Artesp anuncia acesso na SP-127 e prefeito antecipa o iní­cio de obras

501
Publicidade





Principal condição para o início das construções de duas empresas em Tatuí – a paranaense Noma do Brasil e a gigante chinesa Zoomlion –, o acesso ao novo distrito industrial terá início na próxima semana.

A informação foi divulgada pelo prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, que antecipou prazo dado pela Artesp (Agência Reguladora dos Transportes) do Estado de São Paulo.

Na tarde de quarta-feira, 17, a agência anunciou cronogramas de investimentos que somam R$ 243 milhões e atendem quatro municípios na região. Além de Tatuí, estão contempladas as cidades de Sorocaba, Avaré e Porto Feliz.

As obras serão viabilizadas pelo Programa de Concessões Rodoviárias, do governo. Em Tatuí, ele contempla implantação de um novo acesso na rodovia Antônio Romano Schincariol (SP-127). O dispositivo permitirá a abertura de uma marginal que atenderá as futuras fábricas da Noma e da Zoomlion.

Publicidade

Em nota divulgada à imprensa na quinta-feira, 18, as duas companhias – que negociam com o município – são reiteradas pela assessoria do ex-prefeito e atual candidato a deputado estadual, Luiz Gonzaga Vieira de Camargo, como conquistas da administração dele.

Os investimentos somam R$ 6 milhões nos serviços, que estão a cargo da concessionária CCR SPVias. Conforme a Artesp, a obra será iniciada em dezembro deste ano, com conclusão prevista para outubro do ano que vem. O prazo, entretanto, foi antecipado pelo prefeito, em contato com a reportagem.

Manu afirmou que o pacote de obras de infraestrutura é fruto de um trabalho de mais de um ano da administração dele junto ao governo do Estado.

“Estive brigando para que o acesso saísse. Quando assumi, me deparei com o problema de instalação das empresas, que serão obras futuras, no ano que vem”, disse.

Em 2013, o prefeito apresentou solicitação ao governador – atualmente afastado – Geraldo Alckmin para a autorização do estudo de criação do acesso.

Neste ano, Manu afirmou que voltou a cobrar o governador. Segundo ele, em agosto, Alckmin autorizou a Artesp a analisar o projeto executivo.

Conforme o prefeito, houve ainda outro fator condicionante para a implantação do acesso: a transferência do SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário) da CCR SPVias.

O espaço pertencente à concessionária fica, atualmente, na frente da futura planta da Noma, o que representaria empecilho para a construção ou para o deslocamento da produção da planta de Tatuí.

Após entendimentos, a empresa aceitou construir um novo SAU para a concessionária 200 metros à frente do ponto atual. “Não vai ficar mais na fachada de nenhuma das duas empresas”, informou Manu. A Noma e a Zoomlion serão “vizinhas” no novo distrito industrial, às margens da SP-127.

De acordo com Manu, o estudo de transferência, construção do acesso e da marginal ficou a cargo da Artesp, da concessionária, da Noma e da Prefeitura.

Ele inclui, ainda, a implantação de uma passarela para pedestres, ligando os dois lados da rodovia. As obras serão executadas em paralelo, para evitar que os usuários que passarem pelo trecho não fiquem desassistidos.

A Noma dará início à construção de fábrica após a demolição do atual Serviço de Atendimento ao Usuário, da CCR SPVias. Segundo Manu, isso deve acontecer somente depois que a concessionária transferir uma antena de comunicação. Para tanto, a empresa deve investir R$ 500 mil, captados por financiamento.

“Em breve, a Noma vai fazer o anúncio da construção de sua planta. As obras iniciam ainda este ano”, disse o prefeito. Já o novo acesso começa na semana que vem, conforme divulgado por Manu. Ele afirmou que os primeiros trabalhos devem ser iniciados já nesta segunda-feira.

Manu alegou que o prazo é menor que o informado pela Artesp porque não envolve licitação. Trata-se, apenas, de um aditivo no contrato de concessão que a Artesp fará com a CCR SPVias. “A concessionária, certamente, começa as obras do acesso tão esperado o mais breve possível”, enfatizou.

Também conforme ele, o anúncio da data de início de construção da Noma depende somente da empresa. O prefeito informou que os investidores paranaenses conseguiram, na quinta-feira, 18, a “última aprovação de financiamento”.

O investimento em Tatuí deve ser feito por meio do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e a partir de linhas de financiamento obtidas junto ao Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista. “Daqui poucos dias vamos anunciar as obras”, disse Manu.

O prefeito destacou o apoio de Alckmin no trabalho de viabilização e do deputado estadual Edson Giriboni (PV), que, atualmente, concorre à reeleição.

Segundo Manu, o deputado “atuou decisivamente, trazendo o governador ao município, estabelecendo ponte para apresentação de projetos”, como a construção de um túnel no trevo de acesso das rodovias SP-127 e SP-141 (Mário Batista Mori) com a avenida Vice-prefeito Pompeo Reali, na vila São Cristóvão.

Além da conquista, Manu disse que a confirmação da obra feita pela Artesp afasta “os pessimistas de plantão”, além de “um fantasma”: o de que as empresas teriam desistido de se instalar em Tatuí.

“Tem muita gente que, infelizmente, não quer o sucesso do nosso governo. São pessimistas que não pensam na cidade. Fazem oposição não sadia e ao cargo do prefeito”, alegou.

Conforme ele, “as críticas contra a atual administração não são construtivas”. Sustentou, ainda, que os comentários “não passaram de boatos” e que, antes de assumir o mandato, já havia se comprometido com as empresas.

“Ajudei nas negociações e em todo o processo do referendo (termo de compromisso) com as companhias. Tanto que investimos mais de R$ 600 mil em terraplanagens. Tudo isso é um trabalho sério e responsável”, acrescentou.


Publicidade