandas, que funcionam das 8h às 13h. Para receber as doses, é necessário apresentar a carteira de vacinação ou um documento de identidade.

Publicidade

Na primeira fase, foram imunizados 1.652 profissionais da área de saúde (45,33% da meta estabelecida) e 7.880 idosos (60,87%).

No segundo grupo, receberam as doses 1.652 crianças com idade entre seis meses e menores de cinco anos (24,28%), 396 gestantes (32,54%) e 99 puérperas (até 45 dias após o parto, somando 49,50%).

No terceiro grupo, 2.851 pessoas com doenças crônicas ou imunodeprimidos foram vacinadas, além de 502 professores (51,38%).

Desde 23 de abril, aproximadamente 8 milhões de paulistas foram vacinados em todo o Estado, abrangendo mais de 3,8 milhões de idosos; mais de 1 milhão de crianças; cerca de 194 mil gestantes e de 56,5 mil puérperas, entre outros.

Considerando a meta, ainda é preciso vacinar pelo menos 2,8 milhões de pessoas. O alerta especial é para crianças e grávidas, que ainda apresentam cobertura vacinal de 42,6% e 43%, respectivamente. Todas as regiões abrangidas pelos 17 Departamentos Regionais de Saúde (DRSs) têm cobertura vacinal superior a 70%.

“Conforme o calendário de vacinação do Ministério da Saúde, nossa campanha vai até 15 de junho, com doses gratuitas disponíveis nos postos para todos os grupos do público-alvo”, afirmou a diretora de Imunização da Secretaria, Helena Sato.

“A vacina não provoca gripe em quem tomar a dose, já que é composta apenas de fragmentos do vírus, que causam a devida proteção, mas são incapazes de causar a doença”, explica.

Segundo recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde), a vacina de 2018 prevene a população contra o vírus Influenza dos tipos A (H1N1), A (H3N2) e B.

A vacina é produzida pelo Instituto Butantan, unidade vinculada à Secretaria de Estado da Saúde, que, neste ano, disponibilizou 60 milhões de doses ao Ministério da Saúde para a realização da campanha em todo o Brasil.

O vírus Influenza é uma infecção viral aguda do sistema respiratório, de elevada transmissibilidade e distribuição global. A pessoa pode contraí-la várias vezes ao longo da vida e, em geral, tem evolução autolimitada. Porém, em alguns casos, pode evoluir para a forma grave.

A doença é transmitida facilmente por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem três tipos de vírus: A, B e C. O tipo C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionada com epidemias.

Os vírus influenza A e B causam epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias. O vírus causa infecção aguda das vias aéreas, junto com estado febril. O quadro começa a ser revertido após dois ou três dias e volta ao normal em torno do sexto dia.

A febre, geralmente, é mais acentuada em crianças. Os demais sinais são os de aparecimento súbito, como calafrios, mal-estar, dor de cabeça, diarreia, vômito e fadiga.

Para evitar a contaminação, é indicado cobrir o nariz e a boca enquanto espirra ou tosse; evitar tocar a boca e o nariz; levar as mãos com água e sabão ou álcool gel 70%; melhorar a circulação dos ambientes, abrindo as janelas; evitar locais com grande aglomeração de pessoas e manter hábitos saudáveis.

Publicidade