Acidentes não fatais têm queda de 9,45%

Números de outubro são divulgados pelo Infosiga; fatalidades no trânsito são estáveis

42
Mais de 70% das ocorrências não fatais ocorreram dentro do perímetro urbano (foto: Diléa Silva)
Publicidade
Da reportagem

O número de acidentes não fatais ocorridos em Tatuí apresentou queda no mês de outubro deste ano em comparação com igual mês do ano passado. Já as fatalidades no trânsito permaneceram estáveis.

De acordo com relatório do Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito), divulgado na tarde de sexta-feira,19,os acidentes sem mortes tiveram redução de 9,45% no 10º mês deste ano na comparação com o mesmo período de 2020, passando de 74 para 67 registros.

Os índices de acidentes sem vítimas mostram que as colisões representaram a maior parte do número de registros em outubro deste ano: somente nesta categoria, foram 24 casos, 35,82% do total.

Os indicadores de “outros tipos” (capotamento, tombamento e quedas) representaram 19,40% dos acidentes sem vítimas fatais no décimo mês do ano, com 13 registros.

O choque (ocasião na qual um dos veículos ou objeto atingido não está em movimento) aparece em seguida na posição das causas de acidente de outubro, com sete ocorrências (10,44%).

Publicidade

Na quarta posição das maiores causas de acidente do mês, aparecem os atropelamentos, com quatro ocorrências – o que representa 5,97% do total no período. Outros 19 acidentes não tiveram as causas definidas

A maior parte (74,63%) das ocorrências não fatais ocorreu dentro do perímetro urbano. Nas rodovias, os registros de acidentes sem mortes representam 23,88% dos casos (1,49% dos acidentes não tiveram os locais informados).

No décimo mês, os casos não fatais foram registrados nas madrugadas de domingo (seis), manhãs de sábado (seis), noites de sexta-feira (seis), tardes de terça-feira (seis), noites de domingo (cinco), manhãs de quarta-feira (quatro), tardes de segunda-feira (quatro), tardes de sábado (quatro), manhãs de quinta-feira (três) e noites de quinta-feira (três). Outros 20 não tiveram as datas especificadas pelo sistema.

Fatalidades

Ainda conforme o levantamento do Infosiga, o número de acidentes fatais permaneceu estável na comparação com o registrado no ano passado, com um caso em outubro de 2020 e um no mesmo mês deste ano.

A tabela do Infosiga mostra um acidente ocorrido na noite do dia 10, um domingo, na rua Benedito Faustino da Rosa, no Jardim Wanderley, vitimando um motociclista de 44 anos, após colisão contra outra motocicleta.

A fatalidade de outubro do ano passado foi do motociclista Eriberto dos Santos Rocha, encarregado de 31 anos, morador de Tietê. O homem faleceu na noite do dia 20, por volta das 20h, na Santa Casa de Misericórdia.

Conforme o boletim de ocorrência registrado pela irmã dele, uma inspetora de 33 anos, o encarregado se chocou com outra motocicleta. O acidente ocorreu na rodovia Antonio Romano Schincariol (SP-127), no dia 3, às 23h14. O homem permaneceu 17 dias internado na unidade de terapia intensiva.

Ainda no mesmo mês, foram contabilizadas quatro mortes em 2019, uma em 2018, três em 2017 e duas em 2015. Nos sete anos mais recentes, morreram somente homens (100% das vítimas). As principais causas foram colisão e atropelamento.

Já no comparativo do acumulado dos dez primeiros meses deste ano, o Infosiga aponta três mortes a menos por acidente de trânsito em relação ao mesmo período de 2020, passando de 15 para 12.

Nos três primeiros meses, a cidade registrou consecutivos aumentos na comparação com 2020: de zero para um em janeiro, de um para dois em fevereiro e de um para dois em março.

Em abril, o número de mortes por acidente ficou zerado, enquanto, em 2020, um caso havia sido registrado. Em maio, o número de fatalidades permaneceu equivalente ao ano passado, com um acidente no quinto mês de 2020 e um em 2021.

Em junho, as fatalidades subiram de uma para duas; em julho, caíram de cinco para uma; em agosto, novamente, não houve registro de morte, contra três no ano passado; e em setembro, o número voltou a subir, passando de um para dois casos.

