Orquestra Sinfônica é atração de concerto gratuito neste sábado

Grupo do CDMCC interpretará obras de Tchaikovsky e Bruckner

2032
Grupo volta ao palco do teatro 'Procópio Ferreira' sob a regência do maestro Edson Beltrami (foto: AI Conservatório)
Publicidade
Diaz Leal Advocacia

A Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí volta ao palco do teatro “Procópio Ferreira” neste sábado, 15. Sob regência do maestro Edson Beltrami, o grupo interpreta “Romeu e Julieta”, de Pyoth Ilyich Tchaikovsky, e a “Sinfonia nº 4”, de Anton Bruckner. A apresentação acontece às 18h, com entrada gratuita.

De acordo com o maestro Beltrami, “Romeu e Julieta” é uma obra orquestral composta em estilo “abertura-fantasia”, baseada na peça homônima do escritor inglês William Shakespeare.

Embora estilizado como “abertura-fantasia” pelo compositor, o “design” geral é um poema sinfônico em forma de sonata, com uma introdução e um epílogo. O trabalho é baseado em três motivos principais da história de Shakespeare.

“O primeiro é o coral inicial das madeiras, que trata da santidade de Frei Laurence. O segundo motivo é o tema agitado dos Capuletos e Montecchios, incluindo uma referência à luta com espadas, retratada pelos pratos em contratempo. A ação repentinamente diminui, e ouvimos os compassos iniciais do ‘tema de amor’, o terceiro motivo, apaixonado, mas sempre com um sentimento subjacente de ansiedade”, descreve.

O programa continua com a “Sinfonia nº 4 em Mi bemol Maior, WAB 104 (versão 1878)”, de Anton Bruckner, uma das obras mais populares do compositor.

Publicidade
Diaz Leal Advocacia

Escrita em 1874 e revisada várias vezes até 1888, a obra foi dedicada ao príncipe Konstantin de Hohenlohe-Schillingsfürst. É chamada de “Sinfonia Romântica”, apelido usado pelo próprio autor.

A Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí foi criada em 1985. É formada por professores e alunos bolsistas, que têm a oportunidade de explorar o repertório sinfônico e adquirir experiência para o mercado de trabalho.

Beltrami é formado em flauta transversal pelo Conservatório de Tatuí. Vencedor de diversos concursos, atuou por mais de dez anos como primeira flauta solo convidado da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), além de atuar nos mais importantes palcos do Brasil e exterior.

Desenvolve, também, intensa carreira como compositor. Foi um dos criadores e regente por 20 anos da Orquestra Sinfônica Jovem do Conservatório de Tatuí, onde agora coordena a Orquestra Sinfônica.

Publicidade
Diaz Leal Advocacia