Bazar de Natal terá itens exclusivos e que reforçam ‘grife’ do F. Social

681
Peças de crochê, tricô e utilizadas em decoração de mesas natalinas estarão à venda durante dez dias (AI Prefeitura)
Publicidade

Uma das primeiras ações programadas pela equipe do Fusstat (Fundo Social de Solidariedade de Tatuí) para este ano, o Bazar de Natal traz novidades.

A primeira edição do evento sob o comando da presidente Sônia Maria Ribeiro da Silva apresenta ao público itens exclusivos. São peças que reforçam a “grife” da entidade.

Com a presença de toda a “família Fundo Social”, Sônia realizará a abertura do bazar a partir das 19h de segunda-feira, 11, no Centro Cultural Municipal.

As vendas seguirão até o dia 21. Neste ano, além das peças de artesanato, o Fusstat reabrirá o Café Solidário, no piso inferior do prédio, à praça Martinho Guedes (Santa), 12, no centro.

São mais de cem itens disponibilizados à venda e que começaram a ser incluídos na lista dos produtos desde o início do ano. A presidente explicou que o Fundo Social começou os preparativos do bazar natalino em janeiro.

Publicidade

“Nós nos programamos desde o início do ano, porque o bazar é o ápice do Fusstat. É quando nós apresentamos ao público os trabalhos realizados durante todo o ano”, sintetizou.

De acordo com a presidente, os itens são uma mostra do que é produzido nos centros de capacitação da entidade. “Por isso que eu falo que o bazar é o coroamento do que foi o Fundo Social ao longo do ano”, adicionou.

Para o Fundo Social, o bazar funciona, ainda, como uma espécie de termômetro junto à população, a consumidora dos produtos.

Isso porque é durante as vendas que as coordenadoras têm a possibilidade de avaliar quais cursos podem ser mais lucrativos para quem frequenta os centros de capacitação.

“Para nós, o evento é muito importante, porque mostra quando tudo está dando certo, como no caso das receitas, que são testadas e aprovadas”, observou Sônia.

Embora as atividades dos centros de capacitação tenham se iniciado mais tarde, neste ano, a presidente reafirmou que o esforço da equipe e a dedicação das coordenadoras, professoras e voluntários em geral permitirá que o bazar alcance resultados positivos. A entidade reiniciou as capacitações em março, depois de levantar recursos para revitalização dos centros.

Uma vez retomada as atividades, os espaços de ensino ofereceram cursos até o dia 25 de outubro. Dessa data em diante, as voluntárias e professoras passaram a se dedicar mais à produção para atender ao bazar. “Elas trabalham junto com os alunos com dedicação exclusiva”, contou Sônia.

Os resultados serão vistos na forma de peças de crochê, jogos de mesa e guardanapos, além de toalhas de lavabo produzidas com uma técnica exclusiva. Trata-se do bordado em crivo, um trabalho manual e minucioso, realizado em etapas.

O bordado começa com o desfio de tecido, com vazamento, para separação dos fios e cortes para moldagem em quadrados. Depois, é preciso preencher os espaços com desenho, usando linha, urdir as laterais e dar acabamento nas bordas.

“É uma técnica que quase ninguém sabe fazer mais. O trabalho fica lindo. É igual a uma renda e fica como se fosse desfiado. Na região, Tatuí é uma das únicas cidades que têm o crivo”, revelou a assessora do Fundo Social Aline Negrão França.

A lista de produtos em artesanato inclui decoração para mesa de Natal e trabalhos em patchwork. Esta última, uma técnica que consiste na junção de tecidos de várias cores, padrões e formas, costurados para formar desenhos geométricos.

Reativado, o café terá à venda pães (integrais, com tomate seco, de laranja e alecrim), doces e salgados, além de sorvete e a pipoca “gourmet”. No espaço, ainda haverá cuscuz, pizza, escacatina, bolo funcional (com banana e aveia) e doces.

Também serão vendidos rosca natalina e de coco, “wraps” (quentes e frios), bolo de maçã, de leite com nozes, de cenoura e ameixa, minibolo de fubá com calda de goiabada, “red velvet” (bolo de beterraba), bolo de cenoura e bolo verde.

Como na Feira do Doce, o Fundo Social trará de volta a maçã do amor e sorvete. Entre os salgados, estarão tortas de sabores diversos e quiches de frango e brócolis.

A presidente reforçou que todos os produtos mantêm o “selo de qualidade do Fundo Social”. Também por isso, serão comercializados a preços bem populares.

“Procuramos, sempre, atender à realidade das pessoas, mas mantendo a qualidade para que possamos estimular resultados”, ressaltou Sônia.

De acordo com ela, todas as peças disponibilizadas pelo Fundo Social são únicas por terem produção artesanal. A presidente esclareceu que o objetivo do evento é angariar fundos para a manutenção dos cursos da entidade e além.

“O que nós queremos é que as pessoas conheçam o que estamos produzindo nos centros de capacitação, queremos visibilidade. Quanto mais as pessoas conhecem o nosso trabalho, mais podem nos ajudar”.

Segundo a presidente, é por ter recebido apoio na divulgação que o Fundo Social está colhendo frutos. Sônia lembrou que a entidade sempre é prestigiada e conta com apoio de divulgadores, em especial do jornal O Progresso.

“Muitas pessoas vieram até nós depois de terem visto matérias no jornal. E, neste ano, nós ficamos muito felizes porque conseguimos uma nova parceria”, contou.

A colaboração veio da unidade de Tatuí da BRF. A planta local tornou-se apoiadora do projeto Cozinha Solidária, que entrou em atividade na vila Esperança.

“Na realidade, o Fundo Social virou uma empresa, com muitos voluntários trabalhando e que está dando certo, porque nós arrecadamos muito neste ano”, comemorou.

A entidade espera repetir o resultado na última ação do ano que tem horários diferenciados. Em dias de semana, o Bazar de Natal abrirá das 13h às 22h. No sábado, 16, e domingo, 17, o atendimento será das 10h às 18h.

Publicidade