Neste ano, o primeiro acidente ocorreu na manhã do dia 28 de janeiro, vitimando um motociclista de 43 anos. A vítima colidiu a moto na traseira de um caminhão, no quilômetro 109 da rodovia Antônio Romano Schincariol (SP-127).

Em fevereiro, mais dois acidentes fatais aconteceram. As duas vítimas estavam na direção e eram do sexo masculino: um deles, de 21 anos, condutor de motocicleta, falecido em acidente na rua 11 de Agosto, na tarde do dia 7; e um motorista de carro de 66 anos, morto em acidente na rodovia SP-127, na noite do dia 27.

Em março, outras duas pessoas perderam a vida em acidentes. Na manhã do dia 10, um motociclista de 52 anos morreu ao colidir com um carro no quilômetro 21,3 da SP-141. Já no dia 12, um pedestre de 71 morreu atropelado por um veículo no quilômetro 141 da SP-127.

Em abril, não aconteceram mortes no trânsito. No quinto mês, ocorreu a morte de um motociclista de 28 anos, na noite de 14 de maio, uma sexta-feira, no quilômetro 37,7 da SP-141.

No mês de junho, o trânsito vitimou mais dois homens, ambos condutores de carro, sendo um de 61 anos e um jovem de 29, este falecido em colisão com um caminhão.

Em julho, houve uma vítima fatal neste ano: um motociclista de 29 anos, identificado como João Paulo Fernandes Leite. Ele colidiu com a traseira de um caminhão na rodovia Antonio Romano Schincariol (SP-127), próximo ao fórum, por volta das 7h15 do dia 2 de julho.

Em setembro, a tabela do Infosiga mostra um acidente, ocorrido na noite do dia 4, um sábado, na rua Branca Laura de Oliveira Prestes, no Residencial Vida Nova Pacaembu, vitimando um motociclista de 35 anos, após colisão contra outra motocicleta.

O outro acidente de setembro deste ano ocorreu na madrugada do dia 16, no quilômetro 111 da rodovia Antonio Romano Schincariol (SP-127), vitimando o condutor de um automóvel, de 26 anos.

Em 2020, não houve morte em janeiro. A primeira fatalidade foi registrada no dia 18 de fevereiro, com a morte de um motociclista de 22 anos. Segundo o Infosiga, o jovem morreu ao colidir a moto com um carro, na rua Rui Barbosa.

Em março do ano passado, mais um motociclista perdeu a vida, no dia 8. O jovem de 19 anos morreu em uma colisão envolvendo a moto em que estava e um caminhão, no quilômetro 36 da SP-141.

No quarto mês de 2020, um idoso de 71 anos foi vítima fatal de atropelamento, no dia 21. O acidente ocorreu na avenida Vice-Prefeito Pompeo Reali.

Em maio, um acidente ocorrido no dia 14 vitimou outro pedestre (a idade não foi informada). O homem foi atropelado enquanto cruzava o quilômetro 105,95 da SP-127.

No mês de junho do ano passado, o condutor de um carro, de 28 anos, morreu em uma colisão traseira com outro carro, e, em julho, três motociclistas e dois condutores de automóvel perderam a vida em acidentes de trânsito, sendo três homens e duas mulheres, na faixa etária de 25 a 64 anos.

Em agosto de 2020, os acidentes vitimaram três homens: um pedestre de 40 anos, morto em atropelamento; um motorista de automóvel de 63 anos, vítima de choque com outro veículo; e um motociclista de 27 anos.

A fatalidade de setembro do ano passado aconteceu no quilômetro 23,7 da rodovia Mário Batista Mori (SP-141), vitimando um motociclista de 46 anos, que bateu a motocicleta dele em uma árvore.

Nos dois anos, ocorreram mais mortes com motocicletas. Conforme o levantamento do Infosiga, as fatalidades envolvendo motociclistas representam 55,55% do total de acidentes dos dez primeiros meses de 2020 e 2021.

Em seguida, aparecem os acidentes com carros, com 29,62% das fatalidades, e atropelamentos de pedestres, que representam 14,81% do total de acidentes nos dez primeiros meses dos dois anos.

Os dados do Infosiga são atualizados mensalmente pela Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal e Corpo de Bombeiros. As corporações encaminham dados do SioPM (Sistema de Informações Operacionais da PM), que soma os acionamentos de viaturas para atendimentos.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome