91% acham que Câmara teria de ouvir povo sobre os 25% do IPTU

246
Publicidade





A Câmara Municipal teria o dever de consultar a população sobre os aumentos do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e do ISS (Imposto Sobre Serviço) antes de serem aprovados. É o que aponta resultado da enquete virtual promovida pelo bissemanário sobre os reajustes – um deles já votados – que estavam sendo discutidos pelo Legislativo.

A pesquisa havia sido aberta antes da aprovação por parte dos parlamentares do aumento médio de 25% do IPTU. A votação aconteceu em sessão extraordinária realizada na noite de 24 de setembro e sob protestos da população.

Na mesma reunião, a pedido do prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, o Legislativo retirou o projeto da Prefeitura de aumento de 50% do ISS e da taxa de licença de funcionamento. O Executivo decidiu suspender a proposta.

No entanto, os vereadores aprovaram o projeto de aumento médio de 25% do IPTU. Cinco parlamentares se manifestaram contrários ao reajuste proposto pela Prefeitura. O Executivo alegou que não se tratava de aumento, mas de reajuste dos valores constantes na planta genérica de valores do município.

Publicidade

Dos 17 vereadores, 11 votaram favoráveis ao aumento. Alguns deles chegaram a dizer que eram contrários, num primeiro momento, e sugerir que houvesse debate com a população. Em função disso, o jornal levou a questão para ser analisada pelos leitores.

A pergunta demonstrou que 91% deles achavam que a Câmara tinha o dever de consultar a população sobre os aumentos até então propostos. Os demais participantes, 9%, responderam que “não achavam” que o Legislativo tivesse o dever de ouvir os contribuintes antes de aprovarem os aumentos.

Para esta edição, a enquete aborda a greve dos bancários como tema. A categoria paralisou as atividades no município em agências de dois bancos públicos e um privado. A categoria reivindica reposição salarial de 11,93% (5% de aumento real, mais correção da inflação), aumento da PLR (participação em lucros e resultados), piso salarial de R$ 2.860 e 13a cesta básica.

O Sindicato dos Bancários de Sorocaba e Região informou que a greve permanece por tempo indefinido. Por conta do movimento, muitos correntistas podem ter dificuldades em acessar alguns serviços realizados somente “na boca do caixa”, como saques de cheques nominais (por não correntistas), entre outros.

Por conta disso, o jornal pergunta: “Você está tendo transtornos em função da greve dos bancários em Tatuí?”. As respostas são: “sim” e “não” e podem ser votadas a partir da tarde deste sábado, 5.

A enquete permanecerá aberta até a sexta-feira da semana que vem, dia 12, tendo resultado divulgado na edição impressa do bissemanário, que circulará no dia 13. A participação é feita pelo endereço www.oprogressodetatui.com.br.


Publicidade