Dadetur define recurso ao turismo local

    Valor sofreu contingenciamento de 35%, chegando ao montante de R$ 386 mil

    329
    Membro do Conselho de Tursimo acompanham assinatura de renovação do selo 'Bem Receber' (foto: Lívia Amara)
    Publicidade
    EleService institucional
    CVC
    Liderança Ferramentas
    Coplaspel
    Alessandra Bonilha, dra
    Sta Tereza institucional

    O Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) definiu os valores a serem liberados para investimento em Tatuí no ano. A informação foi repassada durante reunião do Comtur (Conselho Municipal de Turismo), na terça-feira, 6, no Departamento de Cultura.

    O valor que seria recebido pela cidade, de R$ 594 mil, acabou sofrendo um contingenciamento, por parte do governo do Estado, de 35%. Como resultado, foi definido em R$ 386 mil.

    Wagner Eduardo Graziano, presidente do Comtur, explicou sobre o contingenciamento durante a reunião: “Existe um valor que é previsto de verba. Provavelmente, não houve arrecadação suficiente e, então, o Dadetur pegou 35% desse valor previsto e deixou contingenciado. Se entrar esse dinheiro (na arrecadação) ele será liberado”.

    Os projetos que foram aprovados, em dezembro de 2017, nos quais deve ser aplicado o valor divulgado, também sofreram redução no investimento. O recurso será destinado para reforma e adequação das placas de sinalização turística, reduzido o valor inicial de R$ 110 mil para R$ 89 mil; instalação do mobiliário urbano na praça Martinho Guedes, que não sofreu redução e ficou com R$ 97 mil; e a construção de um pórtico turístico, reduzido de R$ 250 mil para R$ 200 mil.

    “Houve essa redução e nós precisamos fazer uma readequação nos valores. Os projetos estão autorizados”, acrescentou Graziano. O contingenciamento foi maior que o aplicado em 2017, quando o valor destinado ao município teve diminuição de R$ 172 mil. Em 2018, atinge R$ 208 mil.

    Publicidade
    EleService institucional
    Coplaspel
    Alessandra Bonilha, dra
    Sta Tereza institucional
    CVC
    Liderança Ferramentas

    Os pedidos para investimentos em serviços e material gráfico foram barrados pela CPOS (Companhia Paulista de Obras e Serviços). O órgão não possui corpo técnico para aprovar projetos que não são de infraestrutura, inviabilizando o investimento.

    Já os valores da obra de reforma da praça Martinho Guedes, liberados em 2017 e que contemplam a reforma do piso, sistema hidráulico e elétrico, além do espelho d´água, estão aguardando os trâmites legais, com licitação marcada para o dia 23 de março.

    Os custos com o paisagismo ficarão com a Prefeitura, que deverá realizar outra licitação para realizar o serviço.

    “A praça é um equipamento turístico que mais necessitava de reforma. Nós já tínhamos o projeto pronto e pouco tempo para a aprovação. O local é um cartão de visitas da cidade. Vai melhorar a iluminação, acessibilidade”, explicou Graziano.

    Outro assunto debatido pelos conselheiros foi a necessidade de readequação do projeto da praça, que contemplava alterações na imagem da santa instalada no local. Contudo, ela não será mais alterada.

    O conselho também anunciou que está estudando, junto com a Prefeitura, a criação de uma lei que visa a conceder incentivos fiscais a empreendimentos voltados ao setor turístico que desejem se instalar na cidade.

    A proposta já foi enviada para análise da Secretaria de Planejamento Urbano, na forma de um projeto, a partir do departamento de turismo da Secretaria Municipal do Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude. A lei ainda poderá contemplar empresas já em funcionamento na cidade.

    “A cidade tem a uma vocação turística, isso faz com que empresas tenham o desejo de investir na cidade. A lei facilita na concorrência com outros municípios, e podemos receber empresários interessados na construção de hotéis, restaurantes e parques temáticos”, argumentou Graziano.

    O turismo local efetivou o contrato de renovação com o São Paulo Convention & Visitors Bureau para o selo “Bem Receber” de qualidade turística, renovado pelo terceiro ano.

    Graziano também comentou sobre a importância do selo: “Ele divulga as cidades conveniadas, e Tatuí é o único município de interesse turístico com esse selo. É um projeto em longo prazo, temos que preparar a cidade para receber bem o turista”, defendeu.

    As reuniões do Comtur acontecem na primeira terça-feira de cada mês.

    Publicidade
    EleService institucional
    Coplaspel
    Alessandra Bonilha, dra
    Sta Tereza institucional
    CVC
    Liderança Ferramentas