Aula presencial é obrigatória a partir de 2ª também em Tatuí

Segue distanciamento de 1 m com revezamento entre alunos

295
Secretária da Educação fala sobre o retorno das aulas presenciais (foto: Arquivo pessoal)
Publicidade
Da reportagem

A Secretaria Municipal de Educação está se preparando para a retomada presencial de todos os alunos na rede de ensino tatuiana.

O governador João Doria anunciou nesta quarta-feira, 13, o retomo obrigatório dos estudantes às aulas presenciais nas redes estadual, municipal e privada – vinculadas ao Conselho Estadual de Educação, a partir de 18 de outubro.

De acordo com a secretária municipal da Educação, Elisângela da Costa Rosa Cecílio, cerca de 80% dos alunos tatuianos já aderiram às aulas presenciais e estão frequentando as escolas, obedecendo o distanciamento de um metro entre eles.

“Temos uma mínima parcela de alunos que ainda está em revezamento, na educação infantil, com os alunos de quatro e cinco anos, que têm algumas salas ainda em revezamento, por conta do distanciamento, mas não são todas”, disse a secretária.

Elisângela aponta que, para garantir a segurança do retorno às aulas presenciais, todos os protocolos sanitários, como o distanciamento de um metro entre os alunos, uso obrigatório de máscara e álcool em gel, serão mantidos até o final de outubro, seguindo as regras anunciadas pelo governo do estado.

Publicidade

A partir de 3 de novembro, novas mudanças passarão a ser implementadas, como a não obrigatoriedade do distanciamento de um metro e, por consequência, a descontinuidade do revezamento entre os alunos nas aulas presenciais.

Conforme a secretária, a medida ampliará o acesso e a frequência dos estudantes da educação básica a 100% presentes simultaneamente, como era antes da pandemia.

“Desde quarta-feira, 13, nós estamos divulgando aos pais este retorno e, a partir do dia 3 de novembro, vamos nos adequar para que todos os alunos retornem às aulas presenciais normalmente”, informou a secretária.

Conforme Elisângela, as adequações envolvem diversas questões voltadas, principalmente, à estrutura física dos prédios escolares, desde o espaçamento entre as mesas e cadeiras até o mobiliário usado pelos alunos e professores em sala de aula.

“Para ter uma ideia, na educação infantil, nós usávamos mesas com quatro alunos; agora, eles estavam usando carteiras individuais. A partir de segunda-feira, 18, para acomodar os 100%, nos vamos ter que mudar todo o mobiliário novamente e conversar com os pais, para que haja este retorno”, explicou a secretária.

Elisângela ressalta ter alguns casos com exceção à obrigatoriedade, os quais poderão permanecer em atividade remota. Entre eles, jovens pertencentes ao grupo de risco com mais de 12 anos e que não tenham completado o ciclo vacinal contra Covid-19.

Também entram nesse grupo as jovens gestantes e puérperas; crianças menores de 12 anos pertencentes ao grupo de risco para as quais não há vacina contra a doença; jovens com mais de 12 anos com comorbidades e que não tenham completado o ciclo vacinal; e estudantes com condição de saúde de maior fragilidade à Covid-19, mesmo com o ciclo vacinal completo.

“Todos estes alunos estão amparados por leis e por decretos. Nestes casos, é necessário apresentar comprovação da situação com prescrição médica para permanecer em atividades remotas, mas todos os casos serão respeitados”, garantiu a secretária.

Linha do tempo

Desde o início da pandemia, o governo de São Paulo, a Seduc-SP e as secretarias municipais da Educação vêm se empenhando para promover o avanço na retomada das atividades presenciais nas escolas.

Em 8 de setembro de 2020, as escolas foram abertas para atividades presenciais e, no dia 3 de novembro, autorizadas as aulas regulares para ensino médio (EM) e Educação para Jovens e Adultos (EJA).

Em janeiro de 2021, a recuperação aconteceu de forma presencial e facultativa e, em 8 de fevereiro, ocorreu a abertura das escolas para o ano letivo de 2021.

Em março, durante a fase emergencial do Plano São Paulo, as escolas abriram só para os estudantes mais vulneráveis, de acordo com o CadÚnico.

No mês seguinte, em 14 de abril, já na fase vermelha do Plano São Paulo, a presença permitida era de até 35% dos alunos. Em julho, também houve recuperação presencial.

No dia 2 de agosto, foi dado início ao segundo semestre letivo presencial e, neste mês de outubro, anunciado o retorno total dos estudantes, com presença obrigatória em sala de aula, que antecede o último avanço na escalada para a retomada das atividades presenciais na Educação – o retorno sem revezamento de todos os estudantes.

Para o governo do estado, a imunização de mais de 95% dos profissionais da Educação, com esquema vacinal completo, garante maior segurança para a retomada por completo das aulas. Além disso, 90% dos adolescentes de 12 a 17 anos já tomaram a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

Para Elisângela, o retorno é considerado seguro. Segundo ela, desde o início das aulas neste ano, não houve nenhum caso de transmissão por coronavírus entre alunos e professores nas escolas da rede pública.

“Ocorreram casos isolados de contaminação de alunos e professores, que foram afastados assim que descobriram a doença. Mas, sempre tinha alguém da família com teste positivo na casa e mais ninguém foi contaminado nas mesmas salas onde ocorreram os casos”, argumentou a secretária.

Elisângela ainda aponta que, para o retorno das aulas, todas as mudanças necessárias são analisadas por duas comissões: o Comitê de Enfrentamento à Covid-19, da Secretaria de Educação, e o Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento à Covid-19.

“Nós estamos realizando diversas reuniões e tendo todas as visões técnicas dos comitês para que possamos fazer este retorno da melhor maneira e da forma mais segura possível”, disse a secretária.

“Acredito na segurança do retorno, sendo efetivado com tranquilidade, sem atropelos e seguindo todas as normativas do protocolo de segurança de retorno às aulas”, concluiu Elisângela.

Dia dos Professores

Em entrevista ao jornal O Progresso, a secretária da Educação aproveitou para parabenizar os colegas de trabalho pelo Dia dos Professores – celebrado na sexta-feira, 15 de outubro.

“Quero deixar meu abraço e meus parabéns a todos os professores e falar da minha gratidão por todo trabalho dispensado neste tempo de pandemia. Muitos se reinventaram e buscaram as mais diferentes estratégias para chegar aos alunos em uma verdadeira demonstração de amor pela profissão”, disse ela.

“Também quero deixar meu agradecimento ao prefeito professor Miguel Lopes Cardoso Júnior, que sempre tem um olhar especial à Educação do nosso Município”, concluiu.

Publicidade