‘Antí­gona’ propõe discussão e abre Festival Estudantil de Teatro de SP

512





AI Conservatório / Kazuo Watanabe

Tragédia grega tem estreia por ocasião dos 60 anos de criação do Conservatório

 

A discussão sobre até onde o poder do Estado é legítimo e até onde é legítimo o direito do indivíduo é o foco de “Antígona”, peça que abre o XXVI Fetesp (Festival Estudantil de Teatro do Estado de São Paulo). A montagem da Cia. de Teatro do Conservatório de Tatuí estreia nesta segunda-feira, 13, às 20h30, no teatro “Procópio Ferreira” (rua São Bento, 415).

A apresentação integra a Mostra Principal do festival, composta por espetáculos selecionados dentre mais de 30 inscritos. O Fetesp acontece até o dia 18, contando, ainda, com Mostra Paralela.

Realizado pelo Conservatório de Tatuí, ele evidencia e garante espaço para o teatro estudantil. Ao mesmo tempo, oferece ao público oportunidade de assistir peças gratuitas. Os ingressos para acompanhar as apresentações da Mostra Principal são trocados por um quilo de alimento não perecível (exceto sal). Eles serão destinados ao Fundo Social de Solidariedade do município.

O espetáculo “Antígona” será apresentado por ocasião dos 60 anos de criação do Conservatório de Tatuí. Segundo o coordenador do festival, Carlos Ribeiro, a tragédia grega retorna ao palco do teatro “Procópio Ferreira” também por outros dois motivos.

O primeiro é a retomada da discussão de direitos, tema atual nos tempos de conflitos bélicos; o segundo, em função da própria história do setor de artes cênicas do Conservatório de Tatuí. Ribeiro lembra que o primeiro curso de iniciação teatral na escola foi instalado em 1976 e “Antígona”, a primeira peça encenada.

“A primeira apresentação aconteceu com o teatro do Conservatório ainda em obras, tendo direção de Moisés Miastkwosky. Junto aos textos ‘Édipo Rei’ e ‘Édipo em Colono’, ‘Antígona’ forma a chamada ‘trilogia tebana’ de Sófocles e narra os desdobramentos da maldição lançada por Apolo sobre o rei Laios, pai de Édipo”, disse ele.

“Na montagem, procuramos contextualizar o mito de forma a dialogar com nossa realidade contemporânea, repleta de Antígonas, Ismênias, Etéocles, Polinices e Creontes (personagens da mitologia grega)”, conta o coordenador que também assina a direção da montagem com classificação de 12 anos.

O elenco é formado por Fernanda Mendes (Antígona), Daniele Silva (Ismênia), Rogério Vianna (Creonte), Marcos Caresia (Guarda), Phellipe Souza (Hémon), Carlos Doles (Tirésias), Dalila Ribeiro (Eurídice), Rebert Nunes (1o Mensageiro), Hugo Muneratto (2o Mensageiro) e Adriana Afonso (Corifeu). Participam, também, Lucimara Portela, Maria Taddei Tad-done, Nycoly Silva Costa e Roberta Marcondes (coro), Jefferson Rodrigues (1o Guarda), Leo Camargo (2o Guarda) e Pedro Vercelino (Percussão).

As apresentações da Mostra Principal, no teatro “Procópio Ferreira”, serão realizadas de 13 a 18 deste mês e contemplam oito espetáculos selecionados e um convidado – com encenação que marca o encerramento. Os selecionados integram as categorias “Escola de Teatro” e “Teatro na Escola”.

Pela categoria “Escola de Teatro”, foram selecionados: “Cogitação Feita de Farinha, Leite e Ovos”, montado pela Cia. Aleatória, da Escola Livre de Teatro de Santo André (SP); e a peça “Édipo Rei”, pelo Grupo Laminicac, do Centro de Artes Cênicas “Walmor Chagas”, de São José dos Campos (SP).

Também integram a categoria: “Asterios Polyp”, encenado pela Sarcástica Companhia de Teatro, da FAAL (Faculdade de Administração e Artes de Limeira (SP); e “Ocupação”, espetáculo da Indac Escola de Atores, de São Paulo.

Em “Teatro na Escola”, a lista de espetáculos selecionados inclui “Auto de Antonio Santinho”, do Grupo Teatral Trupe do Trupé, da Escola Estadual “Professora Maria Angela Batista Dias”, de Paraguaçu Paulista (SP); e a montagem “Raízes”, que será encenada pelo Grupo Casca Grossa, da Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) “Barão de Piratininga”, de São Roque (SP).

