Cemitérios recebem mais de 25 mil visitantes em três dias de Finados

    “Obras” intensifica inspeção em vasos com água para evitar dengue

    308
    Feriado prolongado reuniu público acima do esperado nos cemitérios (foto: Eduardo Domingues)
    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    CVC
    Liderança Ferramentas
    EleService institucional

    Mais de 25 mil pessoas visitaram os cemitérios de Tatuí entre o Dia de Finados, sexta-feira, 2, até o domingo, 4. No feriado, desde o começo do dia, diversas pessoas se concentraram nas portas dos cemitérios. A programação começou às 6h, com abertura dos portões, e terminou às 19h.

    Segundo Elias Donizeti Miranda, diretor executivo do Departamento Municipal de Obras e Infraestrutura, o cemitério Cristo Rei, na avenida das Mangueiras, recebeu pelo menos 18 mil pessoas nos três dias. Já o São João Batista, no Vale da Lua, teve a presença de aproximadamente 8.000 visitantes.

    “O público neste ano surpreendeu. Houve comparecimento em massa, principalmente no cemitério novo (São João Batista)”, comentou o diretor.

    Conforme Miranda, pelo menos 2.800 atendimentos foram realizados nos escritórios dos cemitérios no Dia de Finados, sendo 2.000 no centro e 800 no Vale da Lua. A Prefeitura disponibilizou funcionários para trabalhar nos locais, ajudando os visitantes com acesso a informações.

    Segundo levantamento do setor de obras, os cemitérios locais contam com mais de 35 mil túmulos. Aproximadamente, 10 mil ficam no São João Batista e o restante, no Cristo Rei.

    Publicidade
    EleService institucional
    Alessandra Bonilha, dra
    CVC
    Liderança Ferramentas

    O diretor ressaltou que, neste ano, as visitas aconteceram de forma tranquila e organizada, e ainda garantiu que funcionários estiveram trabalhando, durante todo o dia, na limpeza geral das necrópoles.

    “Na quinta-feira, deixamos tudo organizado e limpo. Contudo, algumas pessoas decidiram colocar flores nos jazigos na sexta-feira e acabaram deixando o lixo no corredor”, contou Miranda.

    Ele ainda afirmou terem sido deixados 12 “bags” no Cristo Rei, para que fosse colocado o lixo, mas, mesmo assim, não foi possível evitar o transtorno e alguns visitantes acabaram fazendo reclamações sobre a sujeira deixada. “Não sei se encheram os sacos, ou se não acharam, e começaram a colocar o lixo no corredor. Mas, tudo foi limpo na sexta-feira mesmo”, assegurou.

    A programação do feriado ainda incluiu a tradicional Missa de Finados. A solenidade em homenagem aos mortos teve início às 9h, no cemitério Cristo Rei.

    O rito neste ano foi celebrado pelo padre Jânio Procópio da Silva, da Paróquia Nossa Senhora das Graças, da vila Dr. Laurindo. Em frente aos campos-santos, ainda houve a tradicional feira livre, com barracas de flores, velas, frutas, alimentos, brinquedos, bijuterias e roupas.

    Aproximadamente 80 estandes foram divididos entre os feirantes no centro. Já no Vale da Lua, houve mais de 15 barracas.

    Contra a dengue

    Miranda frisou que, após o Dia de Finados, o departamento está preparando a programação de inspeção dos jazigos para evitar acúmulo de água nos vasos de flores levados em homenagem aos entes falecidos.

    Segundo ele, a proposta é evitar a instalação de focos transmissores da dengue e manter os cemitérios fora do risco de proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

    Conforme o diretor, as medidas preventivas devem ser adotadas durante todo o ano. Porém, em função da data, em que muitas pessoas prestam homenagens com vasos de flores e plantas, estão sendo reforçadas.

    “Temos atenção especial com as flores naturais. Em quatro ou cinco dias normalmente, elas secam. Então, a gente entra no cemitério e já vê. Se elas estiverem vivas, vamos direto nelas, para verificar se não houve acúmulo de água de forma inapropriada”, acentuou.

    O responsável pelo setor de obras ainda contou que muitas pessoas que visitam os cemitérios na data têm costume de deixar os vasos de flores naturais com plástico, o que favorece o acúmulo de água e o consequente criadouro para o mosquito da dengue.

    “Temos uma equipe preparada para esta inspeção, e estamos passando em todos os cemitérios para evitar que tenhamos focos do mosquito, senão isso pode até se transformar em um problema de saúde pública”, comentou.

    Em preparação para a data, a prefeitura já havia intensificado os trabalhos de limpeza das ruas internas dos cemitérios, com capina e retirada de entulhos. Além disso, o Cristo Rei recebeu pinturas e frases nos muros internos, identificação das quadras no solo e pintura do escritório.

    Já no Cemitério São João Batista, foram colocadas placas de identificação nos túmulos e construídos 82 jazigos novos, além da instalação de identificação nas quadras e pintura no escritório.

    Publicidade
    EleService institucional
    Alessandra Bonilha, dra
    CVC
    Liderança Ferramentas

    DEIXE UM COMENTÁRIO

    entre com sua mensagem
    entre com seu nome