Contratações têm saldo positivo em junho

Agropecuária e setor industrial alavancam empregos formais após 2 meses de baixas

522
PAT continua realizando entrevistas de emprego (Foto: Divulgação)
Publicidade
Siltec
Da reportagem

Em junho, o mercado de trabalho formal apresentou o primeiro balanço positivo do município após dois meses de baixas. Os dados são do novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta terça-feira, 28 de julho, pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia.

Conforme o órgão, no sexto mês do ano, foram gerados 91 novas vagas de trabalho, a partir de 528 novos contratos formalizados para 437 desligamentos. O resultado é o melhor para o mês desde 2010, quando o Caged também apurou saldo positivo de vagas.

Com relação ao mês anterior, os índices mostram aumento de 49,57% nas admissões e 58,18% menos desligamentos. Em maio, a cidade teve o pior resultado já ocorrido desde 2007, com 349 contratados e 1.024 demitidos.

De acordo com Levi Soares, diretor do Cate (Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo), que coordena o PAT, o aumento foi “modesto, mas significativo para este momento de pandemia”.

Ele classifica o saldo positivo como reflexo da flexibilização da quarentena – que permitiu a abertura de mais setores do comércio entre os dias 1º e 28 de junho. “Estamos, aos poucos sentindo o aquecimento de nossa economia”, comentou o coordenador.

Publicidade
Siltec

O setor que mais se destacou no sexto mês foi o da agropecuária. A atividade econômica, que envolve ainda a pecuária, produção florestal, pesca e agricultura, contratou 53 novos funcionários e demitiu oito, resultando em 45 novos postos de trabalho.

O segundo melhor desempenho foi da área industrial, com saldo de 43 vagas, advindas de 148 admissões e 105 demissões. A indústria de transformação foi responsável pelo total das contratações e por 103 desligamentos – os outros dois ocorreram na indústria de extrativas.

A atividade comercial aparece em seguida, porém, com números menos expressivos. O setor de comércio abriu três novas vagas de trabalho, oriundas de 147 formalizações e 144 demissões.

Entre os subsetores, aparecem: comércio atacadista (mais cinco vagas) e o comércio de recuperação de veículos automotores e motocicletas (mais cinco). O setor varejista contratou 116 funcionários, mas demitiu 123 e fechou no vermelho com menos sete postos.

Com saldo positivo, também aparece o setor da construção civil, que abriu dois postos de trabalho – resultado de 16 contratações e 14 desligamentos. O setor de infraestrutura e serviços especializados gerou oito novas vagas, enquanto as obras de construção de edifícios fecharam seis.

As atividades econômicas que envolvem prestação de serviços aparecem com o pior resultado do sexto mês do ano. O setor fechou dois postos de trabalho, oriundos de 166 desligamentos para 164 admissões.

Na análise entre os subsetores, o relatório mostra que os piores desempenhos ficaram para alojamento e alimentação (menos 19 vagas); informação, comunicação, atividades financeiras, imobiliárias e profissionais da administração (menos 19) e outros serviços (menos cinco).

Em seguida, com saldo positivo, aparecem: transporte, armazenagem e correios (mais 26); e administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (mais 15 vagas).

Soares apontou que o resultado positivo confirmou a expectativa do PAT, de melhora para o mês de junho. “Com a vinda de novos empreendimentos e o trabalho em conjunto da administração, nós sentimos que houve um aumento gradativo das oportunidades de empregos”, disse.

“Nós estamos buscando soluções para nos adequarmos de uma maneira segura neste momento de pandemia, para permitir a retomada da economia sem afetar a garantia de saúde e segurança da população”, completou o coordenador.

O saldo positivo do sexto mês do ano não foi suficiente para mudar o resultado do primeiro semestre. No acumulado de janeiro a junho, 962 vagas de emprego formal acabaram fechadas – resultado de 3.941 admissões e 4.903 desligamentos.

Em janeiro, 18 postos de trabalho acabaram fechados na cidade, com 937 contratações e 955 desligamentos. Em fevereiro, os números subiram, e 242 novas vagas foram geradas, advindas de 1.045 admissões e 803 demissões.

A tendência de saldo positivo foi mantida em março, com mais cinco postos de trabalho. Contudo, a queda no número de contratações e a alta das demissões registrada no mês de abril, com o fechamento de 590 vagas, e, na sequência, a de maio (menos 692), contribuiu para que o saldo fosse negativo também no acumulado dos seis meses do ano.

Na soma dos seis meses, dois setores fecharam com saldo positivo: serviços, com a geração de 96 novas vagas, e agropecuária, com mais 60 postos. Os outros três setores analisados tiveram baixa: comércio (menos 589), construção (120) e indústria (menos 409).

Ainda segundo o levantamento, comparadas aos primeiros seis meses de 2019, as admissões caíram 11,75% e as demissões subiram 9,71%. O levantamento não leva em consideração funcionários públicos estatutários e trabalhadores na informalidade.

O estudo do órgão do Ministério da Economia mostra que, ao contrário de Tatuí, o saldo de empregos com carteira assinada no país fechou negativo no sexto mês do ano. A retração foi de 10.984 postos de trabalho, com 895.460 admissões para 906.444 desligamentos.

No acumulado dos seis meses, o resultado do emprego formal do país fechou o primeiro semestre com saldo negativo de 1.198.363, proveniente de 6.718.276 admissões e 7.916.639 desligamentos.

Novas vagas

Soares afirmou ter expectativa de resultados positivos para os próximos meses. Segundo ele, mesmo diante da pandemia de Covid-19, algumas empresas continuam contratando por intermédio do PAT.

Entre as vagas disponíveis, estão: enfermeiro (dez), técnico de enfermagem (dez), fonoaudiólogo (cinco), fisioterapeuta (cinco), professor de Inglês (duas), estagiário em teleatendimento (duas), vidraceiro (duas), programador de torno CNC (duas), estagiário técnico em TI (duas), eletricista de autos (duas), estagiário em contabilidade (duas), operador de pá-carregadeira (uma), auxiliar de compras (uma), projetista de molde de injeção (uma), serralheiro (uma vaga), ferramenteiro (uma) e eletricista (uma vaga).

Os interessados devem encaminhar o currículo atualizado para o e-mail pat@tatui.sp.gov.br . Esses currículos serão enviados ao setor de recursos humanos da empresa contratante para análise e seleção, e, caso o candidato seja selecionado, a própria empresa entrará em contato para agendar a entrevista.

Publicidade
Siltec

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome