Jorge Rizek 24/10/2018

3094
Publicidade
Claudia Rauscher
Lab Cruzeiro
Unip-EAD
CVC

É tão bom poder andar pelo país
E penetrar os corações
Poder fazer você feliz
Poder fazer você cantar
Amenizando o dia a dia
Com um pedaço de alegria
Não faz mal nenhum sonhar
Eu fiz uma canção bonita
Pra você assim aflita / Saber
Que juntos / Podemos até fazer chover.
‘ALÔ, ALÔ BRASIL’
(Gonzaguinha)


“Cada pessoa está aqui para contribuir com alguma coisa para o todo. Você contribui com o quê?”
”Shmuel Lemle – “Sementes de Cabala”


Nesta quarta, o Ópera Mix estará aberto para uma noite especial. A gastronomia mediterrânea da Sardenha estará sendo apresentada através de um menu assinado por Augusto Piras.

Peixes e frutos do mar são a base da noite. Eles estarão presentes no amuse buche (coração de alcachofra ao vapor com fonduta de Pecorino Sardo Brigante e raspa de Bottarga de tainha). No antipasto, carpaccio de polvo com feijão branco em vinagrete. Primeiro prato: fregula Sarda de trigo Duru ao perfume do mar; segundo prato: paleta de cordeiro em baixa temperatura com batata ana.

A sobremesa: seadas da Sardegna ao mel e mirtilo.

Augusto Piras é o novo chef do Ópera. Nascido na Sardenha, concluiu o curso de hotelaria e cozinha no Instituto Alberghiero di Stato, em Alghero. Reservas: 3305-3000.




TIM-TIM
24 – Nazareth Faria Orsi / Munir Muhamed / Luis Gustavo Ribeiro da Silva / Sabrina Ribeiro
25 – Dante Camargo Gonçalves

NIGHT AND DAY
Quarta-feira, 24
20h, teatro “Procópio Ferreira” – Banda Sinfônica do Conservatório
20h, Ópera Mix, Noite da Sardenha

Quinta-feira, 25
11h, 14h e 19h, “Salão Villa-Lobos” (Conservatório) – Série Jovens Solistas de Piano
20h, teatro “Procópio Ferreira” – Grupo de Percussão do Conservatório
21h, Fuel’s – Samba que nos Une, Kizumbamba

Sexta, 26
19h, Salão “Vila Lobos” (Conservatório) – audição de alunos de trompa do Conservatório
20h, teatro “Procópio Ferreira” – Coro do Conservatório
21h, Fuel’s – Momberg e Jeff

FALEI E DISSE
“Se quiser fechar o STF, não mando nem um jipe. Mando um soldado e um cabo. Sem desmerecer o soldado e o cabo.”
Eduardo Bolsonaro, deputado federal, em vídeo gravado em julho, disponível na internet

“É incrível eu estar vivo, bem saudável. Ter minhas filhas, estar trabalhando pra caramba. Mostra que a vida, cara, tem que aproveitar. A gente não sabe o dia de amanhã. Não dá pra deixar pra depois.”
Danton Mello, para Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo

“A terapia me ajudou a sair do banco.”
Bruno Henrique, volante do Palmeiras

“Tenho certeza de que o Brasil vai ter saudade do governo Temer.”
Carlos Marun, ministro da Secretaria de Governo

“Seria bom que o STF recuperasse a sua credibilidade. Ter um ministro com o perfil do juiz Sérgio Moro seria muito bom. É um nome que se cogita, sim.”
Gustavo Bebianno, presidente do PSL



No domingo, Joyce Pascowitch armou uma festança na Casa Charlô para comemorar 12 anos da revista JP. Joyce recebeu todos os convidados que fazem parte da história da revista, como Lauretta da Martinica, Marina Lima, Marina Ruy Barbosa (capa da edição de aniversário), Bia Aydar, Iara Jereissati, Camila Coutinho etc.

Publicidade
Unip-EAD
Claudia Rauscher
CVC
Lab Cruzeiro

A tarde começou com o quarteto da Music 4 Events Brasil, com repertório recheado de clássicos da MPB. Nas pick-ups, DJ Zé Pedro deu show e levou muita gente para a pista, seguido pelo DJ Marcelo Botelho.

As comidinhas deliciosas assinadas por Charlô Wately drinks da Help Bar, Chandon, Perequita e Café Orfeu.

Na saída, caixas de chocolate Cacau Show.


Um grupo de tatuianos marcou presença na 42ª Mostra Internacional de Cinema, no Espaço Itaú Augusta de Cinema, na sexta à noite, quando o filme/documentário “As Quatro Irmãs” foi apresentado. As irmãs Regina Maria, Rosa Cristina e Vera Lúcia, junto com Evaldo Mocarzel, o diretor do filme, receberam os convidados no hall do cinema, uma festa.

Imprensa de São Paulo, de Tatuí, amigos e convidados foram conferir o filme rodado em Tatuí, Pereiras e Mongaguá.

“As Quatro Irmãs” é sobre as memórias de Vera Holtz no casarão da esquina da rua José Bonifácio e 13 de Fevereiro, onde ela e as três irmãs cresceram. Segundo Vera, “a memória tem muito de ficção, você nunca lembra exatamente o que aconteceu”.

O resgate da memória de sua família com as irmãs Teresa, Rosa e Regina é o ponto de partida do documentário. Enfrentando lapsos de memória, a atriz tenta reinventar a própria vida no filme. A infância e a adolescência aqui em Tatuí. A convivência familiar e as irmãs como personas do seu ser, eterna fonte de inspiração para seus personagens.

A plateia ficou emocionada com o filme e aplaudiu em pé. Antes da sessão, toda equipe do filme presente foi apresentada e, no final do filme, Vera e Evaldo responderam a perguntas da plateia.

O filme só entrará no circuito comercial em 2019 e deverá ser apresentado em Tatuí.

Publicidade
Unip-EAD
Claudia Rauscher
CVC
Lab Cruzeiro

DEIXE UM COMENTÁRIO

entre com sua mensagem
entre com seu nome