“Descobreu”, da Cia. de Teatro UTA, da Escola Estadual “Dr. Afonso Vergueiro”, de Salto de Pirapora (SP); e “Por Enquanto Antônio”, do Grupo Teatro Singular, do Colégio Singular, de Santo André (SP), também serão montados.

A Mostra Principal da 26ª edição do Fetesp termina com espetáculo convidado e de gênero experimental. A peça “As Estrelas são para Sempre?” será encenada no teatro “Procópio Ferreira”, a partir das 20h30 do dia 18.

Na encenação, o Grupo Katharsis traz para o palco personagens anônimos, que falam línguas diferentes e que habitam um espaço sem referência e um tempo que só existe enquanto dura a percepção. O texto é classificado como “um hipertexto que remete à infância, à vida adulta e à velhice das personagens”.

Com direção de Roberto Gill Camargo, “As Estrelas são para Sempre?” tem classificação livre. Durante o espetáculo, o Grupo Katharsis estabelece um tipo de comunicação dinâmica com o espectador.

A peça começa com a voz de um comissário de bordo de uma companhia aérea. O membro da tripulação sugere um “tour” através do tempo e da memória, com referências a Cervantes, Shakespeare, Beckett, Verdi, Carlos Gomes, Guimarães Rosa, Bumba-Meu-Boi, Violeta Parra, Beatles e Edith Piaf.

O Fetesp recebe inscrições de escolas estaduais, municipais e particulares de ensino fundamental, médio, técnico e universitário sediadas no Estado de São Paulo. Ele contempla, ainda, quatro oficinas técnicas gratuitas, voltadas a qualquer interessado.

As oficinas serão ministradas por Aline Meyer (sonoplastia), Bartholomeu Haro (direção), Cadu Witter (a voz e o canto na cena) e Suzana Aragão (interpretação e humor). Ao todo, são oferecidas 80 vagas, destinadas a interessados que já se inscreveram previamente.

Os espetáculos

Concorrente na categoria “Teatro na Escola”, a peça “O Auto de Antonio Santinho” será apresentada no “Procópio Ferreira” dentro da Mostra Principal às 14h do dia 14, pelo Grupo Teatral Trupe do Trupé, da Escola Estadual “Professora Maria Angela Batista Dias”, de Paraguaçu Paulista (SP).

Também no dia 14, às 20h30, pela categoria “Escola de Teatro”, será a vez da montagem de “Cogitação Feita de Farinha, Leite e Ovos”. O espetáculo da Cia. Aleatória, da Escola Livre de Teatro de Santo André (SP), tem direção coletiva.

No dia 15, às 14h, o público assistirá “Raízes”, montagem de gênero infantil com direção de Amanda Sobral e concorrente na categoria “Teatro na Escola”. A peça integra repertório do Grupo Casca Grossa, da Escola Municipal de Ensino Fundamental “Barão de Piratininga”, de São Roque.

A Mostra Principal segue na quarta-feira, 15, com encenação da tragédia grega “Édipo Rei”, às 20h30, pela categoria “Escola de Teatro”. O espetáculo, uma adaptação feita por Edson Gory, de obra de Sófocles, tem elenco formado pelo Grupo Laminicac, do Centro de Artes Cênicas “Walmor Chagas”, de São José dos Campos.

Na quinta-feira, 16, haverá duas apresentações, às 14h, e às 20h30. Na data, o teatro “Procópio Ferreira” receberá, respectivamente, os espetáculos “Descobreu” e “Asterios Polyp”, pelas categorias “Teatro na Escola” e “Escola de Teatro”. A primeira encenação será feita pela Cia. de Teatro UTA, da Escola Estadual “Dr. Afonso Vergueiro”, de Salto de Pirapora; a segunda, pela Sarcástica Companhia de Teatro, da FAAL (Faculdade de Administração e Artes de Limeira).

As duas últimas peças concorrentes serão apresentadas na sexta-feira, 17. Pela categoria “Teatro na Escola”, o Grupo Teatro Singular, do Colégio Singular de Santo André, encenará “Por Enquanto Antônio”, a partir das 14h. À noite, às 20h30, a INDAC Escola de Atores, de São Paulo, encenará o espetáculo “Ocupação”, um dos quatro que competem pela categoria “Escola de Teatro”.