Conservatório de Tatuí realiza recital e aulas abertas de acordeão no “PS”

Apresentações terão participação do acordeonista austríaco D. Stratznig

188
O austríaco Daniel Stratznig que será estreia de evento sobre acordeão (foto: divulgação)
Publicidade

O Conservatório de Tatuí promove nesta quarta-feira, 10, às 20h, o recital “O Novo Acordeão”, com participação especial do acordeonista austríaco Daniel Stratznig, ao lado do professor do curso de acordeão da escola, Braulio Vidile.

Na quinta-feira, 11, os músicos também receberão adultos e crianças em aulas abertas de acordeão. Todas as atividades serão realizadas no Museu Histórico “Paulo Setúbal”, com entrada gratuita.

“A história e a evolução do acordeão serão contadas neste recital didático, com peças eruditas e populares, abrangendo desde a música renascentista até a música contemporânea”, comentou o professor Vidile.

“Será dada especial ênfase ao repertório para acordeão baixo-solto, instrumento muito em uso na Europa e que amplia as possibilidades de uso dos baixos”, acrescentou.

O repertório terá “Tre Balli”, de Giorgio Mainerio; “Toccata Seconda dal Secondo Libro”, de Girolamo Frescobaldi; “Concerto em Fá Maior” e “Concerto em Ré Menor”, de Johann Sebastian Bach e Antonio Vivaldi; “Ária da Suíte mº 3 em Ré Maior”, de Bach; “Adagio para Glassharmonika”, de Wolfgang Amadeus Mozart; “Improvvisazione nº 1”, de Salvatore di Gesualdo; “Variações Sobre um Tema Russo”, de Oscar dos Reis e Braulio Vidile; “Inverno Porteño” e “Libertango”, de Astor Piazzolla.

Publicidade

Ainda na quinta-feira, 11, os professores vão ministrar duas aulas abertas de acordeão, sendo uma turma para adultos, às 10h, e outra para crianças, às 14h.

As oficinas terão atividades de música de câmara, improvisação e composição coletiva. A participação é aberta para estudantes de acordeão, músicos profissionais e ouvintes.

Daniel Stratznig iniciou os estudos de acordeão na Escola de Música de Spittal/Drau (Áustria). Em 2002, passou a estudar no Conservatório Estatal de Caríntia, com o professor Roman Pechmann, em Klagenfurt, diplomando-se em 2006.

De 2006 a 2010, cursou duas pós-graduações no Conservatório de Florença (Itália): acordeão clássico, com Ivano Battiston, e música de câmara, com Daniela deSantis.

Foi, ainda, aluno de Stefan Hussong, na Escola Superior de Música de Würzburg (Alemanha). Apresentou-se em importantes festivais internacionais e, atualmente, é professor de acordeão na Musikschule de Viena (Áustria).

Braulio Vidile se formou em acordeão pelo Conservatório Mozart, de Santos, em 1998, com Preciosa Kitami. Estudou em seguida com Oscar dos Reis, que lhe apresentou o acordeão baixo-solto.

Diplomado em licenciatura em música pela Universidade de São Paulo (USP), mudou-se em 2005 para a Itália, onde concluiu duas pós-graduações pelo Conservatório de Florença: acordeão e música de câmara.

Estudou com Ivano Battiston, Mirko Ferrarini e Paolo Gandolfi, além de frequentar aulas e masterclasses com profissionais consagrados do acordeão erudito e popular, como Richard Galliano, Teodoro Anzelloti, Renzo Ruggeri e Claudio Jacomucci.

Durante seus dez anos de experiência na Itália, apresentou-se em vários países da Europa com formações de música de câmara, erudita e popular. Trabalhou, também, como professor de acordeão e educação musical em dez escolas públicas italianas, com crianças e jovens dos 3 aos 18 anos de idade. De volta ao Brasil em 2014, trabalhou por três anos como acordeonista e pianista da Escola de Dança do Theatro Municipal de São Paulo. Atualmente, é professor do recém-lançado curso de acordeão do Conservatório de Tatuí.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

entre com sua mensagem
entre com seu nome